seus olhos são
peixes distantes
distintos feixes
de luzes errantes
capaz de beber o céu
em seu azul de paz

amarra-se aos encantos
da moça mais bela
na mística devoção
de todos os santos

mas quando tornamo-nos pária
a hora agita-se arbitrária
e a vida... irremediavelmente precária
...para o longe não tem estrada
 
rolaram as águas mortas das lembranças
e com elas vieram as armas

o duelo era mais do que natural
pois o bem e o mal vestem igual

                                                                           
       (José Carlos de Souza)

Exibições: 61

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço