"Jornalismo é a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter." Cláudio Abramo (1923-1987)

CARTA AO JORNAL FOLHA DE S. PAULO


Ao jornal FOLHA DE SÃO PAULO.
Prezados: Editor e Ombudsman,

Reiteradas vezes, tenho escrito a este jornal, protestando sobre a linha editorial canhestra, que desrespeita as regras mínimas do chamado jornalismo sério, que nunca foi especialidade deste diário, e da família que o representa, os Frias.

Desde 2ª feira (09/02) - o jornal vem dando publicidade ao fato de uma liminar ter derrubado a "provinha" prestada pelos professores da rede estadual de educação, dia 17/12/2008, que a própria Secretária da Educação, "vassala" do governador Serra, não sabe explicar qual a finalidade da aplicação da mesma.

Algum jornalista já perguntou isso para a Secretária, de modo profissional? Como um jornalista dever perguntar? Não deixando evazivas, ou a velha tática de levantar a bola para o entrevistado escapar da resposta objetiva?

Toda a imprensa, de modo "deliberado", tem dado sua versão enviesada, sempre ouvindo somente o lado da governo, e quando ouve representantes da categoria, distorce aquilo que foi declarado.

Existe um fato gritante com relação a essa prova, que a imprensa não vai atrás, (pois não lhes interessa), que é o fato do governo do Estado, não ter contratado uma empresa especializada em aplicar esse tipo de prova, isso por sí só demonstra que o intúito da prova foi, fazer terrorismo com a categoria.

O jornais e a Folha (em particular), falam o tempo inteiro do sindicato, que é corporativista, o que para mim, reles cidadão, trata-se de uma "redundância" - uma vez que desconheço sindicato de classe, que não seja corporativista, pois esse é o papel do sindicato, (defender a corporação).

Outro fato que a imprensa (A Folha), em especial omite, pois a ela não interessa espinafrar Serra e Maria Helena, é o de haver ocorrido, um milhão de irregularidades no dia da aplicação da prova, inclusive, a maior delas foi haver "obrigado" os professores titulares, aplicarem provas em professores temporários. Isso por sí só, é o cúmulo do absurdo!!!

Pensam que o absurdo para por aí? Claro que não!! Podem procurar no Diário Oficial, aquele dia da aplicação da prova (17/12), ERA UM DIA LETIVO, ou seja, os professores, tanto os titulares que estavam aplicando (indevidamente) a prova, como os temporários que estavam fazendo a prova, teriam que estar em SALAS DE AULAS!!! Portanto, essa aberração, praticada pelo governo, NUNCA foi abordada por nenhum órgão de imprensa, pois faz parte da bilndagem de Serra presidente.

Isto posto, QUALQUER PROFESSOR, que fizesse a denúncia ao Ministério Público, DERRUBARIA A PROVA, pois era dia útil no calendário escolar, portanto fazia parte dos 200 dias letivos de aulas, como exige a lei.

Outro dado que a imprensa inteira ignorou, foi que a Secretaria da Educação, PERDEU EM SEU SISTEMA DE INFORMÁTICA, MAIS 60% dos dados da prova, como vocês estão alardeando que 1.500 professores obtveram nota zero na prova???? Se o próprio sistema falhou, e ninguém abordou o assunto!!! Como pode haver constatação de que 1.500 professores, tiraram nota zero? Se nem a Secretaria sabe informar, de fato, quanto professores prestaram a tal provinha?

Teve professor que prestou a prova, não apareceu na listagem, professsor que prestou prova para português e inglês, a nota de inglês apareceu em português e a de português apareceu em inglês, professor que NÃO PRESTOU A PROVA, apareceu na lista com nota, professor que PRESTOU A PROVA, apareceu na lista como AUSENTE, e a imprensa ignora tudo isso, e escrever páginas e páginas, acabando com a imagem já desgastada por vocês do profissional em educação, sendo que a LAMBANÇA TODA foi efetuada pelo Governador, junto com sua vassala, Maria Helena Guimarães!!!

Com certeza isso tudo não está sendo feito, por falta de informação, e sim de maneira DELIBERADA, por um jornal, que deveria ter postura.

Em que pese minha discordância da família Mesquita, donos do jornal O Estadão, eles ao menos, não são hipócritas, e assumem, EM TODAS ELEIÇÕES, através de editorial publicado na primeira página, sua posição em favor do PSDB, apoiando Serra, Alckimin e Fernando Henrique. A Folha de S. Paulo, faz questão de IDIOTIZAR o leitor, se dizendo plural, porém é plural naquilo que lhes interessa.

Se vocês ainda, tiverem um mínimo de VERGONHA CARA, investiguem os fatos aqui relatados, apurem os e não se envergonhem de vir a público e fazer um "mea-culpa".

Eu sei que é pedir demais, pois onde falta vergonha, falta grandeza, falta dignidade, e tudo isso, este periódico já perdeu há muito tempo. Tentou nos enganar na campanha das Diretas-já, porém a carapuça durou pouco, somente confirmando o adágio, que, ninguém consegue mentir prá todo mundo o tempo todo.
Muito obrigado,
Paulo Cavalcanti

Exibições: 62

Comentário de Sérgio Troncoso em 12 fevereiro 2009 às 22:07
Caro Paulo,há que se perguntar quando a imprensa não exorbita,ao falar de trabalhadores organizados em luta pelo que consideram seus direitos. Para dar uma de isenta,ela protege de vez em quando um ou outro coitadinho isolado,mas quando é trabalhador organizado em grande número,ela (os patrões e seus sabujos óbviamente) morre de mêdo e tome mentira e mistificação. Um abraço,Sérgio.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço