A favor da pena de morte, do aborto e descriminalização das drogas.

Em geral somos muito hipócritas quando afirmamos o contrário.

Para começar, a pena de morte, somos contra até nos depararmos com um assassino contumaz ou sofrermos algum ato grave de criminalidade.

Para que prender por anos a fio um criminoso ou assassino irrecuperável ( sim, porque nossas prisões não recuperam ninguém) e ainda gastarem-se recursos públicos para tal, sendo que seriam muito mais bem empregados se gastos na educação do povo ou na saúde. 

Quanto ao aborto, repito o que já escrevi por aqui; Deveria haver uma lei obrigando a todos que são contra o aborto a adotarem todas as crianças que seriam abortadas. E novamente, somos contra até nos depararmos com um caso real e próximo.

Porque ou o governo libera o aborto para evitar milhares de mortes pelos "clandestinos" ou impeça todos os cidadãos que não tem condições de criarem e educarem uma criança de terem relações sexuais ( o que é impossível). 

Vamos as drogas, é uma grande imbecilidade imaginar-se que proibindo um ato prazeroso, este irá diminuir.

E qual alegação ?

Que faz mal à saúde, que pode destruir famílias, que pode provocar violência e criminalidade ?

Ora, primeiro que se dê educação e informação a todos da sociedade.

E depois que se puna exemplarmente os violentos e criminosos.

Em relação à saúde, todos devemos ter plena liberdade de se destruir caso assim desejemos.

Quanto a "destruição familiar", o estado deve simplesmente colocar psicólogos, psiquiatras e outros profissionais da saúde além de clinicas á disposição da população para tratamento dos viciados. 

Exibições: 1308

Responder esta

Respostas a este tópico

Ué, por que agradecer? É a finalidade daqui, trocar idéias... Tb achei legal. 

Abs

É preciso começar a   desconstruir, a partir da própria tradição cristã, as bases culturais e teológicas que impedem as pessoas, especialmente as mulheres, de viver a sexualidade e a reprodução com autonomia e liberdade. 

Viram a  operação Pró Vita(repare bem no nome),

Quando a gente discute aborto , é quase invariável a linha que se segue.

quando se fala que nenhuma mulher deveria ser obrigada a levar adiante uma gravidez não-desejada.

A resposta é que, se não quisesse engravidar, a mulher deveria se prevenir.

Sim somos a favor de ampliar o acesso a métodos contraceptivos (algo que enfrenta a oposição da Igreja( ora bolas!)

lembramos que não existe método infalível. Camisinhas estouram ou escorregam,

pílulas podem não ser absorvidas corretamente pelo organismo,

etc.

Aí chegamos ao ponto central: a resposta a isso é “então, que não façam sexo!”.

Dificilmente esse discurso chega logo de cara, mas basta trocar algumas palavras para se revelar que o principal motivo para a interdição do aborto é regular a sexualidade da mulher.

 * Ah! saíram os resultados de uma pesquisa feita pela UnB com o perfil das mulheres que já fizeram aborto. A ampla maioria têm filhos, têm religião e são casadas. Estima-se que 5 milhões de mulheres já fizeram aborto no Brasil. 5 milhões.

 * Acho que a Polícia Federal vai ter trabalho.Com mais operações Pró Vita.

* E sou das católicas.

Dossiê aborto legal

 

O documento, editado pela Católicas pelo Direito de Decidir em 2005, apresenta um quadro geral do serviço de aborto legal no Brasil. O dossiê aborda o processo de implantação deste serviço e a regulamentação da prática legal do aborto, passando pela Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher. Há ainda uma análise sobre a cobertura midiática ao tema aborto, entre os anos de 2004 e 2005, e os resultados de uma pesquisa de opinião pública, realizada em 2005, que sinaliza o apoio da população católica ao aborto legal e aos serviços de anticoncepção de emergência.

Nesta leitura, é possível acessar também os relatórios sobre as atividades desenvolvidas pela CDD em hospitais que prestam atendimento de aborto legal em todas as regiões do país. A instituição realizou pesquisas, debates, oficinas e seminários nacionais sobre as implicações ético-religiosas em torno do aborto legal com o objetivo de sensibilizar e formar os profissionais da área da saúde envolvidos com este tipo de atendimento.

Para ler o Dossiê aborto legal, na íntegra, clique aqui.

Stella eu li tudo e fiquei impressionada com as dificuldades por que passaram e estão passando todos. A igreja católica começou tudo e agora se juntaram os evangélicos.Pena que homem não fica grávido.Se ficasse a discriminalização do aborto já estaria permitida a muitos anos. O que um padre sabe sobre o sentimento de uma mulher ser estrupada e ter que  ficar com um filho deste estrupo? Ou de levar uma gravidez por 9 meses, sabendo que a criança nascerá morta ou morrerá logo após? O que sabe disso estes pastores ignorantes?

Acho inadmissível que homens dêem pitacos sobre este assunto. Que a igreja católica e evangélica fiquem querendo comandar dentro de suas igrejas ou templos. O estado é laico e temos que lutar para que o seja de fato.

Concordo com todos os relatos exarados nos itens apresentados, dando a minha opinião sobre o "SUS" fiasco da obra política da saúde em extinguir o bem administrado INAMPS.
Aliás, não tendo bola de cristal, não sendo nem parente de bruxo, compondo equipes de trabalho quando da implantação do SUS aqui em Goiás após longos anos de trabalho sério e objetivos sadios, porém vendo e vivendo com a nova e estranha equipe (que no INAMPS era família) de influencia política do Estado e Município a quem a maioria dos verdadeiros e valiosos colegas chamava de intrusa, paraquedista, etc., um dia me mostrou o centro da "coisa" minha desconfiança naquilo que eu dedicava tanto sacrifício pessoal na busca de cumprir bem o meu dever funcional, no ato de posse na Diretoria Administrativa do maior e mais importante Hospital do INAMPS na Capital, fui tripudiado por quase todos aqueles verdadeiros barnabés do Estado lotados no Departamento em que me encontrava assinando papéis, ao apresentar a lista de bens pessoais onde constou apenas: Valores imensuráveis, uma maravilhosa família composta de seis membros, zerando todos os demais itens, o que serviu para risos e comentários que não vale lembrar e foi aí que ficou autenticado o meu descrédito total no futuro da saúde pública, mas mesmo assim não havendo outra opção para continuar, durante o tempo em que permaneci Diretor Administrativo do Òrgão hospitalar, só combatí corrupção até que me deram um ultimato de que eu seria demitido e eu não permiti que isso acontecesse solicitando imediatamente a demissão da função.

Estou totalmente de acordo com as mulheres que acham ser o aborto um assunto estritamente feminino e portanto diz respeito somente a elas.

Como já foi relatado, obrigar uma mulher a carregar um feto indesejável durante nove meses e ainda sofrer todos os problemas de saúde advindo deste, soa como e é uma punição sobretudo imposta pelos homens (que não tem a mínima ideia do é ficar grávida)

Os que são contra o aborto, pensam como se ainda estivessem  na idade média, onde qualquer desvio das ordens clericais eram punidos severamente quando não, com a própria morte ( aliás é o que acontece com milhares de mulheres todos os anos no Brasil, recebem pena de morte ao engravidarem)

Dizer-se que qualquer feto é um ser vivo e merece nascer é no mínimo desumano. ( Na sociedade Brasileira atual é condenar mães e filhos a uma vida desgraçada )

Coloquei esses 3 assuntos em pauta porque são interligados, aborto, drogas e criminalidade.

Certamente se fizessem uma pesquisa iriam constatar que em geral, o feto que não foi abortado, passa a ser uma criança indesejada, adolescente drogado e violento e não raro se transforma num adulto criminoso.

Pensem nisso.

Como foi o nascimento, o desenvolvimento e a educação desses milhares de criminosos violentos e assassinos contumaz dos quais temos tanto medo ?

Prezado Mayo

Apesar de discordar da sua maneira de pensar neste quesito, admito que sua participação é de grande valia para podermos entender como pensa boa parte da sociedade.

Além do mais, não há discussão sem contraponto.

Infelizmente o mundo não é como desejamos ou muitas vezes imaginamos, seria uma maravilha (ou chatice) se todo ser humano fosse bem criado e educado, agisse com bom senso, respeito e moralidade.

Porem ele não é assim e a sociedade Brasileira no geral é muito mal educada (quando é) quase que totalmente desinformada e como boa parte dos seres humanos age muito mais por instinto do que racionalmente.

No caso especifico da contracepção é utópico desejarmos isto, quando boa parte nem imagina se prevenir contra doenças sexualmente transmissíveis ( o que é imensamente mais terrível e preocupante).

Ora se nem correndo o risco de morrer ou sofrer muito contraindo uma doença, as pessoas não se previnem, que dirá uma gravidez ( que não é doença e nem leva à morte em geral).

Isto sem dizer muitas mulheres abortam como se fosse um ato totalmente normal e natural ( Quem assistiu o filme "Ó Pai, ó" bem viu como este assunto é tratado na região das filmagens)

Impedir esse grande contingente de ter relação sexuais é impossível, competência para educá-los e informá-los também não temos, então como podemos querer puni-los ?

 

Gabriel eu não concordo quando dizes que muitas mulheres abortam como se fosse um ato normal e natural. Eu conheço   em toda minha vida, e olha que é muito tempo, só uma que me disse que tinha feito 23 abortos. E disse como se me estivesse contando que comeu um prato de feijão.

Para a grande maioria das mulheres o aborto é algo muito sofrido. É um pedaço delas que é tirado.

Fora a grande humilhação por que passam pelos que sabem e a condenação de quem não sabe o porque.

Falou e disse. Uma coisa que mexe com o corpo, e com o imaginário inconsciente, e que deixa marcas. É um mal, porém muitas vezes necessário. 

Marise e Anarquista.

Se for assim é muito pior do que imaginava.

Pois se a grande maioria dos abortos é sofrida torna-se ainda mais inaceitável  julgá-los.

Neste quesito vemos o quanto a sociedade é hipócrita ao julgar e condenar um ato do qual em geral desconhece a realidade.

Eu ainda endosso e concluo que as razões de tal atitude advém de serem estados e religiões patriarcais.

Como bem já escreveram. - " Se homem ficasse gravido, já teriam liberado o aborto há tempos aliás, acho que nem seria pauta de discussões.

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço