A data de 28 de Outubro de 1717 foi a data em que Frederico Guilherme I (Friedrich Wilhelm I), rei da Prússia instituiu a obrigatoriedade do ensino primário no seu país, obrigando que as crianças ficassem de 5 a 12 anos na escola. Inclusive na mesma época o déspota esclarecido impediu por lei a contratação de qualquer criança que não houvesse concluído o ensino obrigatório.

Lembramos muito da Alemanha como um estado déspota e autoritário, e simplesmente ignoramos que em termos de política de ensino público este país sempre foi líder na Europa.

Fala-se muito na Revolução Francesa que procurou instituir em 1789 (72 anos após a Prússia) o ensino público, mas mesmo assim contra a opinião de Iluministas Franceses como Voltaire, que declarava como inútil a alfabetização do povo.

Os teóricos da educação insistem em ignorar o fato que por mais voltada para a criação do bom soldado, do bom operário a universalização da educação como foi feita na Prússia, foi mais revolucionária do que um monte de baboseiras filosóficas em termos de educação dos últimos 100 anos.

Decreto real que institui o ensino obrigatório na Prússia.

Só para provar a minha simples tese, foi a educação Prussiana que criou mentes como Marx, Engels e centenas de pensadores alemães do século passado.

Li a pouco uma tese de 2010, de uma das principais Universidades do país, onde na introdução sobre o ensino público está escrita a seguinte passagem:

"Com a revolução Francesa foi desencadeada uma luta pela expansão da escola pública e da articulação entre ensino primário e secundário,...."

Ou seja, a autora simplesmente ignora que na época da Revolução Francesa, o ensino público era universalizado em toda a Prússia e obrigatório em 8 anos (já haviam aumentado o ensina básico).

Logicamente, este incremento do ensino público não foi devido a teorias Marxistas, pois o próprio Marx é que estudou no Liceu Friedrich Wilhelm em 1830, mas Marx teve a sua formação graças ao próprio Friedrich Wilhelm. Provavelmente se Marx e outros grandes pensadores do século XIX se tivessem nascidos em outro país europeu não teriam deixado o legado que deixaram.

Este último parágrafo é simplesmente para ilustrar que a educação pública não nasce como teóricos modernos pretendem demonstrar no fim do século XIX e início de século XX.

Exibições: 1286

Responder esta

Respostas a este tópico

Ao que parece, nem você, né, publicar isso em 10/12... (rs, rs)
Marx era de classe média alta, e teria sido educado de qualquer modo... Nao exagera.

E com "baboseiras filosóficas em termos de educaçao dos últimos 100 anos" você está se referindo ao quê, exatamente? Tá querendo fazer concorrência à VEJA, ou ao discípulo de Olavo de Carvalho que o Nassif publicou dizendo horrores de Paulo Freire? Ora francamente... Tome tento!

Agora não tenho tempo, mas o construtivismo na educação começa na Prussia, não em 1717 mas antes das linhas modernas de educação, e todos simplesmente negam a eles o início. Quando tiver mais tempo faço um relato.

Agora me comparar com Olavo de Carvalho, já é desaforou, podias ter um pouco mais de respeito.

Eu só disse para você tomar tento, para nao ficar igual a ele... E nao, o construtivismo nao começa em 1717, porque ainda nao havia a noçao de construtivismo. Pode ter havido alguma pedagogia avançada, mas construtivismo nao. Construtivismo é uma pedagogia baseada em Piaget...

Vou responder com calma, terás uma surpresa, no momento aqui não tenho a fonte, mas espere.

Como classificarias a pedagogia de Johann Heinrich Pestalozzi?

Repetindo: "Pode ter havido alguma pedagogia avançada, mas construtivismo nao. Construtivismo é uma pedagogia baseada em Piaget..."

Só colocar um nome em dado tipo de processo não indica que este processo já tenha sido iniciado an

Tinha escrito bem mais do que isto!

Cortou, e ficou sem sentido.

'Só que nao se trata de um "processo", seja lá o que você queira chamar assim nesse contexto, e sim de um sistema de idéias. Acho até, pelo pouco que vi sobre as idéias dele, que é provável que Pestalozzi tenha influenciado Piaget, este seguramente deve ter conhecido as idéias dele. Mas daí a dizer que o construtivismo, que é um sistema coerente de idéias, já existia, há uma diferença grande.

Melhorando!

Chegaremos a um acordo no futuro.

Pontos que perdi acima:

Uma pequena digressão sobre anterioridade na ciência.

O que significa classificar em ciência

Semelhança entre processos pedagógicos (se não gostasse da palavra, passe açúcar) e

Modelos teóricos.

Volto a escrever outro dia.

Ana Lú.

Primeira pista, Pestalozzi era o Pedagogo mais conhecido da Suíça nos séculos  XVII e XIX, sendo que seus trabalhos sempre foram na Suíça.

Piaget era Suíço!

Para continuar o assunto, coloco aqui as bases do método de Pestalozzi (vide http://edci815s12.wikispaces.com/file/view/PestalozziArticle_Gehrin... não tirei exatamente daí) , ou seja o ensino deve ser centrado:

.

Nos interesses e nas necessidades das crianças.

Na criança não no professor.

Na participação ativa (em vez de passiva) da experiência de aprendizagem.

Na liberdade da criança tendo como base o seu desenvolvimento natural e equilibrado, com auto-disciplina para se formar como um indivíduo e na sociedade.

Na experiência direta da criança com o mundo e no uso de objetos naturais para o ensino.

No uso dos sentidos dos alunos de formação, observação e julgamento.

Na cooperação entre a escola e/a casa, entre pais e professores.

Na importância de uma educação integral - uma educação da mente, coração e mãos, mas sendo liderado pelo coração.

Na utilização de materiais sistematizados de educação, que deverão ser feitos com cuidado e bem ilustrados.

No ensino deve ser interdisciplinar e com vida escolar variada.

Na ênfase tanto nas coisas que são ensinadas, como na forma em que é ensinado.

No amor como base da autoridade, o aluno não deve temer o professor.

No cuidado com a formação dos professores.

.

.

Mais outra pista. Pestalozzi descreve os três estados no desenvolvimento da espécie humana (atenção, Pestalozzi escreve isto em 1797, e não no século vinte).

.

Primeiro estágio: Estado Natural (o homem é puro instinto, que o conduz para o gozo dos sentidos).

Segundo estágio: Estado Social.

Terceiro estágio: Estado Moral.

.

Piaget na “sua teoria cognitiva” descreve a evolução do ser humano em quatro estágios (atenção, Piaget descreve isto por volta de 1920).

.

Primeiro estágio: Estágio sensório-motor.

Segundo estágio: Estágio pré-operacional.

Terceiro estágio: Estágio operatório concreto.

Quarto estágio: Estágio operatório formal.

.

Parece-me claro, que Piaget, Suíço, com a vida dedicada à educação, não conhecesse a fundo a obra do maior pedagogo Suíço e reformador da escola nos países de língua alemã. .

Só me espanta que ele simplesmente não referencie Pestalozzi como a sua origem, referencia Jean-Jacques Rousseau que além de não ser um grande parâmetro de educação era um adepto do elitismo na educação, enquanto Pestalozzi era exatamente ao contrário.

É interessante que assim como Pestalozzi, Piaget procura estabelecer níveis de desenvolvimento do Homem, a diferença está nos dois séculos que separam os trabalhos dos mesmos e na denominação que cada um dá sobre estes níveis, bem de acordo com a época em que viviam.

Talvez o que queria Piaget era se distanciar da influência Prussiana, pois ele era nativo de uma cidade que havia sido ocupada pela Prússia até 1848, devido a isto sorveu e copiou alguns princípios da pedagogia de Pestalozzi e não deu créditos a ele.

Teria que olhar melhor nos documentos de origem para me certificar disto, de qualquer forma é suspeito a barreira que se tem contra Pestalozzi, que é ignorado pela maior parte do pessoal vinculado a educação.

É interessante notar que o nome de Pestalozzi é facilmente associado à Maria Montessori, na introdução norte-americana do livro, Método Montessioriano por Maria Montessori, quem escreve a introdução deixa bem claro a influência da Pestalozzi no trabalho de Maria Montessori.

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço