para BLITZ da Educação do Especial JORNAL NACIONAL no Ar

 A ESCOLA E O PROFESSOR
 
                                                  J. R. Guedes de Oliveira
 
         Compulsando antigos jornais, mais detalhadamente a “Gazeta de Capivary”, descobri esta preciosidade de texto, produzido pela redação do dito diário interiorano.
 
         Num momento como este, pelo qual a classe do magistério passa por enormes dificuldades salariais e de condições materiais para o exercício profissional, é de bom alvitre dar conhecimento do que se falava, se pensava e se propunha há 100 anos atrás.  Vale, pois, como reflexão.
 
         “O homem, na grandiosa e admirável harmonia do universo, segue uma marcha natural, vive e passa. Daí, o elo contínuo que prende os pedaços desjuntos dessa grande cadeia que chamamos sociedade. Enquanto à sombra de seus louros, cercados das ostentações impassíveis aos gloriosos conquistadores do saber, a mocidade de hoje, que é o elemento constitutivo da sociedade do amanhã, entra para a escola, a educação sublime e benfazeja, assenta a sua base no seio infatigável do povo, levanta seus últimos degraus no cume dos triunfos mais completos que o espírito humano tem alcançado. A escola é o santuário que oculta a âmbula de nossas afeições mais santa; o templo onde arde o facho da razão que ilustra e onde educa o coração par amar. Ilustrar a inteligência, educar o coração, abrir novos horizontes ao espírito humano – eis os três grandes objetivos da escola. Escola é o templo onde todas as nossas aspirações se reúnem  num só ideal de luz, quando a essência de nosso pensamento é Deus. Cultivar o espírito, criar na inteligência um novo mundo cheio de primores, libertar o espírito das trevas – tal é a missão evangelizadora da instrução. Para esse fim, basta uma capacidade medíocre, a par de uma boa vontade gigantesca.  O mais difícil, porém, é a formação moral da mocidade, sobre cujos braços necessariamente tem de repousar os destinos supremos da pátria estremecida.  Adornar esses corações com virtudes, falar-lhes a linguagem do estímulo e da persuasão, guiá-los, como Moisés, pelo saibro adurente, em uma palavra, acender em seu peito a chama sagrada do amor filial e pátrio – é esse espinhoso mister confiado ao apóstolo da luz, da verdade e do direito – o professor. A escola é, pois, esse recinto silente e sagrado, onde a criança logo ao despontar do raciocínio, embalsama o espírito com as hostes da ciência. Ela é necessária ao homem, como ao astro o seu centro de gravidade.  Um povo sem instrução é um cérebro vazio. Assim, se o sol é o rei do dia, a cátedra é um sacrário aberto que o espírito humano comunica a luz e a vida.  E o mestre, como sempre, é o mesmo sacerdote devoto e ilustrado, fiel observador dessa divisa sagrada, através dos séculos – só por si uma epopéia sublime: Deus, Pátria e Liberdade!”  

 (Redação do jornal “Gazeta de Capivary”, edição de 26.01.1908).
 
         

Exibições: 104

Comentário de Delcio Marinho em 18 maio 2011 às 5:32

minha avó MARIA FRANCISCA PEREIRA MARINHO , Medalha UPPE
MARIA FRANCISCA PEREIRA MARINHO ( 1909 - 1998 ), a irmã de JILDO


O entusiasmo de Maria Francisca Pereira Marinho, com 36 anos na época, contagiou as demais professoras que se reuniram numa tarde de agosto de 1945, na tentativa de serem recebidas no Palácio do Ingá, Sede do Governo Intervencionista que representava a ditadura do Presidente Getúlio Vargas.

O descaso dos governantes de então, não tão diferentes dos de hoje, quando se trata de atender reivindicações de professoras para obtenção de melhorias de condições de trabalho, foi flagante, consta de relatos da época. Mas a professora MARIA FRANCISCA PEREIRA MARINHO não se arrefeceu e , ali mesmo, na porta do Palácio do Governo, para onde tinha conduzido os 150 colegas, vindos de toda parte do Estado do Rio, discursou inflamadamente sobre a premente importância da criação de uma entidade representativa da categoria ...

A proposta foi adiante e no dia 8 de setembro 1945, durante reunião, realizada no Club dos Funcionários " com membros do magistério, com o objetivo de tratar exclusivamente dos interesses da classe ". como consta da Ata de fundação da Entidade. Como seria natural MARIA FRANCISCA, a primeira Presidente da Entidade " Partido da Educação ", defendendo a bandeira de todos os professores

MARIA FRANCISCA, que colocou todo o conhecimento político , adquirido através da conceituada família, cujos membros tinham tradição na política de Democratização do Brasil ... merecidamente, dá nome ao Prêmio UPPE Medalha Maria Francisca Pereira Marinho


' a ARVORE na Intimidade " ( DM )
minha avó Maria Francisca Pereira Marinho é a irmã de Astrojildo Pereira ( filhos de Isabel e Ramiro , meus bisavós , avós de minha mãe ) Astrojildo Pereira Duarte Silva (Rio Bonito, 1890 — RJ 1965) escritor, jornalista, crítico literário e político brasileiro, Fundador do Partido Comunista do Brasil, em 1922

Comentário de Delcio Marinho em 18 maio 2011 às 5:38

o Plano de Metas

programa de governo planejado e implementado no governo de Juscelino Kubitschek

JK assumiu o poder em 1956 e, por meio desse programa,

lançou o objetivo do Brasil crescer “cinquenta anos em cinco”

Comentário de Delcio Marinho em 18 maio 2011 às 5:42
Comentário de Delcio Marinho em 18 maio 2011 às 6:07
Comentário de Delcio Marinho em 18 maio 2011 às 8:28
 equipe JORNAL NACIONAL

 

Cumprimentà-los pela Manutenção do Tema EDUCAÇÃO

PARABÉNS Ótimas Reportagens

 

 

a Base de cada Estado é a Educação da Juventude

DM

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço