Portal Luis Nassif

Obama e o sonho do mundo pós-racial
Por: José Roberto F. Militão - 17/11/2008

Diz Hermógenes, o filósofo: "No coração de uma laranja dormitam sementes de um laranjal".


A convite da Afropress venho tecer aqui as razões de minha profissão de fé no advento de uma era "pós-racial" anunciada pela trajetória, campanha, mensagens e eleição de Barack Obama à Presidência dos EUA. Diante de tantas manifestações saudando Obama, o faço mesclando esperança e sonho.

A esperança nas declaradas convicções da audácia de OBAMA. O sonho tem por fulcro as palavras do derrotado Senador McCain saudando a eleição de Obama, parafraseou Ortega y Gasset e pregou a união e apoio de todos americanos ao presidente eleito dizendo: "a nossa geração tem o dever de entregar a nossos filhos um mundo melhor".


http://www.afropress.com/colunistasLer.asp?ID=561

Exibições: 24

Comentário de Sérgio Troncoso em 5 janeiro 2009 às 12:38
Caro Militão,o conheço apenas pelas suas intervenções no blog do Nassif,e sei de sua posição quanto ao estabelecimento de quotas de qualquer tipo.Concordo com o Sr. sem nenhum falso moralismo,pois sou branquinho como pode ser um descendente direto de espanhóis.O combate correto é a total abolição do têrmo raça para definir sêres humanos,como a própria ciência está a provar.Já quanto ao seu sonho potencializado,acho-o possível,mas não sou tão otimista assim quanto ao tempo.Certamente a eleição de Obama é emblemática sôbre mudanças positivas que os EUA e o mundo apresentam.Mas quando ouço o têrmo Pós-qualquer coisa,não consigo deixar de lembrar que é um têrmo caro à arrogância neo-liberal.Acredito que a problemática da segregação de côr,religião ou de qualquer manifestação de preconceito,são coisas da psicologia do homem em suas inúmeras nuances competitivas.O processo civilizatório deverá progredir muito ainda,antes da amenização de tais comportamentos.Obama é um pequeno passo na direção certa,mas êle possui uma postura com muitos pontos obscuros,muitas esperanças de ações introjetadas por outros,e não em palavras suas.Há que se ver e veremos,afinal falta pouco para o seu "jogo" começar.Acredito que o caminho a percorrer é longo.Quando a consciência social,a competição de espírito humanístico-meritório e não a atual de espírito predatório e,porque não dizer,o amor pelo próximo forem mais praticados,forem agudizados sob uma perspectiva meramente racional,quando forem realmente prioridade nos vários estratos sociais e profissionais,principalmente nos formadores de opinião,nos poderosos,na mídia,quando fôr enfim,uma prioridade social,tudo melhorará.Tôdas as questões sejam financeiras,raciais e psicológicas certamente melhorarão.Acredito que a educação e a boa vontade inspirada,não na religiosidade,mas na "racionalidade do amor" (tenho vontade de desenvolver um texto para ratificar que ela não só existe,pois já foi provada,como é prioritária na psicologia das pessoas e da sociedade),solucionarão vários tipos de problemas ao mesmo tempo.Um abraço,Sérgio.
Comentário de José Roberto Ferreira Militao em 5 janeiro 2009 às 15:45
Prezado Sérgio,

A era pós-racial é uma realidade possível, evidente que ainda é uma trilha que precisa ser pavimentada pela humanidade. Porém, considerando que faz 70 anos, tivemos a 2a. guerra mundial em razão do crescente poder do racismo estatizado e que a Declaração Universal dos Direitos Humanos é de 1948 que veio sinalizar nesse caminho, acredito que já caminhamos bem nesse rumo.

A eleição de OBAMA é um marco disso. A consolidação da África do Sul, pós- Mandela nos anos 1990/2000. A destruição do regime do ´aphartheid´ nos anos 1970/1980; o fim do colonialismo na Ásia, América e África consolidado nos anos 1960 que tinha o pressuposto ´civilizatório´ eurocentrista; a luta por direitos CIVIS nos EUA nas décadas 1950/1960 e a derrota do nazi-fascismo nos anos 1940 são todos, sucessivos fatos, indicadores que é possível a humanidade globalizar o conceito da única espécie humana. É fato que levaremos séculos, mas não podemos desistir desse ideal.

Assim como já vivemos a era PÓS-GUERRA FRIA; PÓS-CORTINA DE FERRO; PÓS-BI-POLARIZAÇÃO; PÓS-COLONIALISMO; PÓS-IMPERIALISMO podemos sim construir a era PÓS-RACIAL e devemos lutar porisso. Eu acredito. A maioria da humanidade acreditando isso é factível.

Neste sentido meu empenho e convicção que o Estado não pode acolher a crença racial, pois a estatização de raças foi um ideal do racismo e se acolhido pelo Estado, por ser uma falácia, um dia será destruída, porém, como a estatização fará um aprofundamento da crença racial, levaremos mais tempo, mais séculos que o necessário para consegui-lo.

Entendo o amor ao próximo, num sentido lato, distinto do religioso, ou seja, o simples humanismo, a simples consideração à integridade humana de cada indivíduo, independente de qualquer outro requisito artificial - religioso, étnico, racial, cultural -será suficiente para que a humanidade edifique um futuro mais harmônico, democrático e pacífico.

NELSON MANDELA, pregou uma filosofia, sintetizada numa frase extraordinária com a qual delineou seu governo de conciliação de brancos, mestiços e pretos na África do Sul: " Ninguém nasce odiando outra pessoa em razão da cor de sua pele, de sua religião ou de sua cultura: se lhes ensinaram a odiar, nós podemos lhes ensinar a amar."

Nós devemos crer na humanidade e ensina-la a amar a humanidade.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço