ENTRE TODOS OS TRIOS QUE FICARAM FAMOSOS NA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, O TRIO DE OURO ERA O ÚNICO QUE TINHA VOZ FEMININA.


Criado por Herivelto Martins em 1937. Na época, Herivelto formava com Nilo Chagas a Dupla Preto e Branco. Nilo Chagas havia substituído seu primeiro parceiro, Francisco Sena, que tinha falecido no ano anterior.




Dalva de Oliveira e Herivelto se conheceram no Teatro Pátrias onde trabalharam e logo iniciaram um relacionamento. Certa vez, começou a ensaiar vocalizações com Dalva de Oliveira na busca de algo diferente. Foram ouvidos pelo compositor Príncipe Pretinho que se entusiasmou pelo resultado e os incentivou a prosseguir. Inicialmente, o trio apresentou-se como Dalva de Oliveira e Dupla Preto e Branco.






Em um programa na Rádio Mayrink Veiga, César Ladeira, anuncia ao micorfone: "Vamos ouvir o conjunto vocal Dalva de Oliveira e a Dupla Preto e Branco. Um trio de ouro". Estava batizado naquele momento, um dos mais importantes trios vocais da Música Popular Brasileira.




Ao longo da sua trajetória o Trio de Ouro passou pelas seguinte formações:


PRIMEIRA FASE:

Herivelto Martins
Nilo Chagas
Dalva de Oliveira

SEGUNDA FASE:

Herivelto Martins
Nilo Chagas
Noemi Cavalcanti

TERCEIRA FASE:

Herivelto Martins
Raul Sampaio
Lourdes Bittencourt

QUARTA FASE:

Herivelto Martins
Raul Sampaio
Shirley Dom


De importância fundamental na história da Música Popular Brasileira, o Trio gravou 99 discos pelas gravadoras Odeon, Victor e Columbia, com quase 200 músicas.




Uma das faixas desse excelente disco: "Ave Maria no Morro", de Herivelto Martins.





A partir dos anos 1970, o Trio voltou a realizar shows esporádicos, com uma nova solista, a cantora Shirley Dom, sendo Raul Sampaio mantido por Herivelto.

O Trio gravou um LP para a Funarte, em homenagem à obra de Herivelto Martins e cantou, pela última vez, nos 80 anos do compositor, em jantar fechado, para 120 convidados na residência de Ricardo Cravo Albin, em 1992, no Largo da Mãe do Bispo, na Urca, Rio de Janeiro.




Segundo o Dicionário Ricardo Cravo Albin, em 2003, o selo Revivendo lançou o CD "Trio de Ouro", com um depoimento de Raul Sampaio e que incluiu 21 sucessos do Trio, sendo: "Lamento negro", "Ave-Maria no morro", "Lá em Mangueira"; "Morro"; "E não sou baiano não"; "Caldo venci" e "Senhor do Bonfim", com a primeira formação.

"A Bahia te espera"; "Caminho certo"; "Ave-Maria"; Teu exemplo"; "Recife"; "O bonde de Santa Tereza" e "Conversando com a chuva", da segunda formação, e "Alvorada de luz", "Perdoar", "Negro telefone"; "Maria loura"; "Saudade de Mangueira"; "Mironga de moça branca" e "Muamba de São Benedito", da terceira formação.


A Discografia completa do Trio de Ouro, no link abaixo.

http://www.dicionariompb.com.br/detalhe.asp?nome=Trio+de+Ouro&t...


VIVA DALVA- Homenagem aos 90 anos de nascimento da cantora Dalva de Oliveira. Show apresentado em Rio Claro, cidade natal de Dalva, em 2007.



Abaixo, link para o Post DALVA E HERIVELTO, UMA CANÇÃO DE AMOR (Nova Minissérie da rede Globo).
http://blogln.ning.com/profiles/blogs/dalva-e-herivelto-uma-cancao


***********
Fonte:
- Os Grandes Sambas da História. Fascículos da Ed. Globo, 1988.
- Dicionário da Música Popular Brasileira Ricardo Cravo Albin.

************

Exibições: 1135

Comentário de Solange Teixeira da Cunha em 27 dezembro 2009 às 18:41
O Trio de Ouro, quando a RAINHA saiu, o TRIO deixou de ser de Ouro.
Sem Dalva, o trio já não era tão bom !!!
Comentário de Gilberto Cruvinel em 29 dezembro 2009 às 19:53
Oi Laura,

A minissérie promete, embora pelos anúncios na TV já deu para perceber que os números musicais são dublados, mas ainda não é possível avaliar a qualidade da performance dos atores dublando os cantores originais. Me lembrei imediatamente da peça sobre Orlando Silva que assisti no Sesc Vila Mariana onde o ator Tuca Andrada não dublava não e cantava muito bem com toda a bossa e o estilo do Orlando

Nem preciso dizer que adorei seus três posts completíssimos.
Ave Maria no Morro com o Trio de Ouro me deixa arrepiado sempre que ouço.
Uma pena que o Herivelto fosse tão mulherengo. :-)
Comentário de Laura Macedo em 29 dezembro 2009 às 23:45
Mesmo com os números musicais dublados, vale a pena ver a minissérie. Faço várias restrições a TV Globo, mas em se tratando de minissérie, tiro o chapéu; ela realmente capricha, desde a pesquisa de época, cenários, performance dos artistas...
Minha dúvida é se gravo ou espero o lançamento do DVD.

Gilberto, quanto ao Herivelto mulherengo, me parece, sem querer generalizar, que a "pulada de cerca" era (?) típica do comportamento masculino da época, bem como a intolerância ao sucesso feminino.
Segundo Pery Ribeiro, filho de Herivelto: "meu pai não estava preparado para enfrentar a realidade de que minha mãe poderia sobreviver sem ele".

Desde que mundo é mundo, o relacionamento conjugal nunca foi fácil, mas em tudo na vida é o bom senso que fará toda a diferença.

"Ave Maria no Morro" é, realmente, de arrepiar...
Beijos.
Comentário de Gregório Macedo em 31 dezembro 2009 às 22:14
A Globo é, de fato, um primor em se tratando de minissérie, como veremos logo logo.
Quanto a você, professora, é um primor em pesquisa e bom gosto.
Beijos.
Comentário de valdir comegno em 11 setembro 2010 às 15:24
Parabéns Rede Globo pela belíssima microssérie, faltou a voz de Dalva nada mais.
Abraços
Comentário de Gilberto Cruvinel em 20 abril 2011 às 22:11

Laura, querida, tudo bem?

 

Hoje fiquei com saudade de ouvir o Trio de Ouro cantando a Ave Maria do Herivelto e para minha surpresa o link do Divshare com a música não está funcionando. Você imagina porque?

Há vários links da música no acervo do IMS, mas como sabemos... impossível baixar. Uma pena

 

Beijos

Gilberto

Comentário de Laura Macedo em 21 abril 2011 às 0:51

Gilberto,

Fui nos meus arquivos do DivShare e constatei que lá também o áudio não funciona. Como não sei o motivo, coloquei um novo audio. Fiz o teste lá no DivShare e tocou. Agora o teste final é aqui nos comentários. Tchan...Tchan..Tchan...

 

 

 

Comentário de Gilberto Cruvinel em 21 abril 2011 às 1:14

Lindo, singelo, sublime, emocionante.

 

No acervo do IMS, há essa versão, de 1942, com o Trio de Ouro ainda com a participação da Dalva. E há ainda uma outra versão, essa de 1952, também com o Trio de Ouro, mas não estou certo que a cantora não seja a Dalva. Prefiro mil vezes a versão de 1942, muito mais emocionante.

Ave Maria no Morro (1952)

 

Obrigado Laura querida, pela enorme gentileza

Beijos

Gilberto

 

Comentário de Laura Macedo em 21 abril 2011 às 2:23

Gilberto,

Agora foi o player do seu link que não funcionou :((

Beijos.

Comentário de Gilberto Cruvinel em 21 abril 2011 às 14:23

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço