Portal Luis Nassif

RUTH DE SOUZA / Pioneirismo da atriz é retratado na obra 'Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro'

CONVITE

Queridos Amigos
Espero vcs na Bienal do Livro no dia 02 de Setembro de 2017 às 15:00 no Pavilhão 03 (Azul) no RioCentro para batermos um papo e matarmos a saudade...

Bjs/Ruth de Souza

Ela foi a primeira atriz negra a encenar uma peça no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (‘O Imperador Jones’ — 1945), a protagonizar uma novela (‘A Cabana de Pai Thomás’ — 1969) e a primeira brasileira a concorrer ao Leão de Ouro, no Festival de Veneza, por sua atuação no filme ‘Sinhá Moça’ (1953). As atrizes negras que estão fazendo sucesso hoje, de certa forma, são herdeiras de Ruth. Sem dúvida alguma, ela abriu espaço para que a arte dramática tivesse outra cor”, diz o autor, que é doutor em História Social.

Do alto dos seus 94 anos e 70 de profissão, Ruth reconhece as mudanças que vêm ocorrendo na cena artística, sobretudo na TV. “A carreira do negro é muito mais difícil porque ganha menos e faz sempre o mesmo papel. Mas, de uns tempos para cá, melhorou, tem quatro ou cinco atores negros em cada novela.


Com Sérgio Cardoso em ‘A Cabana do Pai Tomás’

Antigamente, tinha um. A exceção é quando era uma novela que falava dos escravos. Contribuí para mostrar que o negro podia ser ator. Mas, particularmente, eu não posso me queixar. Pelas mãos da Janete Clair (1925-1983), fiz professora, pianista, juíza, enfim, tive a oportunidade de interpretar todo tipo de personagem. E nunca parei de trabalhar”, frisa. 

A aposentadoria só se deu porque a atriz está impossibilitada de andar. “Sinto muita falta de trabalhar. Só estou em casa por uma questão de saúde, tenho um problema nas pernas que não me permite mais andar. Estar em cena para mim é uma terapia. Adoraria voltar a trabalhar, mas como não posso assisto às novelas e acompanho o que a nova geração está fazendo”, diz.

Ser inspiração para jovens atrizes negras é tema tratado com humildade por Ruth. “Não fiz nada com a intenção de receber elogios, o que fiz foi pela minha raça e pela minha vontade de ser atriz. Talvez algumas meninas nem tenham consciência da minha trajetória”, comenta.

Trajetória que é motivo de orgulho para a atriz. “Tenho tantos prêmios, sou reconhecida por tanta gente, sempre recebo o carinho do público. Me sinto totalmente realizada”, afirma. E nem a tal instabilidade da profissão Ruth conhece, já que tem contrato vitalício com a TV Globo.

“Depois que voltei dos Estados Unidos (em 1965, após um ano estudando na Universidade de Harvard e na Academia Nacional de Teatro Americano), fui fazer teatro na TV. Comecei na Globo junto com a emissora. Na época, o doutor Roberto Marinho disse que quem estava desde o início e fizesse 50 anos sem sair da Globo, ia ficar na casa para sempre. Então, tenho contrato fixo até hoje. É muito bom porque dá para organizar a vida. Deus foi muito generoso comigo.”

Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2018   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço