Remédios do Amor - O Tempo (I ) - Pe Antônio Vieira

Persistência da Memória - Salvador Dali




O TEMPO


O primeiro remédio que dizíamos, é o tempo. Tudo cura o tempo, tudo faz esquecer, tudo gasta, tudo digere, tudo acaba. Atreve-se o tempo a colunas de mármore, quanto mais a corações de cera? São afeições como as vidas, que não há mais certo sinal de haverem de durar pouco, que terem durado muito. São como as linhas, que partem do centro para a circunferência, que quanto mais continuadas, tanto menos unidas. Por isso os Antigos sabiamente pintaram o amor menino; porque não há amor tão robusto que chegue a ser velho.

Pe Antônio Vieira
Fragmento do Sermão do Mandato, 1643



Edições Sermões – Semana Santa 1995 °°°°° Gráfica Ouro Preto °°°°° Prefeitura Ouro Preto

Exibições: 137

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço