Criei este blog para trocar experiência, principalmente na área do plantio doméstico e de pomares comunitários. Há oito anos elaborei um projeto de conscientização ambiental e hoje parte dele ajuda famílias que vivem na África. O meu quintal serviu de inspiração e posso garantir que manter o vínculo com a terra é a melhor opção para se viver bem e obter qualificação alimentar. Mas não é somente o alimento que retiramos da terra e que nos sustenta, que nos traz prazer e alegria. Preparar a terra, plantar, regar e depois apreciar uma plantinha nascendo é um momento mágico que qualquer um pode proporcionar a si próprio.
Podemos plantar apenas uma sementinha, ou desenvolver um grande pomar. A sensação é a mesma. Podemos plantar num frasco de refrigerante e acordar pensando que naquele pequeno frasco, há uma vida sobre a qual somos os responsáveis. Com isso aprendemos a respeitar a natureza e educamos os nossos filhos apenas com nossos gestos, nossas ações benéficas.
Vou tentar postar aqui, algumas ideias que deu certo e se alguém desejar colocá-las em prática, a Natureza agradece.

(Dica número 01): Nunca cubra com cimento todo o terreno. Caso não for possível evitar, possua vasos cheios de terra ao redor da casa. Você não pode esquecer que é fruto dela.

(Dica número 02): Todas as cascas que juntar durante o dia, misture com a terra contida nos vasos. A casca da mandioca e das frutas é excelente para que se curta um ótimo esterco orgânico.
Até outro dia. Breve estarei postando mais dicas e fotos lá de casa.

Exibições: 226

Comentário de Branca Tirollo em 13 março 2010 às 21:26
Ola! Meus amigos.
Vamos a dica de hoje:
03: Preparando a terra:
Para cada tipo de esterco é necessário aplicar dosagem certa para não queimar a semente ou a raiz da muda.
Quando criança ajudava meu pai a fazer o plantio. Antes de tudo preparávamos o esterco.

Para preparar a terra é sempre bom termos em casa uma solução de fumo, uma das mais aplicáveis e seguras no ambiente doméstico.
Chamamos este processo de ENDO PARASITÁRIO:

Para cada litro de água colocamos três colheres de fumo de corda picado, deixando curtir por três dias. Usar regador para aplicar sobre as plantas.
Esterco bovino: depois de secado ao sol, é hora de esfarelar. Usávamos rastelos para isso, mas pode ser esfarelado com as mãos. Lógico que sempre é bom usar luvas de borracha para este tipo de trabalho.

Para cada lata de terra, usa-se um terço de lata do esterco bovino, mais ou menos 30% da quantidade de terra.

Durante três dias é bom passar o rastelo ou misturar com uma pá ou enxadada, aplicando com o regador um pouco da solução de fumo.

No quarto dia já podemos fazer o plantio. Sementes ou mudas. Ou formar mudas plantando as sementes e depois replantá-las.

Num prazo entre 4 e 8 dias, depende das sementes, estarão germinando. Depois de mais dias já podemos fazer o desbaste:

Desbaste significa se livrar dos brotos ruins, sem vigor. Também quando nasce na mesma cova, muitas raízes, que se não forem excluídas, atrapalham o bom crescimento das plantas.

Para cada tipo de broto há uma regra para o desbaste. Se for um pé de feijão de vagem ou quiabo como exemplo, é bom deixar apenas um broto. O mais vigoroso. No caso das hortaliças, sempre deixar dois. Na maioria das vezes, o mais fraco morre.

É necessário o tratamento ENDO PARASITÁRIO a cada quinze dias nos dois primeiros meses.

Devemos regrar as plantas pela raiz. Nunca esguichar a mangueira sobre elas. Com muito cuidado, podemos diminuir a pressão da água e apenas passar rapidamente o esguicho, só para molhar as folhas.

Sempre regar as plantas antes do por do sol e depois das 17 horas. Recomendável.

Agora vamos para o esterco avícola:

O processo de preparação é o mesmo, mas muda-se a medida.

O esterco avícola é mais forte e por isso deve se acrescentar apenas 15% da medida da terra.

O melhor esterco é o esterco orgânico que juntamos em casa em grande proporção.
Este é um pouco mais difícil para ser preparado, mas é o mais aconselhável.
Trata-se de esterco orgânico todo resíduo alimentício.
Ex: cascas de vegetais, frutas, cereais. Sobras de comida, leite azedo, e outros. Só não devemos utilizar resto de óleo. Gorduras dessa natureza provocam sérios danos na natureza. Para tanto, devemos guardar num frasco bem tampado, fora de casa e aproveitar para fazer sabão. Outro dia estarei deixando aqui a receita do sabão frio.
Confesso ser ótima!

Vamos então preparar o esterco orgânico.
Nem todo resíduo pode ser jogado ao ar livre. Ex: as cascas não acumulam bichinhos, elas secam rapidamente. Já as sobras de comida podem aglomerar muitos bichinhos e causar mau cheiro e mosquitos por todo lado.

A casca pode espalhar sobre um canteiro ainda não cultivado e deixar secar. Mas todos os dias é preciso misturar a terra.
As sobras de comida são necessárias colocar em baixo da terra e deixar curtir. Mexendo sempre para secar uniformemente.
Porém, todo lixo orgânico pode ser misturado após esses processos. Juntos vão formar todas as substâncias necessárias para que a terra seja fértil.

O plantio segue o mesmo ritmo.

Espero ter ajudado alguém
Até o próximo encontro.
Comentário de irineu xavier cotrim em 21 abril 2010 às 0:25
legal este blog. dá pra aproveitar estas experiencias.
Comentário de Iremar Marinho de Barros em 7 maio 2010 às 13:08
Olá, Bianca, sou um apaixonado pela natureza e pela vida natural, quase vegetariano. Uso um espaço minúsculo no meu quintal para plantar variedades de espécies medicinais que uso como chás e temperos. Parabéns pelo seu blog!

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço