Portal Luis Nassif

Shale gas: perspectivas da exploração fora da América do Norte

Do Blog Infopetro

Por Edmar de Almeida

A grande questão em aberto para o futuro do mercado energético internacional é a possibilidade e a extensão da replicação da revolução americana do shale gas em outras regiões do mundo, para além da América do Norte. Atualmente, já não existe dúvida quanto à disponibilidade abundante de recursos não convencionais de gás natural fora da América do Norte. Vários estudos realizados pelos governos e por instituições como a Agência Internacional de Energia apontam a disponibilidade abundante de recursos de shale gas em países como China, Argentina, México, África do Sul, Brasil, Austrália dentre outros.

Apesar das dúvidas que pairam sobre a possibilidade de se repetir a revolução do shale gas americano, a Agência Internacional de Energia acredita que metade do crescimento da produção de gás até 2035 virá dos recursos não convencionais, principalmente do shale gase do gás de carvão (coalbed methane). Segundo a AIE, a difusão do shale gas para fora da América do Norte acontece principalmente após 2020, principalmente na China, na Argentina e na Índia (Gráfico 1).

Gráfico 1 – Crescimento da produção de gás-não convencional até 2035

edmar092014a

Fonte: IEA – Word Energy Outlook 201

A difusão do shale gas para fora da América do Norte representa um enorme desafio para a indústria de petróleo e gás. Isto ocorre porque grande parte dos fatores de sucesso do gás não convencional nos EUA não está presentes fora da América do Norte. Podemos citar sete principais fatores de sucesso para o caso Norte Americano:

  • Grande conhecimento geológico nos EUA e Canadá, resultante de uma indústria de petróleo e gás centenária que já perfurou mais de 5 milhões de poços de petróleo.
  • Regulação leve do segmento do upstream. O processo de licenciamento é célere o bastante para se perfurar e fraturar milhares de poços por ano. Em 2011, por exemplo, o órgão regulador do Texas autorizou a perfuração de 22.480 poços.
  • O acesso dos investidores a áreas de exploração é facilitado pelo fato da propriedade dos recursos do subsolo pertencer ao proprietário do solo. Desta forma, as operadoras negociam diretamente com os proprietários dos recursos que são pessoas físicas ou empresas privadas. Mesmo no caso das terras públicas o processo de licitação de áreas é relativamente simples e desburocratizado.
  • A indústria de petróleo e gás Norte Americana é composta de cerca de 10.000 empresas operadoras. Este grande número de empresas se deve à tradição de menor interferência do Estado no setor de petróleo.
  • Existe uma elevada aceitação social com relação à atividade de exploração de petróleo e gás não convencional em vários estados americanos com tradição em óleo e gás, em particular no Sul e Meio Oeste americano.
  • O escoamento e comercialização da produção de gás são facilitados pela existência de uma extensa rede de gasodutos e distribuição e transporte (aproximadamente dois milhões de quilômetros de dutos), com regras de livre-acesso e um mercado liberalizado.
  • Finalmente, vale ressaltar a robustez e sofisticação do mercado financeiro americano que facilitou o financiamento do esforço exploratório de pequenas empresas independentes que se especializaram no negócio do gás não convencional.

Figura 1 – Os fatores do sucesso do gás não convencional nos EUA

edmar092014b

Fonte: Elaboração Própria

Os fatores de sucesso acima mencionados viabilizaram a exploração do shale gas numa velocidade e escala difícil de replicar fora da América do Norte. O play de Eagle Ford no sul do estado do Texas é um exemplo impactante sobre a capacidade de desenvolvimento doshale gas nos EUA. As atividades exploratórias neste play eram praticamente inexistentes 5 anos atrás. Como se pode observar no gráfico 2, em 2013 foram perfurados 3477 poços em Eagle Ford, permitindo uma produção 713 mil barris de petróleo por dia (mbd) e cerca de 104 milhões de metros cúbicos diários (Mm³/dia). No mesmo ano, cerca de 25 bilhões de dólares foram investidos em Eagle Ford. Os números para apenas este play superam, em muito, aqueles da indústria de petróleo e gás da maioria dos países da América Latina.

Gráfico 2 – Evolução do Capex e Número de Poços por Empresa em Eagle Ford (Texas)

edmar092014c

 Mesmo considerando que seria muito difícil replicar tal dinâmica de investimentos, é importante avaliar quais seriam as condições necessárias para que a revolução do shale gasaconteça fora da América do Norte.  O nível de conhecimento geológico das principais áreas com recursos de gás não convencional fora da América do Norte é muito inferior ao caso americano. Nos EUA, o esforço exploratório centenário para petróleo e gás convencional e o histórico de décadas explorando fontes de gás não convencional como otight gas (arenitos compactos) possibilitou acelerar a exploração do shale gas. A aquisição do conhecimento geológico fora da América do Norte exige um esforço exploratório vai levar tempo, custa muito caro e vai requerer incentivos para atrair as empresas operadoras para esta empreitada. (...) O texto continua no Blog Infopetro.

Exibições: 28

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço