“OS VINGADORES: ERA DE ULTRON”. A CRIAÇÃO DA ARMADURA NO MUNDO EM BUSCA DA FORMA

Os capitalistas Tico e Teco voltaram a conversar sobre o mundo contemporâneo, acompanhados pela diarista Aparecida e pela filha Bytes, no dia 26  de abril de 2015, nos 50 anos da Rede Globo.

Tico: No dia de hoje o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que o serviço secreto russo detectou contatos diretos entre radicais do Cáucaso do Norte e os representantes dos serviços de inteligência dos Estados Unidos. A afirmação ocorreu no documentário "O Presidente", apresentado no canal Rossia 1. Segundo ele, a CIA auxiliou no transporte de radicais islâmicos na região onde a Rússia enfrenta atentados terroristas de separatistas. Putin disse que informou ao presidente dos Estados Unidos sobre o assunto que prometeu tomar providências. Mas acrescentou: “Dez dias depois, os meus subordinados, os líderes da FSB, receberam de seus colegas em Washington uma carta: Temos apoiado e vamos continuar a manter relações com todas as forças da oposição na Rússia e pensamos que temos direito de fazer isso no futuro". No documentário, o líder russo disse que terroristas não podem ser usados para resolver problemas políticos ou geopolíticos. "De jeito nenhum, nunca, jamais. Você não pode tentar usar os terroristas mesmo para resolver seus pequenos problemas políticos ou geopolíticos de curto prazo. Porque se você os apoiar em um lugar, eles levantarão suas cabeças em outro e obrigatoriamente baterão naquele que ontem os apoiava", advertiu Putin. O presidente russo afirmou que os parceiros ocidentais foram avisados sobre as possíveis consequências. "Ao que parece, eles pensaram, especialmente as agências de inteligência ocidentais, que, se alguém está agindo para desestabilizar o principal rival geopolítico, isso é vantajoso para eles. Mas verifica-se que não é", sublinhou. No documentário, Putin afirmou que o país está rigorosamente dentro dos limites do direito internacional: “Estou convencido do fundo do meu coração que não estamos violando nenhuma das regras do jogo. Isso diz respeito às nossas relações com a Ucrânia, a situação em torno da Crimeia, o nosso posicionamento em outras regiões do globo, a luta contra o terrorismo internacional”. Ele explicou, no entanto, por que os Estados Unidos foram retirados do “tratado crucial sobre a restrição aos sistemas de mísseis antibalísticos”: "Quando chegamos a tudo isso, quando levantamos estas questões, quando falamos sobre as coisas que nos ameaçam, como a expansão da Otan para o Leste e o avanço de sua infra-estrutura militar em direção a nossas fronteiras, então o desejo de nos combater surge", concluiu.

Teco: No dia de hoje o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, começou uma visita de sete dias aos Estados Unidos durante o qual ele planeja fortalecer a aliança entre os dois países. "Começamos a intensificar os fortes laços entre o Japão e América, para construir a paz e a prosperidade no século XXI", disse Abe ao canal de TV NHK antes do voar para Washington. A viagem ocorre num momento em que as duas nações demonstram preocupação com o avanço econômico e militar da China na região Ásia-Pacífico. Na terça-feira Abe se reúne com o presidente Barack Obama e no dia seguinte faz um pronunciamento no Congresso norte-americano. Segundo o jornal japonês “The Japan Times”, o objetivo é produzir uma "boa impressão" nos estadunidenses. Amanhã já começam a reuniões entre os ministros da Defesa e os chefes da diplomacia dos dois países. Segundo fontes, o resultado será um novo plano para a cooperação militar entre Tóquio e Washington, inclusive no que se refere à utilização das Forças de Defesa japonesas no exterior. Antes de embarcar para Washington, a agência de notícias japonesa confirmou que Abe não irá às comemorações dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial que será realizada no dia 9 de maio em Moscou. Segundo a agência, o motivo seria a falta de progresso entre nas negociações sobre a propriedade das ilhas Curillas que Tóquio perdeu para Moscou após sua derrota na Segunda Guerra Mundial. No mesmo dia do anuncio da visita, o jornal oficial do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte “Rodong Sinmun” publicou que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, instou o exército de seu país a "revolucionar" os exercícios militares a fim de reforçar sua preparação para o combate. Segundo Kim, "fazer resistência ao inimigo é antes de tudo fazê-lo com a ideologia, as opiniões e a moral e, depois, com a força". "A superioridade moral e ideológica é a arma mais poderosa do exército revolucionário", acrescentou o mandatário norte-coreano.

Bytes: No dia de hoje ocorreu o acidente nuclear de Chernobyl. O acidente nuclear catastrófico na central elétrica da usina nuclear na Ucrânia, então pertencente à União Soviética, lançou grandes quantidades de partículas radioativas na atmosfera, que se espalhou por boa parte do território soviético e da Europa ocidental. O desastre é o pior acidente nuclear da história em termos de custo e de mortes, além de ser um dos dois únicos classificados como um evento de nível 7, classificação máxima, na Escala Internacional de Acidentes Nucleares, sendo o outro o acidente nuclear em Fukushima, no Japão, em 2011. O governo soviético procurou esconder o ocorrido da comunidade mundial, até que a radiação em altos níveis foi detectada em outros países. Naquele tempo, explicou o presidente soviético Mikhail Gorbachev: “Boa tarde, meus camaradas. Todos vocês sabem que houve um inacreditável erro – o acidente na usina nuclear de Chernobil. Ele afetou duramente o povo soviético, e chocou a comunidade internacional. Pela primeira vez, nós confrontamos a força real da energia nuclear, fora de controle”. Hoje o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, liderou a homenagem às vítimas do acidente nuclear. No ano passado, o fotógrafo Darmon Richter passeou durante 32 horas entre o que resta da cidade e registou na película as observações. Mais tarde era divulgado um vídeo de Danny Cooke que também mostra a cidade fantasma. O acidente nuclear de Chernobyl ocorreu há 29 anos.

Aparecida: A nova Guerra Fria pode resultar numa guerra nuclear?

Bytes: O que podemos afirmar é que manifestantes saíram hoje às ruas em Nova York para protestar contra bombas nucleares. Muitos ativistas eram descendentes de japoneses que traziam cartazes como "Chega de guerra, Hiroshimas e Nagasakis".

Aparecida: Por falar ainda em energia nuclear, a Polícia Metropolitana de Tóquio detectou emissões radioativas de baixo nível no drone encontrado na última quarta-feira  no telhado da residência oficial do primeiro-ministro Shinzo Abe. A origem do remetente ainda é desconhecida. O que você acha?

Bytes: O que podemos afirmar é que autoridades japonesas começaram a investigar anteontem um parque de Tóquio após detectarem níveis excessivos de radiação, com origem em algum objeto enterrado no recinto. A polícia instalou cercas em torno do local, fechando todos os acessos enquanto tenta encontrar o material radioativo. Mas nas redes sociais há a suspeita de que o acidente nuclear em Fukushima foi mais grave do que divulgado pelo governo japonês, o que modifica toda a relação da opinião pública com o Estado. Mas isso está restrito aos adeptos da Teoria da Conspiração.

Aparecida: Por falar em conspiração, o que você achou da tese de Putin no documentário “O Presidente”, exibido hoje pela TV russa?

Bytes: Putin disse que as sanções introduzidas pelo Ocidente contra a Rússia não podem ser motivo para angústia e explicou o motivo: “São pouco mais do que uma tentativa para conter o desenvolvimento da Rússia e podemos encontrar estes esforços contra em todas as épocas, inclusive no período imperial. Esta política de contenção da Rússia tem sido conhecida há séculos. Não há nada de novo e não há nenhuma razão para se sentir angustiado". Segundo ele, a impressão histórica é que o Ocidente só ama a Rússia quando ela é pedinte, como nos momentos em que o país estava precisando de ajuda humanitária. "Então aí está tudo bem e eles enviam batatas para nós”, avaliou. “As elites econômicas e políticas desses países nos amam quando estamos sem dinheiro, implorando com mão estendida, mas assim que começamos a afirmar os nossos interesses de qualquer tipo eles começam a sentir um elemento de realização geopolítica", acrescentou.

Aparecida: Por falar em interesses, o presidente da República Checa, Milos Zeman, criticou as pressões de Washington e Bruxelas para que não vá às celebrações dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial na Europa. Em entrevista ao portal "Parlamentni Listy" no início do mês, o chefe de Estado checo disse que não admite que nenhum embaixador comente os locais que visita, em referência aos comentários da diplomacia estadunidense em Praga. "Não imagino que o embaixador checo em Washington aconselhe o presidente norte-americano para onde deve viajar. Não permito que nenhum embaixador comente as minhas viagens ao estrangeiro". O que você acha? É a reafirmação da soberania?

Bytes: Apesar de Obama afirmar que a Guerra Fria acabou nos anos 90 quando a vitória econômica de Washington, o conflito se acentua pelas ruas dos países que fizeram parte da esfera de Moscou. Ontem motociclistas russos desfilaram no Cemitério do Exército Vermelho, em Braniewo, na Polônia, para lembrar o aniversário de 70 anos da vitória do exército soviético sobre a Alemanha nazista, na Segunda Guerra Mundial. O grupo denominado “Lobos da Noite”, que se fortaleceu após a anexação da Crimeia pela Rússia, pretende viajar 6 mil quilômetros num trajeto que inclui Bielorrúsia, República Checa, Eslováquia e Alemanha. Segundo o líder do grupo, Alexander “o cirurgião” Zaldostanov, os integrantes receberam a solidariedade da população polonesa. Na véspera, um casal vestido com uniformes militares dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial deu um beijou cinematográfico em Praga, munido da bandeira estadunidense nas mãos, como parte das celebrações do “Comboio da Liberdade” (acima). Recentemente, um comboio da Otan fez um trajeto pelos países que fizeram parte da esfera soviética, levando a críticas de parte da população checa. Mas a nova Guerra foi expressada durante as comemorações dos 60 anos do fim  da Segunda Guerra Mundial em 2005, em Moscou. Bush disse a Putin: “Os Estados Unidos nunca deveriam ter aceitado a partilha do mundo porque os países ocupados passaram do nazismo para o comunismo”. Putin disse a Bush: “O fim da União Soviética foi o maior erro geopolítico do século XX”. Na dialética, o colega gaiato lá da facû especulou: Zeman já está sendo chamado de novo Yanukovich, o presidente deposto da Ucrânia.

Aparecida: Por falar em Ucrânia, a Polônia disse que ajudará militarmente Kiev se a situação se deteriorar no leste do país. Na última terça-feira, o Pentágono saudou o governo polonês pela decisão de comprar sistemas de mísseis terra-ar Patriot, num negócio totalizando US$ 5 bilhões, no momento em que aumenta a tensão com a vizinha Rússia. "A Polônia é um fiel aliado da Otan e seu programa de modernização de defesa (...) fortalece diretamente a Aliança Militar", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf, acrescentando que "a diplomacia econômica para apoiar as companhias estadunidenses (...) é essencial em nossa agenda internacional". O que você acha? A situação na Ucrânia se deteriorará?

Bytes: Anteontem cerca de 15 militantes do partido Setor de Direita junto com outros ativistas atacaram um grupo de mineiros que fazia greve no centro de Kiev, segundo o líder da união independente de mineiros da Ucrânia, Mikhail Volynets,. Os grevistas protestavam contra o fechamento de minas de carvão e exigiam o pagamento de salários em atraso e a renúncia do ministro da Indústria de Carvão da Ucrânia, Vladimir Demchishin. Segundo o jornal “The Washington Post”, muitos ucranianos estão desertando do exército ou se recusando a servir as forças armadas para não lutar contra os separatistas. "Eu prefiro ficar na prisão durante três anos onde eu sou alimentado e protegido. O novo governo está no poder já há um ano, mas nós ainda precisamos de trabalhar dois dias para comprar um pão. Eu não quero lutar por essas autoridades", disse Andrei, metalúrgico da cidade de Slavyansk, convocado em março, de acordo com o diário estadunidense. Em fevereiro, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko disse que o Serviço de Segurança do país prendeu e puniu 19 jornalistas e figuras públicas que representavam uma ameaça ao regime, entre eles o jornalista ucraniano Ruslan Kotsaba que se recusou a se mobilizar pela “revolução”.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 22 de abril de 1965, cuja manchete foi “Castelo Branco anuncia nova reforma tributária”: “Em discurso que pronunciou ontem na abertura da Reunião dos Secretários de Fazenda dos Estados, o Presidente Castelo Branco anunciou que está sendo preparada uma mensagem ao Congresso, propondo substanciais modificações no sistema tributário nacional. Destacou o fato de que, com o nôvo esquema, a União estará em condições de repartir com os Estados parte do que arrecadar através dos impostos e de consumo, acrescentando que isso equivale a proporcionar melhores condições para a redistribuição da renda nacional”. E mais: “Continua sem solução o problema sucessório da UDN da Guanabara. Enquanto os nomes já indicados estão mantidos, aguardando o pronunciamento da convenção regional, registra-se um movimento de rebeldia à liderança do Governador que, no entanto, em encontro com o Presidente Castelo Branco, afirmou que a indicação do Sr. Engido Cravo Peixoto merecera a aceitação da maioria da bancada estadual udenista”. E mais: “Do editorial ´Confusão antidemocrática´. Com louvável senso de oportunidade, o Presidente da República acaba de reduzir a mais necessária inexpressividade mais um sinuoso movimento dos que se mostram interessados em perturbar o processo de restauração democrática em que, com o apoio de tôda a Nação, está lucidamente empenhado o seu Govêrno. Bastou que se anunciasse o propósito do Marechal Castelo Branco de enviar ao Congresso Nacional mensagem encaminhando emenda constitucional sôbre as incompatibilidades para que os pescadores de águas turvas saíssem a trombetear que o projeto presidencial seria um aditivo ao Ato Institucional.  Segundo esta lógica, aquêles que não foram  atingidos pelo edito revolucionário seriam alcançados pela emenda constitucional. Os pescadores se rejubilaram, oferecendo à sensibilidade democrática do povo brasileiro mais um contrastante espetáculo de intolerância”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 22 de abril de 2015, 50 anos depois: “ Em 20 anos. Verba para fundo partidário cresce 490%. Desde 96, foram gastos R$ 2,6 bi; este ano, estão previstos R$ 867 milhões. Diário Oficial de hoje publica novo orçamento que triplica recurso para legendas. O crescimento da dotação do orçamentária para partidos políticos, de 2014 para 2015, será o maior dos últimos 20 anos: 171%. O reajuste foi aprovado pelo Congresso. Em viagem a Portugal, o vice-presidente Michel Temer diz que verba deste ano pode ser contingenciada”. E mais: “Petrobras e Odebrecht travam guerra na Justiça. Estatal e empreiteira investigada pela PF movem ações de cobranças tanto no Brasil quanto na Argentina. Nos dois países, as empresas movem ações de cobranças milionárias, como mostram documentos obtidos pelo GLOBO. A guerra envolve quatro ações e uma audiência de conciliação. Uma das ações foi iniciativa da estatal, os outros quatro foram provocados pela Odebrecht”. E mais: “Negócios em alta. Babilônia de portas abertas. Favela vive boom turístico com 20 albergues e programa de imersão em sua rotina. O turista paga por pacotes para ´viver´ por dias na favela e até almoçar na casa de um morador. Vereador vê ´espetáculo da miséria´ e cria polêmica com projeto para proibir visitas”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do antropólogo Roberto DaMatta intitulado “Palavras, palavras, palavras....”: “Na semana passada, quando saía da academia onde sou visto como um velho que, inutilmente, combate a velhice, topei com o sempre zangado Mario Batalha, e com um jovem com o qual falamos de Brasil (e não apenas do Brasil) entre um e outro exercício. O treino de compreender (de interpretar com simpatia, como se faz quando se canta uma música ou se lê um poema) este Brasil pós-moderno, avacalhado pelo lulopetismo, requer um esforço tão intenso quanto aventurar-se a correr uma maratona. (...) A marca do mundo contemporâneo seria o dinheiro. Tal era a opinião do hoje esquecido ensaísta Erich Fromm, um autor muito lido e amado pela minha geração. Casamentos, filhos, títulos, doenças, paixões. Tudo podia ser monetarizado”.

Aparecida: O que você acha da palavra? Ela pode ser monetizada?

Bytes: A palavra oral só existe graça ao ar e a escrita graça à imagem.  Por ela podemos expressar o que sentimos, o que nem sempre pode ser chamado de verdade. Apenas uma pseudo-sensação de segurança. Ontem um grupo discutia sobre a herança da ditadura militar. Dizia que no tempo dos fundos previdenciários o trabalhador tinha casa e segurança. Não havia plano de saúde e o Hospital dos Servidores do Estado atendia a ministros de Estado e seus familiares. Seria para lá que iria a mulher do Mantega se vivêssemos há “meio século”. As escolas públicas tinham a tradição da excelência e se casar com uma professora formada pelo Instituto de Educação era classificado como “golpe do baú”. Para este grupo, a ditadura militar avacalhou o país. Grupos de jovens hoje, que pedem o impeachment da presidente Dilma, elogiam o “legado”. Como vemos as palavras têm grande poder, assim como as ideias.

Aparecida: Ah, entendi! Lembrou o apóstolo Thiago sobre a palavra: “Observem irmãos, como a língua embora seja um pequeno membro do corpo se vangloria de grandes feitos. Notem como um pequeno fogo incendeia uma imensa floresta. Ora, a língua é também um fogo. Com efeito, toda espécie de feras de aves, de répteis e de animais marinhos é domada e tem sido domada pelo homem. Mas a língua ninguém consegue domá-la. Ela é um mal irrequieto e está cheia de veneno mortífero. Com ela bendizemos ao Senhor, nosso Pai, e com ela maldizemos os homens feitos à semelhança de Deus. E assim, da mesma boca, provêm benção e maldição”.

Tico: No dia de hoje o chefe da diplomacia iemenita, Riad Yasin, anunciou que a operação militar Tempestade da Firmeza executada pela coalizão árabe não acabará até que os houthis liberem as cidades que ainda controlam. "A Tempestade da Firmeza contra os houthis não acabou", disse ele numa entrevista coletiva em Londres. A declaração contradiz as afirmações do presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, que chamou anteontem ao diálogo as partes envolvidas no conflito. "Não haverá compromisso enquanto os houthis não liberarem as cidades que controlam", garantiu Yasin. O chanceler ressaltou que os apelos do presidente são "inaceitáveis" dado o dano causado por Saleh ao país. A coalizão árabe, liderada pela Arábia Saudita e apoiada pelos EUA, anunciou o fim da operação militar Tempestade da Firmeza contra os rebeldes houthis no Iêmen, que durou quase um mês, e destacou o início de uma nova investida, chamada Restaurar a Esperança. Na semana passada Iêmen rejeitou categoricamente as propostas do Irã de resolver a crise e avaliar a situação atual no país, mas pediu também o fim do bombardeio ao país da coalizão liderada pela Arábia Saudita. O representante permanente do Iêmen na ONU, Khaled Alemani, se dirigiu ao Conselho de Segurança para forçar o Irã a parar a interferência nos assuntos do país. “O governo iemenita pede ao Conselho de Segurança para exigir do governo da República Islâmica do Irã que pare a sua interferência continuada, porque suas ações irresponsáveis são uma violação flagrante na unidade, integridade e soberania do Iêmen e uma tentativa de minar o governo legítimo”, disse a carta de Alemani, dirigida ao presidente do Conselho de Segurança. O documento é uma resposta à proposta de Teerã em resolver a guerra civil. Anteontem uma nota do Pentágono trouxe alívio à região. Segundo o Ministério da Defesa estadunidense, o Irã retirou uma frota de nove navios de guerra e carga perto do golfo de Áden onde passa quase metade do comércio de petróleo. Já agência estatal de notícias iraniana Irna trouxe uma declaração ontem do comandante naval iraniano, almirante Habibollah Sayyari, afirmando que a frota ainda estava levando sua missão para o golfo de Aden. Anteontem a ONU divulgou um relatório em que contabilizou 515 mortos, sendo 115 crianças e 1.185 feridos no período entre 22 e 24 de abril. Na última quarta-feira, quando uma ponte foi atingida duas vezes por aviões da coalizão liderada pela Arábia Saudita, 40 civis foram mortos, sendo sete crianças. A todo o momento os feridos são levados para os hospitais (acima). 

Teco: No dia de hoje o presidente de Israel, Reuven Rivlin, lembrou o massacre dos cristãos armênios em reunião com líderes comunitários e espirituais armênios. Foi a primeira vez na história que um líder israelense fala do massacre na semana em que foi relembrado o centenário do episódio ocorrido durante a Primeira Guerra Mundial. “O povo armênio foi a primeira vítima de um massacre em massa moderno. Não pretendemos jogar a culpa em nenhum país em particular, mas nos identificamos com as vítimas e o horrível resultado deste massacre", disse Rivil. Ele correlacionou as vítimas armênias com os judeus ao recordar o Holocausto. "Há duas semanas, o povo judeu celebrou o Dia da Lembrança do Holocausto. Após este horrível Holocausto, lembrar a tragédia do povo armênio é uma obrigação, humana e moral, para o povo judeu", afirmou Rivlin. O presidente israelense disse que o mal pode assolar qualquer povo ou grupo e rejeitou o uso "cínico" da linguagem com propósitos políticos. O representante do Patriarca armênio, o arcebispo Aris Shirvanian, expressou seu mal-estar a Rivlin porque o Estado de Israel não se referiu aos crimes sobre o povo armênio como "genocídio", e Rivlin reconheceu que os líderes israelenses devem dar mais importância a este episódio. O cônsul armênio, Tsolag Momjian, qualificou o evento de hoje de "histórico" e apontou que pela primeira vez o parlamento israelense é integrado por dois líderes de sua comunidade, Nachman Shai, da coalizão de centro-esquerda União Sionista, e Anat Berko, do direitista Likud. "O genocídio armênio não é um caso político, mas moral. E quero agradecer ao presidente que tenha criado esta oportunidade histórica de hoje", destacou Momjian a Rivlin.

Bytes: No dia de hoje foi assinado o Acordo de Saint-Jean-de-Maurienne, que definia a partilha do Império Otomano entre Aliados da Primeira Guerra Mundial. O acordo diplomático foi assinado pela França, Itália e Reino Unido em Saint-Jean-de-Maurienne, nos Alpes franceses. Ele foi redigido pelo ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, o barão Sidney Sonnino, para tentar resolver os seus interesses no Médio Oriente. O objetivo era compensar a diminuição de poderio militar no teatro militar do Médio Oriente e do Cáucaso. Nos termos do Acordo de Saint-Jean-de-Maurienne, a França ficaria com a região de Adana enquanto que Itália receberia o resto do sudoeste da Anatólia, incluindo Esmirna. Na Conferência de Paz de Paris, o primeiro-ministro grego, Elefthérios Venizélos conseguiu permissão para ocupar Esmirna apesar da oposição italiana, ignorando o Acordo de Saint-Jean-de-Maurienne que redefinia a geopolítica mundial.

Aparecida: Por falar em geopolítica mundial, o que você achou do puxão de orelha da diplomacia turca às declarações de Putin feitas durante as cerimônias para lembrar o massacre dos cristãos armênios pelos otomanos durante a Primeira Guerra Mundial? O discurso pode atrapalhar as relações estratégicas entre Moscou e Ancara? "Os últimos países a falar de genocídio foram a Alemanha, Rússia e França", observou Erdogan, exortando-os a "limpar as manchas de sua própria história". 

Bytes: O que podemos afirmar é que Washington reafirmou na semana passada que não classificará o massacre como genocídio apesar do forte lobby dos armênios no Congresso. Quanto as relações de Ancara com Moscou, vamos esperar os próximos capítulos. Putin é enxadrista e não move uma peça sem ter a convicção de atingir o xeque-mate. Mas muitos estranharam ele ter preferido Yerevan a Ancara porque economicamente o segundo é muito mais estratégico. Na semana passada o presidente do chefe da petrolífera russa Gazprom, Aleksei Miller, afirmou que consórcio russo-europeu pode construir uma extensão do gasoduto “corrente turca” através da Grécia. O ministro turco dos Assuntos Econômicos, Nihat Zeybekci, foi mais além. Em conversa com jornalistas em Moscou, ele falou sobre o acordo para uma área de livre-comércio entre os dois países que pode ficar pronto ainda em 2015. A proposta prevê a negociação comercial fora do “padrão-dólar”. Muitos analistas chegaram a falar em adesão de Ancara a Comunidade EuroAsiática, o que na prática em inviável se as declarações de Putin sobre o genocídio terem provocado ressentimento na Turquia. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Por falar no genocídio, muitos países acompanharam o papa Francisco na semana passada na classificação do massacre. Na semana anterior o Parlamento Europeu também aprovou a proposta, assim como a Alemanha, país que deseja ter “relações estratégicas” com a Turquia para a adesão à União Europeia. A Chancelaria turca divulgou uma nota repudiando as palavras do chefe de Estado alemão Joachim Gauck, afirmando: "o povo turco não vai esquecer suas palavras nem perdoar o presidente alemão". “Nós alemães, coletivamente, temos ainda que fazer uma avaliação, ou seja, se há responsabilidade partilhada e talvez cumplicidade no genocídio dos armênios", disse Gauck em pronunciamento.

Bytes: O que podemos afirmar é que o Vaticano divulgou que o papa Francisco, ao chamar o massacre de armênios iniciado em 1915 como o "primeiro genocídio" do século XX, "não quis provocar animosidade", mas convidar as partes a uma "aproximação". "O papa falou de maneira muito clara e ao mesmo tempo discreta sobre este tema", ressaltou o secretário de Estado cardeal Pietro Parolin.

Aparecida: Antes dos pronunciamentos dos líderes ocidentais, o clima parecia cordial entre Yerevan e Ancara. Na quarta-feira o presidente da Armênia Serj Sargsyan, disse que está Yerevan pronto para normalizar as relações com a Turquia. “No fim das contas, vamos estabelecer relações normais com a Turquia e o estabelecimento de tais relações deve surgir sem condições prévias”, disse Sarksyan a um grupo de jornalistas estrangeiros. Erdogan tinha feito também uma declaração pacífica. "Neste dia, que tem um significado especial para nossos cidadãos armênios, lembro com respeito daqueles armênios otomanos que perderam a vida sob as condições da Primeira Guerra Mundial", declarou o presidente em comunicado. O que você acha?

Bytes: O presidente Charles, representando o Estado britânico, compareceu à cerimônia promovida por Ancara para lembrar a batalha de Galípoli na Primeira Guerra Mundial junto com Erdogan. O conflito, com grande perdas para os dois lados, é considerado um feito histórico para reafirmar os sentimentos do moderno Estado turco. Já a Armênia, que se uniu recentemente à Comunidade EuroAsiática, assinou acordos com a Turquia em outubro de 2009 para restaurar as relações diplomáticas e abrir suas fronteiras, mas as convenções estagnaram nos parlamentos de ambos os países, com os dois lados acusando um ao outro de tentar reescrever a história e impor novas condições.

Aparecida: Por falar em condições, o Parlamento da Bulgária aprovou anteontem, após um acalorado debate, uma declaração na qual reconhece o "extermínio em massa de armênios" produzido em 1915 pelo Império otomano, mas que evita expressamente o termo "genocídio" que aparecia na proposta original de resolução. O principal partido no governo, o conservador populista Gerb, forçou a eliminação desse termo, proposto pelos ultradireitistas do Ataka, que estão desde 2006 tentando aprovar uma resolução sobre o genocídio armênio. O texto final, que fala só de "extermínio em massa" e declara 24 de abril como dia de lembrança das vítimas, foi aprovado com o voto a favor de 157 dos 240 deputados do Legislativo búlgaro. Só o partido da minoria turca, o Movimento de Direitos e Liberdades, votou contra a resolução. Seus deputados inclusive deixaram o plenário durante o minuto de silêncio que se manteve após a votação. A Bulgária, que durante cinco séculos, até o final do século XIX, fez parte do Império otomano, tem uma considerável minoria de turcos étnicos, aproximadamente 8,8% da população. O primeiro-ministro da Bulgária, Boiko Borisov, insistiu na necessidade de lembrar das vítimas, mas insistiu que é preciso diferenciar entre o Império otomano e a atual Turquia.

Bytes: O que podemos afirmar é que centenas de pessoas, entre elas líderes croatas, participaram hoje de uma cerimônia em homenagem às vítimas do campo de concentração de Jasenovac, o "Auschwitz croata", 70 anos depois de seu desmantelamento ao fim da Segunda Guerra Mundial. A cerimônia, que também contou com a participação de sobreviventes do campo e familiares das vítimas, ocorreu no memorial de Jasenovac, 100 km a sudeste de Zagreb, e incluiu um ato religioso multiconfessional. O primeiro-ministro croata, Zoran Milanovic, afirmou que a Croácia moderna, integrante da União Europeia desde 2013, se distanciou, em sua Constituição, do regime ustacha (pró-nazista) croata da Segunda Guerra Mundial. "Para mim só havia um exército croata durante a Segunda Guerra Mundial, o dos partidários croatas" que lutaram contra o regime nazista. "Os horrores de Jasenovac nos alertam e nos lembram que nunca devemos permitir a discriminação e as perseguições baseadas em diferenças nacionais, confessionais, ideológicas ou sexuais", declarou o presidente do Parlamento croata, Josip Leko.

Aparecida: Por falar em discriminação, a ONU pedir apoio ao governo britânico para “acabar com a incitação ao ódio” por jornais sensacionalistas e acusou o “The Sun” de xenofobia. Em editorial, o tabloide britânico chamou os imigrantes de “baratas”. “O racismo e a xenofobia são permitidos sob o pretexto da liberdade de expressão, alimentando um círculo vicioso de difamação, intolerância e politização dos imigrantes e minorias marginalizadas, tais como os ciganos. Em uma linguagem semelhante à utilizada pelo jornal Kangura e a rádio Mille Collines em Ruanda durante o período que precedeu o genocídio de 1994, a editorialista do ´Sun´, Katie Hopkins, afirma: ‘Não se enganem. Estes imigrantes são como baratas’”, acusou Hussein. “A história tem nos mostrado os perigos de demonizar os estrangeiros e minorias, e é verdadeiramente e profundamente chocante ver este tipo de tática sendo utilizada em todos os países”, acrescentou. O nazismo pode contaminar a Europa?

Bytes: O que podemos afirmar é que o significado para a liberdade de expressão será um tema contemporânea. Em Portugal, os jornais ameaçavam fazer boicote após os três principais partidos desejarem limitar a liberdade de imprensa. A proposta de lei prevê o envio prévio de planos de cobertura eleitoral. Jornais, revistas, rádios, TVs e sites terão de se reportar a uma comissão mista com representantes da Comissão Nacional de Eleições e da Entidade Reguladora de Comunicação Social, alguns designados pelos próprios partidos majoritários. Entre as sugestões do projeto, deve haver grandes reportagens, debate e artigos de opinião não poderão superar o espaço reservado a notícias e reportagens, e os meios de comunicação e jornalista também não podem criticar apenas o mesmo partido. Quem descumprir, pode ser multado em até € 50 mil. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Bytes: Deu no jornal de 24 de abril de 1965, cuja manchete foi “Brasil e Argentina firmam acôrdo para incrementar seu intercâmbio comercial”: “O Chanceler Vasco Leitão da Cunha encerrou ontem sua visita de cinco dias a Buenos Aires firmando com o Chanceler Zavala Ortiz acôrdo pelo qual são criadas uma comissão brasilo-argentina de coordenação, destinada a atender a tudo quanto se refira ao comércio bilateral e a fazer recomendações sôbre o mesmo, e uma comissão empresarial privada, que deverá funcionar paralelamente a outra. Os dois chanceleres assinaram declaração conjunta sôbre os entendimentos mantidos, que se referiram, especialmente, às relações políticas, econômicas e culturais entre os dois países; ao fortalecimento do sistema interamericano; ao estudo do temário da Conferência de Chanceleres, marcada para 20 de maio, no Rio; ao fortalecimento da ALALC e à constituição daquelas duas comissões”. E mais: “A indústria de maquinaria dá apoio à política de contenção de preços. O grupo de fabricante de maquinaria e de equipamentos industriais pesados, integrados na Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Base, comprometeu-se, através de pronunciamento oficial, a atender à política de contenção de preços estabelecida pela Portaria Interministerial n 71. Nesse sentido, as aludidas emprêsas enviaram carta ao Sr. Guilherme Borghoff, superintendente da SUNAB, e ao representante da entidade na Comissão Nacional de Estímulos à Estabilização de Preços”. E mais: “Do editorial ´Terrorismo´. O País repele, com a maior energia, a desesperada tentativa da implantação do terrorismo e como instrumento da ação política. Essa repulsa à violência é a de tôdas as categorias sociais que não aceitam como legítimo, em qualquer emergência da vida política, o apêlo aos recursos da intimidação e do pânico a que se reduz, em última análise, a chamada ação direta, da qual tanto fizeram a apologia os anarquistas, no seu afã de conquistar o poder”.

Aparecida: Deu no jornal de 24 de abril de 2015, 50 anos depois: “Escândalos em série. Petrobras admite até vender fatias do pré-Sal. Empresa diz que pretende ´compartilhar riscos´ para gerar caixa rapidamente. Diretores afirmam que objetivo é reduzir endividamento ea empresa, adiando projetos que tenham baixo retorno”. E mais: “Alvos ocidentais. Obama assume morte de reféns. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou a morte de um americano e um italiano num ataque à al-Qaeda. O caso renovou as críticas ao uso de drones”. E mais: “Projeto de terceirização opõe Cunha e Renan. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ameaçou ontem paralisar a votação de projetos do Senado depois que o presidente da Casa, Renan Calheiros, disse não ter pressa para votar o da terceirização”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o editorial Contas da Petrobras já refletem desastre dos últimos anos”: “A contabilidade da Petrobras já registra o impacto da desastrosa administração da estatal no período de 2004 a 2012, com as perdas decorrentes da corrupção estimadas em R$ 6 bilhões, e cerca de R$ 50 bilhões resultantes de empreendimentos mal concebidos e irresponsavelmente executados, além da depreciação de bens por conta da forte queda das cotações internacionais do petróleo. É uma boa notícia que os mercados financeiros aguardavam com expectativa. Os balanços relativos ao ano passado foram finalmente divulgados, passando pelo crivo dos auditores independentes, sem ressalvas, pois os critérios e a metodologia para contabilização das perdas tiveram fundamento técnico. É um alento, após tantos anos de intensiva ingerência política na companhia (...)  É uma página simbólica da era Lula e do primeiro mandato de Dilma que ainda precisa ser virada em nossa história”.

Aparecida: Por falar em Petrobras, a publicação da contabilidade mais “otimista” impedirá a aprovação do projeto do senador José Serra acabando com o regime de partilha para o pré-sal e muda os royalties para a saúde e educação?

Bytes: O que podemos afirmar é que houve um aumento de 70% na produção do pré-sal em março e o custo vem caindo. Em relação ao xisto betuminoso, bem vamos esperar os próximos capítulos. Em “Babilônia” o texto será alterado para uma nova novela devido à confusão de linguagem.

Aparecida: Por falar em confusão, qual será o destino da Líbia?

Bytes: O que podemos afirmar é que a Líbia fechou ontem o campo de petróleo El Feel por questão de segurança. A exploração é da é da joint-venture entre a National Oil Corp, da Líbia, e a italiana Eni.

Aparecida: Por falar em segurança, por que a ditadura não conseguiu uma relação estratégica com a Argentina mesmo no regime militar dos dois países?

Bytes: O que podemos afirmar é que os militares brasileiros deixavam estradas esburacadas no Rio Grande do Sul porque temiam uma invasão argentina, o que nunca aconteceu. O medo maior era de que a Argentina tomasse o caminho do poderio atômico. Para os capitalistas, meia palavra basta.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Isaías, “profeta de Israel”: “Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente e comei o que é bom e a vossa alma se deleite com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei um concerto perpétuo, dando-vos as firmes beneficências de Davi. Eis que eu o dei como testemunha aos povos, como príncipe e governador dos povos. Eis que chamarás a uma nação que não conheces, e uma nação que nunca te conheceu correrá para ti, por amor do Senhor teu Deus, e do Santo de Israel; porque ele te glorificou”.

Tico: No dia de hoje a Fundação Clinton admitiu “erros” em sua declaração de imposto, ao combinar doações de governos estrangeiros com doações de outras fontes. A confissão ocorreu após reportagem do jornal “The New York Times” publicou parte do conteúdo do livro “Clinton Cash”, que será lançado em maio, que denuncia eventuais conflitos de interesse pelas atividades da Fundação fundada pelo casal Bill e Hillary Clinton. Na última segunda-feira, o jornal informou que o autor do livro - Peter Schweizer - acusa os Clinton de enriquecimento pessoal, fundamentalmente através dos discursos remunerados feitos pelo ex-presidente no exterior, enquanto Hillary era secretária de Estado, entre 2009 e 2013. O livro também se refere a doações feitas por Estados e empresas estrangeiras com interesses em Washington à Fundação durante esse mesmo período em que Hillary esteve à frente do Departamento de Estado. Hoje, a diretora da Fundação Clinton, Maura Pally, admitiu que a entidade cometeu "um erro" na declaração de impostos "ao combinar as doações de governos estrangeiros com doações de outras fontes". "Nossas receitas totais sempre foram corretamente indicadas em nossas declarações", disse Pally. "Sim, cometemos erros, como pode acontecer com organizações do nosso tamanho, mas tomamos medidas para evitar que esses erros se repitam", completou Pally, que prometeu "transparência".

Teco: No dia de hoje o ditador nazista Adolf Hitler criou a Gestapo. Ela foi criada em 26 de abril de 1933, na Prússia, a partir da Polícia Secreta Prussiana. O termo Gestapo vem da abreviação de Polícia secreta do Estado e levou o governo nazista a expandir sua força para além da Prússia, para toda a Alemanha. Um dos métodos de atuação de seus membros era disfarçando-se de operários e indo "trabalhar" nas fábricas; lá, eles aguçavam os outros operários para uma revolta contra o governo, a polícia secreta passava uma lista onde os operários que estavam a favor assinavam seus nomes. Durante a noite os operários que assinavam a lista recebiam uma visita de alguns policiais fardados e com um botton de um crânio e uma águia de ferro no quepe. No dia seguinte o operário era substituído por outro, pois ninguém mais o via. O bótom em forma de crânio é a caveira símbolo das SS, ou "totenkopf", em alemão. Foi inspirada no emblema de guardas prussianos do século XVIII. Há 82 anos.

Tico: No dia de hoje foi fundada a Rede Globo de Televisão. A emissora é a segunda maior rede de televisão comercial do mundo, atrás apenas da norte-americana ABC e uma das maiores produtoras de telenovelas. A emissora alcança 98,44% do território brasileiro, cobrindo 5.482 municípios e cerca de 99,50% do total da população brasileira. Apesar de o requerimento de concessão tenha sido aberto pela Rádio Globo durante o governo de Eurico Gaspar Dutra, a autorização só foi concedida em 1957 no governo de Juscelino Kubitschek, o qual sofria enorme oposição do grupo comandado pelo jornalista Roberto Marinho. Em 1962, um acordo assinado entre a estadunidense Time-Life e o Grupo Globo proporcionou a Roberto Marinho o acesso a um capital de 300 milhões de cruzeiros, o que lhe garantiu recursos para comprar equipamentos e infraestrutura para a Globo. O acordo foi questionado em 1965 por deputados federais na CPI da TV Globo, por ser ilegal segundo o artigo 160 da Constituição, que proibia a participação de capital estrangeiro na gestão ou propriedade de empresas de comunicação. A CPI terminou com parecer desfavorável à emissora, mas em outubro de 1967 o consultor-geral da República Adroaldo Mesquita da Costa emitiu um parecer considerando que não havia uma sociedade entre as duas empresas. Com isso, a situação da TV Globo foi oficialmente legalizada. A fundação da Rede Globo ocorreu há 50 anos.

Teco: No dia de hoje nascia, há 121 anos, o nazista Rudolf Hess. Hess alistou-se no 7.º Regimento de Artilharia Terrestre da Baviera no início da Primeira Guerra Mundial. Foi ferido por diversas vezes e recebeu a Cruz de Ferro de segunda classe, em 1915. Quatro anos depois, entrou para a Universidade de Munique, onde estudou geopolítica com Karl Haushofer, um proponente do conceito de Lebensraum ("espaço vivo "), que mais tarde se tornaria um dos pilares da ideologia do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães, futuro Partido Nazista. Esteve ao lado de Hitler a 8 de Novembro de 1923 no Putsch da Cervejaria, uma tentativa falhada de golpe de Estado para o controle do governo alemão. Na prisão ajudou Hitler a escrever o livro “Minha Luta”, fundações da plataforma política do Partido Nazista. Hess continuou o seu interesse na aviação, e aprendeu a pilotar os mais modernos aviões que estavam a ser desenvolvidos no início da Segunda Guerra Mundial. A 10 de Maio de 1941, voou sozinho para a Escócia, onde esperava reunir-se com Douglas-Hamilton, o qual ele pensava fazer parte da oposição ao governo britânico, para falar sobre acordos de paz. Hess foi preso de imediato à sua chegada, e detido sob custódia britânica até ao final da guerra, voltando à Alemanha para ser julgado nos Julgamentos de Nuremberg, em 1946. Durante uma grande parte do julgamento, alegou sofrer de amnésia, mas, mais tarde, admitiu tratar-se de um estratagema. Hess foi condenado a prisão perpétua por crimes contra a paz, e foi transferido para a prisão de Spandau.

Tico: No dia de hoje morreu, há 897 anos, o primeiro patriarca latino de Jerusalém, Arnulfo de Rohes. A sua ascensão religiosa começou por ser tutor da freira Cecília da Normandia, filha de Guilherme, o Conquistador, conseguindo, mais tarde, que o irmão desta, Roberto I da Normandia, lhe atribuísse um bispado. Durante a Primeira cruzada, foi capelão deste cavaleiro. Após a conquista de Jerusalém, foi sugerido por Arnulfo de Marturana como candidato ao patriarcado da cidade. Embora, como inimigo de Pedro Bartolomeu e, consequentemente, de Raimundo de Tolosa, não obtivesse o apoio dos clérigos de França meridional, conseguiu ser eleito, com o apoio dos lorenos e dos normandos italianos, a 1 de Agosto de 1099. Arnulfo começou por expulsar, das igrejas, as várias seitas orientais que, sob o domínio árabe, haviam gozado de liberdade de culto. Alguns padres ortodoxos, antes do início do cerco de Jerusalém, tinham escondido a principal porção da verdadeira cruz, e as admoestações de Arnulfo levavam, agora, à sua recusa em conceder, ao patriarca, uma relíquia tão valiosa. Arnulfo, porém, submeteu os padres a tortura e acabou por obter a cruz. Tornou deste modo inevitável um cisma, na Palestina, entre as igrejas grega e latina.

Teco: No dia de hoje nasceu, há 34 anos, a atriz Mariana Ximenes. Nascida em São Paulo, desde pequena demonstrou interesse pela atividade artística. Começou na TV, mas vem se dedicando ultimamente ao cinema. Participa do coletivo Operação Sonia Silk, de filmes de baixo orçamento, que produziu o filme “O fim de uma era”,de Bruno Safadi e Ricardo Pretti, exibido no Festival do Rio. Atualmente, filme “O grande circo místico” com o cineasta Cacá Diegues.

Bytes: Ontem eu fui assistir ao filme “Os vingadores: Era de Ultron”, de Joss Whedon. É a segunda franquia da série da produtora Marvel que ressuscitou das cinzas com o seus super-heróis. A história começa no Leste Europeu, em guerra, no qual os dotados de superpoderes duelam. Neste contexto, irmãos gêmeos nascidos na Europa Oriental e traumatizados com o míssil que destruiu a sua casa, se juntam ao vilão Ultron gerado numa experiência malsucedida por meio da inteligência artificial que lhes dá superpoderes. É pipoca e entretenimento com humor que passa rápido apesar de ser quase duas horas e meia de duração. Detalhe: para participarem da guerra, os vingadores fazem questão de evacuar a população civil para não prejudicar inocentes. É assim que há uma cena importante no resgate de um menino ferido que deve mudar a história com a nova adesão de superpoderosos. É Hollywood. E tem uma conversa papo-cabeça para a inteligência artificial sobre a guerra: “A dialética entre caos e ordem leva ao homem à tentativa de controle”. Ultron representa os que acham que os Vingadores são os culpados pelas mazelas do mundo que vemos diariamente na TV.

Aparecida: Por falar em papo cabeça, o que você acha da inteligência artificial?

Bytes: O físico britânico Stephen Hawking acredita que o desenvolvimento da inteligência artificial pode significar o fim da humanidade. Em entrevista à BBC no ano passado, ele disse que essa tecnologia pode evoluir rapidamente e superar a humanidade, um cenário citado em filmes de ficção científica como “Blade Runner”. "As formas primitivas da inteligência artificial que já temos demonstraram ser muito úteis. Mas acredito que o completo desenvolvimento da inteligência artificial pode significar o fim da raça humana", disse Hawking. "Quando a inteligência artificial for completamente desenvolvida pelos seres humanos, ela pode progredir por si mesma, e se redesenhar a um ritmo cada vez maior". Para o físico, os humanos, limitados pela lenta evolução biológica, não poderão competir e serão substituídos. O colega gaiato lá da facû disse que o tema pode ser subsídio para uma novela da Glória Perez.

Aparecida: E como pensa o governo dos Estados Unidos?

Bytes: Deu no jornal “O Globo” de 23 de abril de 1965, cuja manchete foi “Uma bomba explode no ´Estado de São Paulo´ e confirma ameaça do manifesto  subversivo”: “O prédio onde funciona o jornal ´O Estado de São Paulo´ foi abalado, às 22h de ontem, por forte explosão. Uma bomba-relógio explodira junto ao vidro do primeiro subsolo, no setor onde funcionam as máquinas impressora. Três indivíduos, que foram vistos afastando-se a correr do local, por um guarda de trânsito, são suspeitos de terem atirado o petardo. Todavia, dada a natureza da bomba-relógio, admite-se que ela tenha sido colocada antes. A bomba foi armada com um despertador comum, e continha cêrca de 1 quilo de pólvora preta, segundo os cálculos dos policiais. Horas antes de ocorrer o atentado, os ´Diários Associados´ e a TV Record, Canal 7, receberam manifesto assinado por uma chamada Liga Armada de Resistência Democrática anunciando que iria ser jogada a bomba em ´O Estado de São Paulo´, mas que haviam sido tomadas tôdas as precauções para que ninguém saísse ferido”. E mais: “Bispo de Bragança adverte: O comunismo prepara sua desforra. Dom José Maurício da Rocha lança um brado de alerta contra o bolchevismo e a corrupção, salientando que esta é a grande meta visada para a realização dos altos planos de Moscou. Acentua que o Estado não pode ignorar êsse perigo, sendo necessário eliminar as causas que o acarretam”. E mais: “Os atuais sacrifícios levam ao progresso, diz Otávio Bulhões. O professor Otávio Bulhões disse ontem em São Paulo que são inconsistentes os resultados da primeira fase do combate à inflação. O déficit do caixa do Tesouro – afirmou o Ministro da Fazenda – baixou consideravelmente.  Dêsse modo, a causa inflacionária foi em grande parte afastada da atividade econômica. A pressão sôbre o mercado de câmbio foi diminuída, o que possibilita a manutenção de um cruzeiro mais cadente. As perspectivas de suprimento dos produtos agropecuários são confortadoras”.

Aparecida: Deu no jornal “O Globo” de 23 de abril de 2015, 50 anos depois: “Balanço da Petrobras. Estatal admite corrupção de R$ 6 bi e prejuízos de R$ 21 bi. Desvios presentaram 3% dos contratos de quase R$ 200 bilhões. Presidente da empresa assume ´vergonha´ pelo que se presenciou. Ex-diretor e doleiro são condenados”. E mais: “Aval da Câmara. Emenda que amplia terceirização é aprovada. Em nova etapa da votação, a Câmara provou ontem emenda que permite a contratação de terceirizados nas atividades das empresas. Trabalhadores poderão escolher entre responsabilizar a prestadora de serviço ou a contratante em caso de descumprimento de obrigações trabalhistas. A proposta agora seguirá para análise no Senado”. E mais: “Griesa: ´abutres´ têm direito a dados sobre bônus argentinos. Juiz não aceita pedido de urgência e manda partes buscarem acordo. Em reunião emergencial realizada em Nova York ontem, o juiz federal Thomas Griesa, que arbitra o caso da dívida argentina, rejeitou o pedido dos chamados ´fundos abutres´ para que o país e os bancos envolvidos na emissão de dívida, efetuada na terça-feira, fossem obrigados a apresentar hoje detalhes da operações. Griesa, no entanto, considerou que os reclamantes têm direito às informações e sugeriu que eles tentam um acordo para obter esclarecimentos”.

Bytes: O jornal “O Globo” publicou o artigo do colunista Luís Fernando Veríssimo intitulado “Arroz com Pollo”: “Uma vez fui a uma feira de livros em Miami e acabei num jantar para os convidados latino-americanos, oferecido pela comunidade hispânica da cidade. “Arroz con pollo”. O único outro brasileiros no jantar era o Milton Hatoum. O amazonense Milton não só falava um espanhol perfeito como — o mais surpreendente e humilhante para mim, que, como gaúcho me considerava um quase-platino com pleno domínio do espanhol, que, se não era minha língua-mãe, era certamente uma língua-tia — compreendia tudo que os outros falavam. Eu não compreendia nada. Ou apenas o suficiente para notar que o assunto principal dos presentes era Cuba, de onde a maioria era natural. (..)Miami foi o mais perto que já cheguei de Cuba mas minha filha Fernanda esteve lá, há alguns anos. Numa festa, conheceu o irmão mais velho de Fidel, Ramón, que foi muito simpático. Conversaram sobre a novela brasileira que fazia sucesso na TV cubana, na época, e Dom Ramón disse que daria qualquer coisa para saber como terminava ´Vale tudo´. E comentou: ´Como és mala Maria de Fátima!´. Os dois não tiveram problema de língua. Falavam Globo”.

Aparecida: Por falar em Cuba e o regime castrista, o acordo com os Estados Unidos? Terá ajuda do papa Francisco? Ele irá primeiro a Cuba e depois aos Estados Unidos. Ontem foi confirmada  sua ida à República Checa, país cuja maioria da população não é religiosa.   

Bytes: O que podemos afirmar é que o primeiro-ministro russo, Dimitry Medvedev, se reuniu anteontem com o vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba, Ricardo Cabrisas. Ele destacou que nos poucos meses de 2015 diversas personalidades e líderes russos já visitaram a ilha do Caribe. Além disso, ele descreveu como bem-sucedida a recente sessão especial da Comissão Intergovernamental sobre cooperação comercial-econômica e técnico-científica, realizada em Kazan. Medvedev lembrou que no próximo 9 de maio Moscou receberá a visita do presidente de Cuba, Raúl Castro, que comparecerá ao desfile militar dedicado ao aniversário de 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial, na Praça Vermelha. “Gostaria de aproveitar a oportunidade e enviar meus cumprimentos e os melhores votos a Raúl e Fidel Castro”, disse o premier russo.   

Aparecida: A linguagem da Globo é universal?

Bytes: A Globo representa hoje para o Brasil o que Hollywood representa para o cinema mundial. Não há lugar no mundo onde não passa uma novela da Globo com o “jeitinho brasileiro”. A emissora também foi responsável pela “identidade nacional”.  

Aparecida: A Globo é herói ou bandida? Muitas postagens na rede social pediam o fim do monopólio da emissora por ter sido nefasta para o país.

Bytes: A Globo é humana, assim como a direita americana é igual em todo o continente. Bem-vindo à América Raúl Castro. Como demonstro em meu conteúdo, a “imprensa velha” é que infla o “insípido” PT. É a América, o “novo mundo”. Ontem, um protesto em Baltimore lembrou junho de 2013, só que com pouco destaque na imprensa brasileira. 

Aparecida: Por falar em imprensa brasileira, a revista “Veja” deste fim de semana publicou que o engenheiro Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, tem cogitado fazer delação premiada na Operação Lava Jato que pode chegar ao ex-presidente Lula. Uma das denúncias é que um pedido de Lula feito em 2010 para que o ex-presidente da OAS providenciasse a reforma do sítio Santa Barbara, em Atibaia, interior de São Paulo. A reportagem sustenta que o sítio é identificado por políticos e amigos como sendo do ex-presidente, embora no cartório da cidade esteja registrada oficialmente por R$ 1,5 milhão em nome de Jonas Suassuna e Fernando Bittar, ambos sócios de Lulinha, filho do ex-presidente.

Bytes: Parece aquela história de que Lulinha é sócio da Friboi, que foi muito usada na campanha de 2010, mas sempre desmentida. Se é verdade ou não, eu já estou convicto. Segundo o colega gaiato lá da facû, Goebbels ensinou aos nazistas: “Uma mentida contada várias vezes vira verdade”.

Aparecida: Por falar em campanha, o TSE multou em R$ 30 mil a coligação da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff por propaganda irregular no site Muda Mais, durante as eleições de 2014. Mas o Tribunal não vê razões para o processo de impeachment. Nesta semana um grupo de parlamentares do PSDB pretende protocolar o pedido. A “pedalada fiscal” é motivo para impeachment?

Bytes: A “pedalada cambial” do Plano Real que fez FHC não desvincular artificialmente o dólar da moeda nacional seria motivo para impeachment por ter nos levado ao FMI? O que sabemos é que o senador tucano Cássio Cunha Lima, que teve o seu mandato de governador cassado por duas vezes acusado de irregularidades na campanha, defende o mesmo para Dilma porque assim Michel Temer também não seria empossado como Itamar Franco.

Aparecida: Por falar no Temer, o chefe da diplomacia espanhola agradeceu aos “países amigos” e a intermediação do vice-presidente brasileiro pelo fim do impasse diplomático com a Venezuela. O embaixador espanhol em Caracas, Antonio Pérez Hernández, voltará "nas próximas horas" ao país sul-americano. O que você acha?

Bytes: O que podemos afirmar é que os argentinos foram ontem às urnas para participar das primárias que definirão os candidatos a chefe de governo da cidade de Buenos Aires. A oposição comemorou o fato da capital ainda ser contra o kircherismo. Viva a democracia no continente! Viva!

Aparecida: Por falar na Argentina, a presidente Cristina Kirchner se reuniu com o colega russo Vladimir Putin em Moscou na última quinta-feira (acima). O encontro foi marcado por uma série de anúncios de cooperação. O russo anunciou que financiará a sexta central nuclear do país, fornecendo tecnologia de ponta, além de uma hidrelétrica e um memorando de cooperação em Defesa. Ele ainda anunciou que apoiará as investidas argentinas por novas negociações com o Reino Unido sobre as Ilhas Malvinas. Haverá problema com Londres? O Brasil temerá uma Argentina nuclear?

Bytes: Os analistas afirmam que foi uma bofetada portenha em Washington por patrocinar os fundos abutres. O importante é que quando acabar o tempo dos “anciãos das horas” todo mundo vai rir, inclusive eles próprios. A diferença entre os capitalistas e os socialistas é que o primeiro precisa da “visão de longo prazo” e o segundo expressa o estágio do seu coração. Sobre o “distanciamento histórico”, disse Nosso Senhor aos escribas e fariseus, cegos e hipócritas: “Não me venham vocês dizendo que se vivessem no tempo dos profetas não teriam feito o que seus antepassados fizeram com eles”. Porque sabiam que tinha sido condenado à morte, assim como os pais que dormiram fizeram com Zacarias.

Aparecida: Ah, entendi! Revelou Zacarias, “profeta de Israel”, sobre a salvação da humanidade: “Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta. E de Efraim destruirei os carros, e de Jerusalém os cavalos; e o arco de guerra será destruído, e ele anunciará paz aos gentios; e o seu domínio se estenderá de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra. Ainda quanto a ti, por causa do sangue da tua aliança, libertei os teus presos da cova em que não havia água. Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também hoje vos anuncio que vos restaurarei em dobro. Porque curvei Judá para mim, enchi com Efraim o arco; suscitarei a teus filhos, ó Sião, contra os teus filhos, ó Grécia! E pôr-te-ei, ó Sião, como a espada de um poderoso. E o Senhor será visto sobre eles, e as suas flechas sairão como o relâmpago; e o Senhor Deus fará soar a trombeta, e irá com os redemoinhos do sul”.

AO “MEIO SÉCULO” DA GLOBO

Rio de Janeiro, 26 de abril de 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exibições: 409

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço