Partido "Justiceiro", tramoias e associações ameaçadoras

A vergonha não é mais empecilho para as jogadas golpistas, a luz do dia e publicadas pela imprensa conservadora, como "edificantes verdades".  Gilmar Mendes é cortejado pelo PSDB e DEM, mas Merval e a Globo só se importam em atacar Lula...

As últimas ações dos ministros do STF não deixam dúvidas sobre o momento de exceção que o Judiciário está impondo ao Brasil, sem qualquer disfarce.
A mais alta Côrte do Brasil, alinhada aos interesses políticos da oposição e patrocinada pela mídia hegemônica, arroga para si o discernimento sobre decidir, isoladamente, aquilo que julga importante e o que não é para o conjunto da sociedade brasileira.
Segundo as últimas manifestações de ministros do STF, o Parlamento do país virou um anexo de suas decisões, um mero operador das idéias do Supremo.  Logo, tal qual o Executivo, subjugado pelo poder político-midiático do Judiciário.

Mais além: o STF decide sobre aquilo que é grave e merece o julgamento e os holofotes da imprensa, amplificado pelos discursos de tucanos reproduzidos pelo Jornal Nacional, com rótulos de verdades inquestionáveis .

Oras, perceber a parcialidade e a tramóia rolando solta a luz do dia, nunca foi tão fácil na história deste país.
Então quer dizer que a lista de Furnas ou as investigações sobre o crime organizado que comandou Goiás, não são relevantes?  Não merecem notas de repúdio e repercussão, também, relevantes?
Qualquer tentativa de passar a limpo crimes cometidos pelos aliados do STF e da imprensa só tem merecido desqualificação ou silêncio [cumplicidade]?
E o que dizer do escândalo em que Aécio Neves protagonizou, denunciado pelo "Novojornal", em que o senador mineiro, teria obtido recursos da ordem de R$36 milhões de maneira ilícita?
continue lendo

Exibições: 124

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço