Todos os Vídeos Marcados sido (Portal Luis Nassif) - Portal Luis Nassif 2020-08-05T08:23:21Z http://blogln.ning.com/video/video/listTagged?tag=sido&rss=yes&xn_auth=no A Velhice da Porta-Bandeira (Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro) tag:blogln.ning.com,2011-02-19:2189391:Video:532395 2011-02-19T01:06:19.795Z Roberto de Carvalho Rensi http://blogln.ning.com/profile/RobertodeCarvalhoRensi <a href="http://blogln.ning.com/video/a-velhice-da-portabandeira"><br /> <img alt="Miniatura" height="135" src="http://storage.ning.com/topology/rest/1.0/file/get/2509650319?profile=original&amp;width=240&amp;height=135" width="240"></img><br /> </a> <br></br>Esse é um dos sambas que mais me emocionam.<br></br> Paulo César Pinheiro conta que quando menino ficou impressionado quando viu uma porta-bandeira ao vivo. Já adulto, pensando naquela porta-bandeira escreveu esse samba, imaginando como seria para ela envelhecer e deixar de ser porta-bandeira.<br></br> <br></br> Maíra Soares canta A Velhice da Porta-Bandeira, de Eduardo Gudin e Paulo César… <a href="http://blogln.ning.com/video/a-velhice-da-portabandeira"><br /> <img src="http://storage.ning.com/topology/rest/1.0/file/get/2509650319?profile=original&amp;width=240&amp;height=135" width="240" height="135" alt="Miniatura" /><br /> </a><br />Esse é um dos sambas que mais me emocionam.<br /> Paulo César Pinheiro conta que quando menino ficou impressionado quando viu uma porta-bandeira ao vivo. Já adulto, pensando naquela porta-bandeira escreveu esse samba, imaginando como seria para ela envelhecer e deixar de ser porta-bandeira.<br /> <br /> Maíra Soares canta A Velhice da Porta-Bandeira, de Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro, acompanhada do violonista Paulinho Grassmann e do pandeirista Careca, no bar Batuque de Fato.<br /> <br /> Voz: Maíra Soares<br /> Violão: Paulinho Grassmann<br /> Pandeiro: Careca<br /> Vídeo: Lois Neubauer<br /> Fotos: Lois Neubauer e Marcelo Min<br /> <br /> São Paulo, outubro de 2010<br /> <br /> <br /> VELHICE DA PORTA-BANDEIRA (Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro)<br /> <br /> Ela renunciou
<br /> A mangueira saiu, ela ficou
<br /> Era porta-bandeira
<br /> Desde a primeira vez
<br /> Por que terá sido isso que ela fez?

<br /> <br /> Não, ninguém saberá
<br /> Ela se demitiu, outra virá
<br /> Ninguém a viu chorando
<br /> Coisa tão singular
<br /> Quando a bandeira tremeu no ar

<br /> <br /> Ô... Quando toda avenida sambou
<br /> O seu mundo se desmoronou
<br /> <br /> Ela se emocionou
<br /> Perto dela ela ouviu, alguém gritou:
<br /> "viva a porta-bandeira",
<br /> "sou eu", ela pensou
<br /> Mas foi a outra quem se curvou
<br /> <br /> Ô... Quando toda avenida sambou
<br /> O seu mundo se desmoronou
<br /> Ô... Quando a porta-bandeira passou
<br /> Quem viu
<br /> Ela se levantou e aplaudiu