Matizes Bordados Dumont

 

 



O RIO

Ser como o rio que deflui


Silencioso dentro da noite.


Não temer as trevas da noite.


Se há estrelas nos céus, refletí-las.


E se os céus se pejam de nuvens,


Como o rio as nuvens são água,


Refleti-las também sem mágoa


Nas profundidades tranquilas.


(Manuel Bandeira)

 

 

 

 

 

 

 

O rio (Arnaldo Antunes - Marisa Monte - Carlinhos Brown - Seu Jorge) # Marisa Monte

 

 

 

 


A terceira margem do rio (Caetano Veloso – Milton Nascimento) # Milton Nascimento e Wagner Tiso (arranjos)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Bordado:

 
http://www.matizesbordadosdumont.com/portu/familia.asp

 


Música:

 

Da sanfona à sinfônica # Wagner Tiso

Exibições: 227

Comentário de Stella Maris em 1 outubro 2011 às 15:35

Cafú,

de tão bunito, a gente fica, assim.... sem palavras.

 

Comentário de Cafu em 1 outubro 2011 às 17:07

Stella,

O poema do Bandeira parece uma lanterna de papel japonesa a iluminar os dias escuros e as noites em claro.

Beijos e obrigada pela visita.

Comentário de Ivone Prates em 1 outubro 2011 às 18:29

Muito bonito...Colocado com carinho e sentido por mim de uma forma especial.

          Beijos!

Comentário de Cafu em 1 outubro 2011 às 19:38

O mundo do rio não é o mundo da ponte...

 

Onde eu nasci passa um rio (Caetano Veloso) # Maria Bethânia

Gracias e beijos.

 

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço