PAULO SZOT - O MAIS FAMOSO BARÍTONO BRASILEIRO NO THEATRO SÃO PEDRO. CRÍTICA DE ALI HASSAN AYACHE NO BLOG DE ÓPERA E BALLET.

   

   O Theatro São Pedro/SP abre a temporada de Concertos Internacionais com o mais afamado cantor brasileiro em terras estrangeiras. Paulo Szot é barítono que fez fama ao conquistar o prêmio Tony por um musical na Brodway, depois disso sua carreira decolou e não faltaram convites para cantar nos maiores teatros líricos do mundo. Fiquei surpreso ao ver seu nome na programação do pequeno teatro paulistano, sempre o critiquei por não cantar mais em terras brasileiras, aquele Candide feito com a OSESP no ano passado com vozes microfonadas não vale.  
   A verdade é que a direção do Theatro São Pedro não faz as bobagens que a OSESP adora fazer e o programa foi diversificado e condizente com o nível do barítono. Abre com Gustav Mahler e o ciclo de  quatro canções Des Knaben Wunderhorn. Compostas no  início da carreira de Mahler e anos mais tarde seriam influência para sua terceira sinfonia. O caráter musical delas oscila entre o tenro e o dramático onde o barítono é obrigado a interpretar diversos personagens em uma mesma canção. Paulo Szot esteve a vontade com domínio vocal, técnico e cênico do ciclo. Sua voz apresentou graves cheios, robustos e maleáveis que chegam a agudos brilhantes. As quatro canções tem material heterogêneo e o desafio do solista é dar consistência a elas. Szot colocou sentimentos, dores , alegrias e interpretou-as com grande emoção.
   Após o intervalo o publico foi brindado com trechos de óperas. O ponto alto da segunda parte foi a aria Era um Tramonto d'oro de Colombo de Carlos Gomes. Paulo Szot abusou da grande técnica com voz melódica repletas de pianíssimos e um timbre colorido e luminoso. Nas árias da ópera Eugene
gin de Tchaikovsky e Die Walküre de Wagner a voz de Szot oscilou e pequenas falhas vocais ficaram nítidas. Mozart é sua especialidade e da ópera Le Nozze de Figaro interpretou Hai già vinta la causa conseguiu imprimir um  excelente estilo mozartiano.
   A Orquestra do Theatro São Pedro regida por Luiz Fernando Malheiro acompanhou com sonoridade pujante, muitas vezes delicada e as vezes intensa a interpretação do solista. Sua musicalidade esteve a altura do evento com naipes uniformes e músicos capacitados. Desafios ao longo do ano estão por vir em uma programação diversificada de óperas e concertos e a orquestra da casa parece pronta par enfrentá-los.
   A julgar pelo primeiro Concerto Internacional o ano promete, nomes de peso do canto lírico estão listados na programação para se apresentarem no palco do São Pedro. Paulo Szot foi o primeiro de uma lista de vários.
Ali Hassan Ayache  

Foto, Paulo Szot  - Internet.

Exibições: 335

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço