Carlos Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Antônio Carlos Gomes (Campinas, 11 de julho de 1836 — Belém, 16 de setembro de 1896) foi o mais importante compositor de ópera brasileiro. Destacou-se pelo estilo romântico, com o qual obteve carreira de destaque na Europa. Foi o primeiro compositor brasileiro a ter suas obras apresentadas no Teatro alla Scala.[1][2] É o autor da ópera O Guarani.
Carlos Gomes nasceu em Campinas e ficou conhecido por Nhô Tonico,[1] nome com que assinava, até, suas dedicatórias. Nasceu numa segunda-feira numa humilde casa da Rua da Matriz Nova,[3] na "cidade das andorinhas". Foram seus pais Manuel José Gomes (Maneco Músico) e dona Fabiana Jaguari Gomes.[4]
A vida de Antônio Carlos Gomes foi, sempre, marcada pela dor. Muito criança ainda, perdeu a mãe, tragicamente, assassinada aos vinte e oito anos.[5] Seu pai vivia em dificuldades, com diversos filhos para sustentar. Com eles, formou uma banda musical, onde Carlos Gomes iniciou seus passos artísticos. Desde cedo, revelou seus pendores musicais, incentivado pelo pai e depois por seu irmão, José Pedro de Sant'Ana Gomes, fiel companheiro das horas amargas.[5]
É na banda do pai, que mais tarde Carlos Gomes viria a substituir,[6] que ele vai fazer, em conjunto com seus irmãos, as primeiras apresentações em bailes e em concertos. Nessa época, Antônio Carlos Gomes alternava o tempo entre o trabalho numa alfaiataria costurando calças e paletós, e o aperfeiçoamento dos seus estudos musicais.
Aos quinze anos de idade, compõe valsas, quadrilhas e polcas. Aos dezoito anos, em 1854, compõe a primeira Missa, Missa de São Sebastião,[1] dedicada ao pai e repleta de misticismo. Na execução cantou alguns solos. A emoção que lhe embargava a voz comoveu a todos os presentes, especialmente ao irmão mais velho, que lhe previa os triunfos. Em 1857, compõe a modinha Suspiro d'Alma com versos do poeta romântico português Almeida Garrett.[1]
Ao completar 23 anos, já apresentara vários concertos, com o pai. Moço ainda, lecionava piano e canto, dedicando-se, sempre, com afinco, ao estudo das óperas, demonstrando preferência por Giuseppe Verdi.[7] Era conhecido também em São Paulo, onde realizava, freqüentemente, concertos, e onde compôs o Hino Acadêmico,[1] ainda hoje cantado pela mocidade da Faculdade de Direito. Aqui, recebeu os mais amplos estímulos e todos, sem discrepância, apontavam-lhe o rumo da Corte, em cujo conservatório poderia aperfeiçoar-se. Todavia, Carlos Gomes não podia viajar porque não tinha recursos.

CONTINUA:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Gomes

Classificação:
  • Atualmente, 0/5 estrelas.

Exibições: 100

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Comentário de jose wellington figueiroa melo em 6 outubro 2011 às 7:13
gostaria de esclarecer que esse poema "Quem sabe" é de Francisco Leite Bitencout Sampaio(1834-1895),poeta e advogado Sergipano nascido na cidade de Laranjeiras.Foi musicado pelo compositor Carlos Gomes em 1859.Outro dia assistir na tv a apresentação de um cantor antigo(não lembro o nome)cantando Luar de Paquetá logo abaixo uma legenda dizendo que a musica e letra era de Freire Junior e o fato repetiu-se com a musica na Beira do mar.As letras dessas musicas são poemas de Hermes Fontes,poeta sergipano nascido na cidade de Boquim.Era membro da Academia Brasileira de Letras.O grande problema na nossa cultura musical é sempre associar o musico a letra.Daí a comerter-se injustiças.Quem divulga esses equivocos na maioria das vezes não tem culpa.Um abraço

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço