Oswald de Andrade: Marx & Nietzsche & Freud e o Pensamento Selvagem

“Hora de reler Oswald de Andrade. O homem nu compreenderá”, Eduardo Viveiros de Castro.

O personagem "mauricinho" criado por Oswald, "Machado Penumbra", pergunta sobre  "João Miramar": Será esse o brasileiro do século XXI?

Oswald de Andrade: Marx & Nietzsche & Freud e o Pensamento Selvagem:

(...) “O pensamento selvagem está centrado num Deus como supremo mal, ao contrário da civilização judaico-cristã, que esta centrada num Deus como supremo bem.

O supremo mal quer dizer o seguinte, que nós ao nascermos, temos como limite (tabu), o pecado original, mas para Oswald de Andrade, a modernidade já é a crise da filosofia messiânica, ele propõe transformar tabu em totem.

Oswaldo de Andrade foi muito confundido, desde que ele foi redescoberto nos anos 60, e virou uma coisa que todo mundo sabe, que corre nas veias, que a antropofagia é a mistura de tudo com tudo, uma maionese geral, em que se pode misturar isso com aquilo que está tudo bem. Isso é uma bobajada que não corresponde à originalidade e a força do pensamento de Oswald de Andrade, na qual nós estamos muito atrasados na leitura de seus escritos.

“O antropólogo, Eduardo viveiros de Castro, que eu considero de fundamental importância para a contemporaneidade, disse que Oswald de Andrade percebeu agudamente, identificou a questão no Manifesto Antropófago: ‘Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do antropófago’, e Eduardo Viveiros de Castro ironizou dizendo, ‘Lei do Antropólogo”. No pensamento indígena, o pensamento selvagem ameríndio, está centrado em que, eu tenho que me colocar no lugar do outro, o outro é um eu.

José Miguel Wisnik, (Des)Construção do futuro,

Conferência da série Mutações - O futuro não é mais o que era. Agosto, 2012.

 

Conferência da série Mutações - O futuro não é mais o que era. Agosto, 2012.

Sinopse: (Des)Construção do futuro, José Miguel Wisnik

Segundo Wisnik, o mix de Oswald entre Marx&Nietzsche&Freud e o Pensamento Selvagem (desde anos 20 até anos 50, "A Crise da Filosofia Messiânica- Tese para concurso da cadeira para a Faculdade de Filosofia Ciência e Letras da USP de 1950 (Foi reprovado pela "elite letrada (???) paulista quatrocentona" (sic, sic!) do pensamento uspiano). Wisnik diz que não conhece paralelo na literatura, Oswald pode ter sido o primeiro, a confirmar.

Se você ainda não leu este livro: Debt: The First Five Thousand Years, David Graeber, minha sugestão é que leia.
Fui comprar na amazon semana passada, mas antes de dar "one click", quis saber mais sobre o antropólogo americano, anarquista, ativista e filho de um ex-comunista dos anos 30, acabei caido num site de esquerda e anarquista, em que o livro estava inteirinho, digital e não escaneado, para dowload (o que fiz, mas também comprei o livro, pois papel é sim importante), essa internet é o que é, surpreendente, inimaginável, será o principal vírus da queda do império e da cultura anglo-saxã?

Essa pergunta-provocação, ou semelhante, sobre os sinais de declínio-descendência da cultura anglo-saxã euro-americana, venho fazendo desde o ano passado aos estrangeiros que tenho oportunidade de assistir dando palestra aqui. Em linhas gerias, ponto contínuo, ficam com a cara vermelha e evitam responder. Claro não é uma resposta fácil, se é que tem resposta. Como lembra Adauto Novais sobre Santo Agostinho: "O futuro não existe, quem o nega? Apesar disso, sua espera já está no nosso espírito”.

Gilberto Gil já cantou em verso e prosa, "Se oriente rapaz". A grandiosa contribuição aglo-saxã ao longo do tempo ao pensamento humano, permanece, mas essa visão, a criação do "conceito" de mundo europeu global desde o renascimento, creio que não se sustentam, tem data marada, ou não?

Creio que não vamos viver tanto para saber esse desfecho-resposta, a jornada humana é do tempo breve, mas leitor que somos de Guimarães, e Descarte, "não sei de nada , mas desconfio de muita coisa", como diria Braudel, bem diferente do tempo longo, estrutural ("Longue Durée"), algo acontecerá, é possível. Quem viver verá!

Oswald de Andrade é um gênio genuinamente brasileiro-ameríndio-global, o que Graeber diz hoje, muita coisa já foi dita por Oswald quase um século atrás, e não foram poucos que desceram a lenha e o pau (o pau eles) entre eles, Drummond, Bandeira, etc&tal, mas o "Pau Brasil Antropófago" de Oswald renasce dos cinzas feito fênix, e o amigo de Oswald, Antonio Cândido, como disse de longa data e na FLIP 2011, meninos eu vi. 

Palestra (fala, podcast que gravei) para download de José Miguel Wisnik:

Wisnik_DesConstru%C3%A7%C3%A3o.m4a

Debt: The First Five Thousand Years

Debt_The%20First%205.000%20Years.pdf

File:Debt Graeber.jpg

OCTÁVIO PAZ: Los Hijos del limo_1974

Paz%2C%20Octavio_Los%20Hijos%20del%20limo_1974.doc

 

ReOIENT: Global Economy in the Asian Age (Andre Gunter Frank, 1998)

ReORIENT: Global Economy in the Asian Age

The World System: Five Hundred Years or Five Thousand? (Frank, 1993).

 The World System: Five Hundred Years or Five Thousand?

 

Exibições: 294

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço