Paulo Arthur Mendes Pupo Nogueira nasceu em 08 de outubro de 1929, em Campinas (SP), e desde a infância manifestou tendência para as artes, especialmente desenho e música.

Na década de 1950, já em São Paulo, trabalhava como desenhista, atuava na noite e nas rádios Bandeirantes e Gazeta, como solista, e, no finalzinho dessa década, lança seu primeiro LP pela CBS, intitulado "A Voz do Violão", gravando, entre outras, "Abismos de Rosas", de Américo Jacomino - o Canhoto, "Luar do Sertão", de João Pernambuco e Catulo da Paixão Cearense e "Na Baixa do sapateiro", de Ary Barroso.

Em 1964 começa a ministrar aulas de violão, atividade que desempenha por toda a vida. Inúmeros alunos passaram por ele, mas o mais notável foi Toquinho, que era super receptivo à aprendizagem, estimulando, por sua vez , o professor no preparo das aulas, já que o processo ensino-aprendizagem é uma via de mão dupla.



No ano seguinte é contratado pela TV Record, de São Paulo, tendo atuação fixa no prograna "O Fino da Bossa", apresentado por Elis Regina e Jair Rodrigues, onde defilaram nomes que fizeram história na música brasileira, como Edu Lobo, Chico Buarque, Zimbo Trio e Rosinha de Valença.

Esmerado no ofício de ensinar, organiza e publica seu "Método de Harmonia para Violão", que já está com mais de 20 edições, adotado até hoje no país e no exterior. Versátil em tudo o que faz, Paulinho não ficou só no violão: consegue unir seu enorme talento musical ao de desenhista, projetando a "Craviola", um novo instrumento, com doze cordas de aço. O som é uma mistura da viola caipira com o cravo. A fábrica Giannini passa a produzi-la em larga escala, exportando para os Estados Unidos e Europa.

Em 1970 sua composição "Menina" alcança o primeiro lugar nas paradas de sucesso em todo país, batendo recordes de vendagem e execução, com gravações, também, na Itália e França.

Devido ao seu grande envolvimento na função de professor e intérprete, seu lado compositor não sobressaiu-se tanto, mas as sessenta composições que deixou foram de alta qualidade, como "Simplesmente", "Menino desce daí", "O jogo é hoje"... E as parcerias com nomes do naipe de Paulo Vanzolini, em "Boneca" e ""Valsa das três da manhã" e de Paulo César Pinheiro em "Catarina" e "Violão de Madeira", dos dois e de Eduardo Gudin. Dentre suas criações instrumentais as "Bachianinhas nº 1 e 2" são primorosas e indispensáveis para os alunos de violão.

Em 1979, com a abertura política começando a delinear o fim da ditadura militar, aceita convite de Chico Buarque para participar do "Carifesta" - Festival Internacional de Países do Caribe -, realizado em Havana, Cuba. A Itália foi o país da Europa onde ele mais se apresentou, em Festivais de Violão e outros eventos similares.

Seu último trabalho foi o CD "Chico Buarque - Primeiras Canções" (Trama), versões instrumentais das primeiras composições de Chico. Um novo mas fiel olhar sobre o lado instrumental das obras históricas do famoso letrista.

Com Toquinho gravou vários discos, mas o mais marcante, na minha opinião, foi "Sempre Amigos", em 1999, onde Toquinho canta "Choro chorado para Paulinho Nogueira", composto por ele, Vinícius de Moraes e o próprio Paulinho, no qual o aluno relembra a emoção das aulas de violão.

"...Ah, como eu lembro ainda, cheio de gratidão,
A hora entardecente, a nostalgia infinda
No modesto ambiente da casinha da praça
E eu em estado de graça por estar aprendendo a tocar violão....".


Ele nos deixou em 02 de agosto de 2003, dois meses antes de completar 74 anos de idade. Dois meses após sua partida os amigos prestaram-lhe um espetacular tributo, "De Coração para Coração", show gravado ao vivo no Tom Brasil - Vila Olímpia, em 27/10/2003, reunindo 34 dos maiores artistas nacionais, um marco para o violão brasileiro, onde encontros inéditos e repertório primoroso contam a história, e revelam a identidade, de um grande homem, mestre atemporal da sensibilidade.

Como professora/educadora que sou, não tem nada mais gratificante para nós do que nossos alunos sentirem-se instigados a crescer em seus propósitos. E Paulinho Nogueira foi um grande Mestre nesse sentido.

Laura Macedo.

Curtam a seleção dos quatro vídeos, feita com todo carinho, para vocês. Confesso que a tarefa não foi fácil.... É muita coisa boa produzida por Paulinho Nogueira.



"Menina", música popularizada pela trilha sonora da novela "Irmãos Coragem", conquista o 1º lugar nas paradas de sucesso.



Segundo Paulinho, "Ária na Quarta Corda", de J.S.Bach, é a música da sua vida, a mais importante da história da humanidade. Mesmo antes de aprender a tocar violão já tinha admiração por ela, quando seu pai a ouvia em 76 rotações.

"Bachianinhas nº 1" é considerada uma obra prima violonística, estudada e executada até hoje por alunos e profissionais do violão.


Essa música, "Choro Chorado para Paulinho Nogueira", tem uma história interessante. A primeira parte, que é mais choro, foi composta por Paulinho Nogueira, quando era professor de Toquinho, passando para o aluno a tarefa de fazer a segunda parte. Depois de um tempo (10 anos), Toquinho conclui a segunda parte que é mais samba, e mostra para o parceiro Vinícius de Moraes que coloca a letra.
Numa tarde os dois chegam de surpresa na casa de Paulinho e, finalmente, o aluno dá conta da "tarefa", e os três, emocionados, tocam/cantam o "Choro Chorado para Paulinho Nogueira".

Exibições: 705

Comentário de Carlos em 3 outubro 2008 às 22:46
Laura,

A sua página é especial!

Bela homenagem ao Paulinho Nogueira. A craviola conquistou o mundo, não é mesmo?
Comentário de Helô em 3 outubro 2008 às 22:55
Laura querida
Que coisa boa foi escutar "Menina". Os outros vídeos também são lindos, mas o primeiro me fez sentir uma gostosa nostalgia. Bela a sua homenagem ao grande mestre Paulinho Nogueira. Você diz que aprende lá e eu digo que aprendo cá :)
Beijos e bom fim de semana.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço