Paul McCartney does an early version of the Beatles "Blackbird" in this rare video. It's one of the best Beatles in the studio pieces in circulation. Check ...

Classificação:
  • Atualmente, 0/5 estrelas.

Exibições: 48

Comentar

Você precisa ser um membro de Portal Luis Nassif para adicionar comentários!

Entrar em Portal Luis Nassif

Comentário de Zé Via de Regra em 17 março 2010 às 0:52
Prova de que um pouco de dengo baiano e caretanice pode até melhorar o perfeito, amiguinha querida.

Uma reinterpretação divino-maravilhoso, hein?

Comentário de Simone-Rosa Tupinambá em 17 março 2010 às 0:33
trés bien: "o melhor dos beatles está nos stones", o melhor de john está em paul... you can't always get satisfaction...but you try here, there and everywhere, que é o seguinte, quase morro, sempre revolver, my second love, o primeiro foi o Pedro.
mauricinho nada, ele saca o erudito desse melro simples e absurdo.

retribuindo o rock, a la hendrix:


liu: você gosta disso: eu sempre acho que sei:

Comentário de Zé Via de Regra em 17 março 2010 às 0:05
Comentário de Zé Via de Regra em 16 março 2010 às 23:59
O mauricinho é de preto no branco.
Não enxerga cinzas.
De Paul a John havia Donovan, Dylan, Chuck Berry, Elvis, e Ginsburg, e fundamentalmente George Martin, né, del Rio?
Beatles era um pacote aberto/fechado, que influenciava e se deixava influenciar.
De Beatles 66 a Abbey Road roda a história do pop, do imperialismo ao desbunde.
O melhor de Beatles está nos Stones:


Comentário de Simone-Rosa Tupinambá em 16 março 2010 às 22:42
mas é rock, mesmo folk, popbachiana, ouço sempre um rock nos beatles. joão gilberto? ele dizia que não tocava bossa-nova, mas samba. samba de câmara. rock de câmara.
liu, gosto da dupla, como em fool on the hill, estranhamente a letra é do john na música tão perfeita, como você disse, mccarthy. no album branco, joão tb tem um, já estavam juntos apenas no estúdio.
Comentário de Liu Sai Yam em 16 março 2010 às 11:51
Tendência joãogilbertiana de achar os acordes perfeitos, o casamento entre voz e instrumento.
Era Paul, perfeccionista até a chatice, mas transformando a canção algo piegas antiescravocrata em peça acústica onde tudo se encaixa e tudo encanta.
Beatles era (é) Paul. Quando deixou de ser Paul, acabou-se.

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço