Rodeada de convidados, a apresentadora Inezita Barroso fala ao microfone durante a gravação do programa comemorativo aos 30 anos do "Viola, Minha Viola”.

“VIOLA, MINHA VIOLA” - UM PROGRAMA MUSICAL QUE PRESERVA AS RAÍZES BRASILEIRAS.



Esse foi o mote que norteou os 30 anos de existência do programa “Viola, Minha Viola”, da TV Cultura. Comandado por Inezita Barroso, a atração preparou um especial para celebrar a data no Auditório do Ibirapuera. O programa vai ao ar no dia 27 de junho (domingo), às 9 horas.

 

 

“O Viola começou nos estúdios da TV Cultura, com um cenário que imitava um rancho de palha. Fiquei louca quando vi o primeiro programa de casa, aquilo mexeu comigo de verdade’’, conta Inezita Barroso. “Eu já tinha uns mil discos daquele povo todo que tocava na televisão. Naquela época, o auditório já era cheio’’, lembra a apresentadora.

Inicialmente, o 'Viola, Minha Viola' era apresentado por Moraes Sarmento e Nonô Basílio. Em seguida, em parceria com Sarmento, Inezita Barroso deu início a sua carreira de apresentadora no comando da atração. E, desde a morte de Sarmento, Inezita apresenta a atração sozinha. Porém, ela sempre conta com convidados nos programas, tendo recebido quase todos ícones da música caipira, regional e popular brasileira.

Na comemoração dos 30 anos do programa “Viola, Minha Viola”, da TV Cultura, o diretor da atração, Maurício Valinhos, faz uma análise da transformação da música de raiz até o sertanejo universitário de hoje. Ele diz que o gênero musical mudou muito e que não deveria ser chamado de sertanejo.

“Hoje, o sertanejo virou outra coisa. Passamos a chamar o que antes era sertanejo de música caipira. Música de raiz não é só a caipira, mas inclui o forró pé de serra e as guarânias, por exemplo. Hoje, o que mais toca são baladas, que não têm nada de sertanejo. Usam o nome do gênero só porque são duplas, mas é diferente do ritmo original’’.

 

 



Abertura do show comemorativa aos 30 anos do”Viola, Minha Viola” foi feita dia 16 de junho de 2010, no auditório do Ibirapuera (SP), por Almir Sater e contou com nomes expressivos de artistas que tiveram suas carreiras ligadas ao “Viola” e que ainda seguem a tradição da música caipira como Daniel, Liu e Léo, Cezar e Paulinho, Irmãs Galvão (foto abaixo), entre outros.

Participante da primeira edição do programa “Viola, Minha Viola”, há 30 anos, As Galvão, dupla anteriormente conhecida como Irmãs Galvão, marcaram presença no especial que comemora o 30.º aniversário da atração. Tanto tempo depois, as duas contam que é emocionante participar da atração.

“Nós estávamos no primeiro programa, na estreia. O Viola é um dos programas mais requisitados pelas duplas, porque todos sabem a força que ele tem’’, conta Mary Galvão. E completa: “Podemos fazer 200 programas de tevê, mas o que o povo comenta com alegria é o Viola.

Ainda mais pelo fato de a Inezita estar ali, o público a adora. Domingo de manhã, depois da missa,

 

 

Matéria do programa Metrópolis sobre as comemorações dos 30 anos do “Viola, Minha Viola”.

 




PALMAS PARA O “VIOLA, MINHA VIOLA” QUE SOBREVIVEU A TODOS OS MODISMOS DA MÚSICA.

“EITA, PROGRAMA QUE EU GOSTO!!”.



***********
Laura Macedo com informações da Gazeta do Povo / FolhaPress e site da TV Cultura.

************

Exibições: 463

Comentário de Gregório Macedo em 24 junho 2010 às 4:09
Clap! Clap! Clap!
Eita, programa que eu gosto!
Beijos.

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço