Paulo César Pinheiro - Histórias das minhas Canções (I)

 

 

Com tom informal e afetivo, Paulo César Pinheiro relata as histórias de suas canções como se estivesse numa mesa de bar com amigos. Ele contabiliza mais de 2000 composições, 1000 músicas gravadas e inúmeras histórias com os mais diversos parceiros – de Pixinguinha a Lenine, passando por João Nogueira, Baden Powell, Tom Jobim para citar alguns poucos.

 

 

Deste vasto repertório, Paulo César Pinheiro escolheu canções representativas que compõem a linha mestra da sua obra e ilustram importantes páginas da história da MPB.

 

 

Generoso, o poeta compartilha conosco a intimidade da sua criação. O livro todo é uma delícia que pretendo socializar com vocês através desta série batizada por mim de: Paulo César Pinheiro – Histórias das minhas Canções.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comecei a compor música e escrever versos aos 13 anos. Claro que neste início era tudo fraquinho. Foi um tempo, porém, de exercício cotidiano e aprendizado veloz. No ano seguinte eu já fazia coisa séria.

 

 

 João de Aquino e Paulo César Pinheiro

 

 

Aos 14 anos, ainda criança, eu levava minha vidinha de subúrbio, jogando bola de gude, rodando pião e batendo bola, mas a música já havia me enredado em suas cordas. Uma canção, feita nesta época, carimbou pro mundo meu passaporte e minha carteira de trabalho. Com ela senti que estava sinado. João de Aquino meu primeiro parceiro, gravou, numa fitinha, a melodia ainda inexata e de andamento rápido demais. Levai pra casa. Na manhã seguinte, a moçada me chamando pras partidas de búlica, zepe e triângulo valendo grana, e eu ali no meu quarto, completamente tomado, rabiscando as estrofes, querendo terminar logo, pra ir pro gude e defender um cascalho. Da música, contudo, eu já era servo, cativo, prisioneiro, refém.

 

 

 

A letra foi ralentando a canção, transformando-a em valsa e definindo as notas. Era meio dia e pouco quando dei por finalizada essa ourivesaria. Meu pai acabara de chegar pra sua hora de almoço. Passou por mim, deu a clássica balançada de cabeça em sinal de reprovação e partiu bravo pra mesa. Ele ainda não entendia o que aquilo tudo significava e era contra eu ser compositor. Achava coisa de vagabundo, que ia atrapalhar meus estudos.

 

- Isso não dá camisa pra ninguém – dizia.

 

Cantei mais um pouco pra decorar e chispei pro jogo.

 

 

 

Só mais tarde fui perceber a beleza que fizera. Era já de noitinha. Corri pra mostrar ao João. Que se encantou. Ela foi gravada primeiro, pelo Baden, instrumentalmente, depois pela Márcia em 1968, e finalmente por Marisa Gata Mansa que a imortalizou. Virou seu cartão de visitas, e, por extensão, meu também. É, Talvez, a mais gravada das que eu fiz, no Brasil e no exterior, a que me dá mais direito autoral e a que me faz sentir realmente um criador.

 

 

Chama-se...   VIAGEM.

 

 

 

Viagem” (Paulo César Pinheiro/João de Aquino) # Marisa Gata Mansa

 

 

Ô, tristeza me desculpe
Estou de malas prontas
Hoje a poesia
Veio ao meu encontro
Já raiou o dia
Vamos viajar
Vamos indo de carona
Na garupa leve
Do vento macio
Que vem caminhando
Desde muito longe
Lá do fim do mar.

Vamos visitar a estrela
Da manhã raiada
Que pensei perdida
Pela madrugada
Mas que vai escondida
Querendo brincar
Senta nessa nuvem clara
Minha poesia

Anda, se prepara
Traz uma cantiga
Vamos espalhando
Música no ar

Olha quantas aves brancas
Minha poesia
Dançam nossa valsa
Pelo céu que o dia
Faz todo bordado
De raio de sol
Ô, poesia me ajude
Vou colher avencas,
Lírios, rosas, dálias
Pelos campos verdes
Que você batiza
De jardins do céu
Mas pode ficar tranqüila
Minha poesia
Pois nós voltaremos
Numa estrela guia
Num clarão de lua
Quando serenar
Ou talvez até quem sabe
Nós só voltaremos
No cavalo baio
No alazão da noite
Cujo o nome é Raio
Raio de luar

 

 

Paulo César Pinheiro fala da importância desta música na sua vida e Fabiana Cozza interpreta lindamente “Viagem

 

 

 

 

 

FONTES

 

1- Livro

 

 

 

 

 

 

 

- Histórias das minhas Canções – Paulo César Pinheiro. – São Paulo: Editora Leya, 2010.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2- Disco - Álbum "Viagem", de Marisa Gata Mansa (Site #radinha).

 

Exibições: 844

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço