O Ministro Orlando Silva enfrenta uma crise dentro do Ministério dos Esportes robusta e de árduo caminho defensivo, pois se trata de acusações de ordem ético-morais. Ao meu sentir, até que se prove ao contrário, o integrante do PCdoB é inocente.

 

Todavia, no que tange ao quesito sustentação política torna-se inviável a sua manutenção no cargo. Só as acusações formuladas pelo PM João Dias já são suficientes para que Orlando dedique o seu tempo ao contraditório e não mais a pasta que lhe foi conferida pelo ex-presidente Lula e mantida a pedidos pela atual chefe Dilma.

 

A pasta do natimorto ministro Silva gerencia a Copa do Mundo de 2014 que é um Projeto que vem sendo acompanhado pela mídia nacional e estrangeira com olhos periciais. A manutenção de Orlando significa desgaste a ser evitado por Dilma, afinal a Presidente não deseja dividir o ônus da crise. Melhor a substituição a uma parceria suicida regada a pressões internas e externas, políticas e administrativas.

 

No que tange a participação da Revista Veja, acusada por uns de ser a mentora intelectual das denúncias, entendo que a mesma, não entrando no mérito de sua linha editorial, realizou trabalho investigativo acurado cabendo aos mencionados defenderem-se, inocentarem-se e buscarem no âmbito judicial as reparações que entendam pertinentes.

 

A coisa pública é para ser devassada e os atos administrativos dos detentores das pastas que as representam também. Agentes públicos são pessoas passíveis de questionamentos diários, pois se encontram no leme do gerenciamento de numerários oriundos de nossos rendimentos, afinal a grana que abastece as pastas ministeriais jorra de nossa parcela contributiva tributária que a cada ano mais nos despedaça.

 

Não custa lembrar aos sempre aptos à produção de cenários de perseguição com vistas à vitimização, que o contribuinte não solicitou ao ministro Orlando Silva que o mesmo recebesse em audiência o queimadíssimo João Dias. Também, não foi da lavra do cidadão de bem a solicitação para que o nobre agente público assinasse convênios liberando verbas para o seu delator. A gestão Dilma já deixa um legado.

 

Nunca antes na história desse país a corrupção ou os indícios dela estão sendo tratados com tanta energia. Claro que as medidas curativas de exoneração e não preventivas de investigação prévia interna na pastas ministeriais deixam no ar uma sensação benevolência, mesmo assim é inegável o corte no tecido administrativo com bônus a imagem de Dilma.

 

Comentários dão conta de que a presidente decidiu que, doravante, os ‘pepinos’ da Copa do Mundo serão debatidos por ela própria ou na Casa Civil aos cuidados de Gleisi Hoffmann, o que foi negado em nota pela senadora ministra, o que não convenceu.

 

Por fim, entendo que a administração federal petista caminha para mais uma degola ministerial. O Projeto 'Segundo Tempo' é uma colcha de retalhos que exige apuração criteriosa e um terceiro tempo de investigações com Orlando Silva no banco. Cláudio Andrade

Exibições: 123

Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 13:23
Discordo do articulista por uma simples razão: se o ministro Orlando Silva for ¨degolado¨, como sugere o articulista, doravante vai ser fácil derrubar qq ministro, gestor ou até mesmo candidatos por qq denúncia. Antes, pelo contrário, devemos deixar claro: sem provas todos são inocentes, inclusive no meio político. Ou então devemos desistir do Estado Democrático de Direito e salve quem puder.
Comentário de JOSE AMAURI DANTAS em 20 outubro 2011 às 14:44

Que as denúncias têm cunho político fica muito claro. Agora, que até o presente nenhum dos acusados e punidos mostrou que era realmente inocente também é pura realidade.

 

O fato é que a corrupção em torno dos recursos públicos é uma verdadeira epidemia nesse País, só que não faz o menor sentido toda essa lama ter começado a partir de 2003, exatamente quando o poder mudou de mãos e vem sendo incansavelmente investigado e denunciado pela mídia e a grana começa a sobrar aqui dentro.

 

"Quem não deve não teme", só que o "onde há fumaça há fogo" tem levado a melhor nessa peleja, que só é possível de acontecer acima dos tapetes.

 

Precisamos apoiar o combate à corrupção em todos os níveis, porém sem deixar que a emoção  passe a borracha no passado onde era proibido tratar desse tipo de coisa.

Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 14:59
Discordo novamente sr Amauri, ou entendi mal qdo eu for acusado de algo tenho q provar minha inocência ? Ao acusador sim deve ser a obrigação de provar o q esta denunciando...uma coisa e o denuncismo outra o setencismo, q esta ocorrendo c o ministro Orlando Silva.
Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 15:00
Ou salve- se quem puder!
Comentário de JOSE AMAURI DANTAS em 20 outubro 2011 às 15:19

Sr. Reginaldo,

 

Sinceramente eu torço para que o Ministro prove sua inocência, só que os demais que foram demitidos, apesar de usarem o mesmo discurso, colocarem os sigilos a disposição e tudo mais acabaram  sem apresentar explicações plausíveis, quem sabe até por falta de espaço nessa mídia que corta de um lado só.

 

Eu não estou julgando o Ministro, cabe a ele a defesa sobre as acusações, com um detalhe: quem lida com dinheiro público deve explicações a muita gente e ninguém é obrigado a assumir cargo nenhum.

 

 

Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 15:40
Sr José Amaury
O homem publico deve sempre explicações mas não pode ficar refém de denuncias sem
provas... Sou a favor de denuncias sempre mas não do setencismo como esta ocorrendo
com o min. Orlando Silva. Ao q tudo indica há interesses poderosos p o q esta ocorrendo... E ca entre nos não da p comparar Orlando Silva c Palloci.
Comentário de Cláudio Andrade em 20 outubro 2011 às 15:43

Caro Reginaldo.

 

A sua leitura inclui a exoneração dos outros ministros ou trata-se de uma questões direcionada?

Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 16:02
Sr Cláudio
Acho q totalmente direcionado. Ao q tudo indica o min. Orlando conseguiu grandes avanços em
ministério ate então sem grande expressão. .. C certeza feriu de morte interesses 'seculares' ...
Enfim, ta c cara de uma armação grave contra o ministro ao meu ver.
Comentário de Reginaldo Henrique dos Santos em 20 outubro 2011 às 16:05
E exonera-ló seria premiar este tipo de grave articulação canhestra e torpe. Alias, ele tem sido corajoso e foi tanto a Camara qto ao Senado... Isto sim deve ser ressaltado.
Comentário de Guilherme Cardoso de Sá em 20 outubro 2011 às 16:13

caros amigos, penso que o debate não cabe aqui apenas em âmbito político ou partidario. A corrupção não é algo inerente apenas ao sistema público, e muito menos aos juridições de nosso país. Por outro lao, sabe-se que a mídia nacional convencional odeia o atual governo por motivos distintos, todos históricos, que construiram-se desde as oligarquias agrarias, a burguesia industrial e aos neoliberais, sem entrar em detahes das diputas no periodo imperial. Efim é esta classe, ou essas, que mesmo sem ser hegemonicas, lutam para findar o atual governo. Esta prática não é nova, a imprensa já fomentou conflitos e distorções com mentiras e factoides desde o XIX, lembre-se da guerra hispano-americana, que utilizou-se da opinião publica para mover interesses privados e imperialistas com mentiras. Enfim cabe a nós colocar cada medida em seu lugar: 1) a Veja não pode ser muito levada a sério, porém é plausivel que as denuncias sejam investigadas. 2) é necessário que os principios de democracia, inocencia, sejam realmente instituidos ao pensamento coletivo 3) isso faz da propria conduta de concepção de estado burguesa, de democracia participativa, que levou a "homem comum" achar que a política é a arte de enganar e se favorecer 4) A centralização de poder, junto as concepções de estado levarão sempre, por meio da burocracia gigantesca, a corrupção sistémica 5) será o ministro culpado por um desvio em uma ong?  Então podem prender dos ministros e secretário de todas as esferas da federação, quem conhece  o processo de emenda orçamentária para liberação de dinheiro para ong sabe de todos os tramites falcatruentos. Por minha experiência, na qual não consigo efetivar um projeto, através de uma OCISP, de fomento de documentários em esclas públicas. O motivo? So terei a liberação de verbas quando aceitar que algum vereador ou secretário seja o padrinho politico do projeto. Prefiro manter-me fiel aos meus ideais a fazer tal manobra. Assim permaneço 5 anos na fila de espera. A democracia burguesa sempre será de fato um estado corrupto, e qualquer modelo de modo de produção que quiser instalar-se utilizando sua estrutura também. O problema é sistémico não partidário, mas a mídia tradicional quer construir que os ideais republicanos e democratcos de outrora eram motor da transperencia política. Fazem isso para devolver o poder aos seus donos, lide Raimundo Faoro, não banir este modelo epidemico mundial coorporativista, pois se assim fizessem, pregariam contra si mesmas, questionando o modelo socio-politico atual. Saramago foi feliz ao comparar a democracia burguesa a uma santa no altar, à quem ninguem questiona e todos reverenciam.

saudações,

 

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço