Show Herminices - Hermínio Bello de Carvalho

"Herminices” é o nome do projeto que será apresentado nesta semana, nos dias 24 a 26 de junho de 2009 no Sesc Paulista, em São Paulo capital, em homenagem ao compositor, poeta e produtor Hermínio Bello de Carvalho.




No dia 24, haverá um bate-papo com o poeta, conduzido pelo jornalista Alexandre Pavan e com as participações do compositor Luiz Ribeiro e da platéia. Nos dias 25 e 26, espetáculos musicais com Hermínio dividindo o palco com as cantoras Áurea Martins e Angela Evans. Em cada show haverá uma participação musical: dia 25, Alaíde Costa; dia 26, Giana Viscardi.



Herminices – SESC Paulista. Dia 24 a 26/06. Bate-papo quarta, às 20h. Shows quinta e sexta, às 20h. Av. Paulista, 119. Tel.: 11 3179-3700. Ingressos: R$ 12,00 (inteira); R$ 6,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).





**********
Fonte: Site Sovaco de Cobra.

*********

E por falar em "Herminice" no excelente livro de Alexandre Pavan, "Timoneiro - perfil biográfico de Hermínio Bello de Carvalho" há antes de cada capítulo, 12 "Heminices", ou seja, pequenos relatos de "causos" e fatos pitorescos envolvendo o nosso poeta.

Para quem ainda não conhece as "Herminices" do Hermínio, segue abaixo algumas:


HERMINICE 1


Hermínio, o compositor Aldir Blanc e o artista plástico Mello Menezes tomaram um ônibus no Rio de Janeiro com destino a São Paulo. A intenção era fazer uma entrevista com Isaurinha Garcia para “O Pasquim”, que seria publicada na semana seguinte. No caminho até a casa da cantora, decidiram parar num boteco para comer alguma coisa e calibrar a sensibilidade jornalística com uns drinques.

No auge da animação, três garotas entraram no bar e Mello Menezes resolveu convida-las para sentar junto deles. Formaram três casais. Aldir e Mello rapidamente engataram uma conversa entusiasmada com suas novas amigas, enquanto Hermínio permaneceu indiferente à presença da moça ao lado.

Numa tentativa de puxar assunto, a garota passou a mão carinhosamente nos cabelos encaracolados do poeta e perguntou qual o seu nome. A resposta de Hermínio silenciou a mesa:

- Meu nome é Valéria – disse ele, candidamente.

Imediatamente, as moças decidiram bater em retirada, deixando os três às gargalhadas, acompanhados de seus copos.




HERMINICE 2




Quando o nome de Hermínio Bello de Carvalho é citado numa mesa de bar, invariavelmente alguém faz uma pausa pensativa depois do gole de chope e solta a pergunta:

- Mas esse cara está vivo?

A dúvida até se justifica; afinal, seu trabalho como compositor remete a Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Heitor Villa-Lobos e muitos outros personagens que integram os livros de história. Certa vez, um repórter perguntou a Hermínio sobre isso e ele respondeu:

- Essas pessoas estão com toda a razão. Também penso assim. A primeira coisa que faço ao acordar é ler a seção de obituário no jornal para saber se não morri...




HERMINICE 3



Hermínio adora plantas. Nunca faltam samambaias esverdeando a sala de sua casa, e um de seus passeios prediletos é andar pelo Aterro de Flamengo na época em que os abricós-de-macaco estão florescendo. Com o tempo tornou-se um defensor das causas ecológicas, estimulado principalmente pelo trabalho realizado pelo seu amigo Zé Luiz do Manguezal, conhecido ativista do Manguezal do Jequiá, na Ilha do Governador.

De vez em quando, o poeta distribui aos moradores de sua rua panfletos, nos quais incentiva todos a cuidar melhor das jardineiras das calçadas e a ter mais responsabilidade com o lixo que produzem.

É um ecologista – mas à sua maneira. E não faz nenhuma questão de ter a vida selvagem invadindo seu espaço.

Em uma noite, enquanto via televisão, percebeu um vulto planando sob o teto da sala. Poderia ser uma simples mariposa. Mas e se fosse um morcego? Na dúvida, não deu outra: do jeito que estava vestido, calçou o sapato, passou a mão na carteira. Trancou a porta e chispou para um hotel.

Só voltou para casa no dia seguinte.




HERMINICES 4



Durante uma época, a sala de reuniões da Divisão de Música Popular Brasilleira da Fundação Nacional de Arte (Funarte) ostentou a figura de Agnaldo Timóteo. Não o artista propriamente dito, mas um desses pôsteres gigantes, feitos de papelão e utilizados pelas gravadoras como peça publicitária, que Hermínio colocou estrategicamente em uma das cadeiras, como se o boneco estivesse vivo aguardando um cafezinho da secretária.

Um dia, Carlos Drummond de Andrade apareceu no escritório para uma visita inesperada, e Hermínio repetiu com o poeta a brincadeira que fazia com todo mundo. Ao entrarem na sala comentou sacanamente:

- Você já conhece o Agnaldo?

Inocentemente, Drummond estendeu a mão para cumprimentar a figura e, logo em seguida, recolheu-a rapidamente, percebendo que fora vítma de um logro. O sorriso choco esboçado pelo poeta fez com que Hermínio amargasse um arrependimento imediato.

Só ficou aliviado dias depois, quando Fernando Sabino publicou a história – que lhe foi contada pelo próprio Drummond – em sua crônica de jornal. O poeta tinha adorado a brincadeira.




HERMENICES 5



Hermínio não tolera bagunça. Em seu escritório, documentos, discos livros e DVDs são catalogados de maneira que seu dono consiga encontra-los com facilidade. Depois da consulta, o título é recolocado em seu devido lugar, em ordem.

Ele também impõe essa mania de organização a seus projetos. Se, por acaso, a bagunça alheia interfere no andamento de sue trabalho, lamenta-se lançando mão de uma de suas máximas preferidas:

- As pessoas não se organizam e desorganizam a vida dos outros...




HERMINICES 6



Ao longo dos anos, Hermínio foi herdando objetos pessoais de amigos queridos, peças que ele conserva como verdadeiros talismãs. A bíblia pousada sobre uma cômoda em seu quatro foi presente de Aracy de Almeida, assim como o retrato da cantora pintado por Di Cavalcanti, pendurado na parede da sala. Os óculos de Jota Efegê vigiam o escritório e os sapatos do cronista regularmente saem para caminhar nos pés de Hermínio, que só não experimentou o vestido de Dalva de Oliveira guardado no armário porque o tamanho não lhe serve. Com ele estão também o lenço de Pixinguinha e o anel de sambista de Cartola. Quando acredita que alguém possa ser fiel depositário desses objetos, Hermínio repassa o presente. Por isso, o anel de Elizeth Cardoso agora está nas mãos de Rogéria e o relógio de Jacob marca as horas do também bandolinista Pedro Aragão.

Exibições: 63

Comentário de Helô em 23 junho 2009 às 22:51
Laurinha
Adorei as Herminices! O show que assisti na TV Brasil do Hermínio, com Áurea Martins, Angela Evans e direção musical do Lucas Porto, foi maravilhoso. Que bela pessoa é o Hermínio.
Beijos.
Comentário de Cafu em 23 junho 2009 às 23:48


Também adorei as Heminices, mas a minha favorita é essa caixa com 5 cds da Biscoito Fino que está logo alí na minha prateleira. ;-)
Esse show, heim? Imperdível.
Beijos.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço