Portal Luis Nassif

Nome : Felice Noschese

*  1904  San Cipriano Picentino / Italia

+  1983  São Paulo / Brasil

Imigração para o Brasil em 1930

 

MEMÓRIAS DE UM IMIGRANTE

 

A decisão

Família com títulos. Dinheiro não tinha pra Medicina

Única saída... “far l’América”.Perguntou:

­_Onde não tem neve?

_Brasile

Pegou o navio.                                                                                                                  

      

A chegada /Santos Sol escaldante.

Dobra a calça de lã. Arregaça as mangas.

Segura na mão o paletó de tweed, noutra a mala de papelão.

Desce a escada. Parentes murmuram: “è arrivato un pazzo”                                                 

 

O primeiro emprego /Banco Frances Italiano/Redator

 -“Meus Queridos Colegas”– inicia a primeira carta.

Presidente do Banco o chama às falas,

 - Esta é uma carta comercial não uma paixão perdida.

Perde o cargo.                                                                                                                           

 

O segundo emprego / Programa “L’Italia è bella” Rádio América

_ Buongiorno paisani ! Uma canção napolitana ao fundo.

_ Agora, vida e obra de Leonardo da Vinci, um pintor injustiçado que sob ameaça de prisão

fugia pela Itália como aconteceu com Celestino Paraventi, ontem preso pela Policia acusado de comunista.

_Paisani!  Pensar diferente de Vargas não justifica a prisão.

Perde o emprego.                                                                                                                    

 

Por conta própria / Reunião anual do Circolo Italiano

_Todos aqui estão decorando casa e precisam de um especialista em arte.

Aqui não temos galeria e eis um paisano que quer fazê-lo – diz Presidente

_Quantos apóiam essa proposta para alugar o local?

_ Aprovado!

_ Felice alugue a loja, te apoiamos.

Nasce a Galeria D’Art e o Antiquário.                                                                             

 

 

Cena Um: O retorno. Aldeia San Cipriano Itália 1948

É este o momento, cambio baixo, compro telas, móveis e esculturas para a Galeria D’Art

e visito a família em San Cipriano. - pensa Felice

Embarcou                                                                                                                                   

 

Cena Dois: O retorno. Aldeia San Cipriano Itália 1948

Chegou a hora, vou pra Itália o navio está barato e levo as filhas que estão

solteiras para San Cipriano ver se alguém se interessa - diz Pasquale

Embarcaram                                                                                                                       

 

A apresentação

_ Vem Felice, te apresento as irmãs americanas.

_ Prazer, sou do centro de S Paulo trabalho com arte e vocês?

_ Que coincidência! Sou do Ipiranga, eu Mafalda, ela Toti.

Deu química.                                                                                                                               

 

Conversa de irmãs

_Vou casar com ele.

_Quem?

_O americano.

_Você ficou louca? É velho e arrogante.

_Eu adorei, disse que tenho mais idade. Já me vejo de véu e grinalda.                                      

 

A Côrte  1949

Compras, só na Rua da Consolação _ ela pensava

E para fazer qualquer compra, atravessava a cidade de bonde que,

por um acaso do destino, tinha o ponto final em frente à Galeria D’Art.

                                                                                                                                                    

O pedido

 Entra na casa, é bem recebido.

 _ Me sinto honrado em conceder, vou chamar a Toti para dar a boa notícia- Pasquale

_ Espere! Eu não quero a mão da Toti, mas da outra filha. - Felice

 _Como? Toti tem 22 a outra 19. E Pasquale grita:

 _ No! Em mia casa é antes a mais velha e só quando ela casa a outra pode casar.

Permito que case com Toti.

 _Vou ter que declinar.

 _Saia já daqui!

 Duas moças espreitavam na sala ao lado, uma ria a outra chorava.                                       

   

O convite                                                   

Entra na Galeria, sob a porta um envelope, abre um convite de casamento e um bilhete.

_ Se não vier me suicido!

Foi                                                                                                                                                   

 

O casamento Porta da Igreja. Mulher com sorriso radiante

Vai ao seu encontro. Pega seu braço.

_Rápido, já estão entrando, somos padrinhos.

_Como?

_Corre, corre no altar papai não pode dizer nada                                                                      

 

Cena no Altar

O pai fuzila com o olhar e rosna para o “americano”.

A filha sorri radiante.

O pai olha e sorri

Tudo certo.

O resto você já sabe. E foram... para sempre.                                                                                  

Exibições: 51

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2017   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço