I

Olho a página em branco

Antes que amarele

Ou fique empoeirada

De teias tapadas,

Busco força e luto.

 

   II

Abro as asas e tento,

Sentir-me em assento

Tendo tantos afins

Para me apoiar

E revigorar as forças perdidas

Nas voltas da vida.

 

   III

 

Mudanças são partes.

Vida como a arte,

Me pego a compor

Decompostos eu’s

 

Recorro a Zeus

E ao me acordar,

Vejo o limpo céu 

E outra vez as flores

Na minha janela,

São convites abertos

Para fazer registros

Dos traços que seguem.

 

 

COM O CARINHO PELO DIA DO AMIGO.

 

Salete Cardozo Cochinsky - outono de 2011

 

 

 

 

 

Exibições: 74

Comentário de RUBENS GOMES DA SILVA em 27 abril 2011 às 0:17

Você realmente tem o domínio da palavra. É muito bom e gratificante ler os seus textos. Sempre que tenho tempo de entrar neste Portal, procuro sua página para ter o prazer de ler coisas belas, profundas e inteligentes.

Abraços

RUBENS

Comentário de Salete Cardozo Cochinsky em 27 abril 2011 às 1:40

Obrigada Rubens

Lamento estar escrevendo pouco e com pouco tempo para me dar o deleite também de ler.

Sinto falta das interlocuções mais frequentes.

Beijos

Comentário de RUBENS GOMES DA SILVA em 27 abril 2011 às 2:02

Na verdade, sempre que entro, vou logo na sua página, antes de ver o conteúdo do portal, porque realmente gosto do seu jeito de escrever e das coisas que você escreve.

A vida é curta e temos que valorizar as coisas realmente boas.

Abraços

RUBENS

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço