Cada vez mais fica claro o quanto a “Era Vargas” foi fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país. Somente para citar algumas das suas realizações mais importantes, nós temos:

1) A CSN, que começou a ser construída em 1942 e sem a qual a industrialização do país não teria sido possível, e que foi a primeira grande siderúrgica brasileira. Antes dela, tínhamos pequenas siderúrgicas espalhadas pelo país, usando de uma tecnologia obsoleta;

2) A Vale do Rio Doce, que foi criada na mesma época da CSN e que quando era estatal já havia se tornado uma das maiores empresas de mineração do mundo;

3) O BNDES, que foi criado pelo governo Vargas em 1952;

4) A Petrobras, que foi criada pelo governo Vargas, junto com o monopólio estatal do petróleo, em 1953;

5) A CLT, adotada em 1942, e que transformou os direitos trabalhistas em um direito permanente no país, sendo fundamental para promover a inclusão social dos trabalhadores naquela época.

6) A criação do PTB, que promoveu a inclusão política dos trabalhadores no cenário nacional, fazendo com que eles se tornassem uma peça decisiva nas disputas políticas, sociais e eleitorais brasileiras do período 1945-1964.

E a importância da herança ‘Varguista’ ficou claro, mais uma vez, nesta crise global, que provocou a derrocada do Neoliberalismo em todo o planeta.

Afinal, quais foram dois dos principais instrumentos utilizados pelo governo Lula para fazer com que o Brasil superasse os efeitos da mesma antes dos outros países? A Petrobras e o BNDES. Ambos, criações varguistas, portanto.

E ao contrário do que se pensa, não foi o Fascismo a principal linha teórica que influenciou o governo Vargas mas, sim, o Corporativismo e o Positivismo. E nenhuma das duas era
Fascista. O ‘Estado Novo’ ganhou esse nome devido à influência do governo português de Salazar sobre o governo Vargas. E Salazar era um ditador, mas não era Fascista.

Se bem que temos que fazer uma ressalva importante aqui, que é quando chamamos Vargas de 'Ditador'. Não se trata de negar a repressão e a violência praticadas pelo seu governo durante, e principalmente, a Ditadura do Estado Novo (1937-1945).

Mas, algo que precisa ser devidamente levado em consideração é que, naquele período da história brasileira, não havia, de fato, nenhuma força política ou movimento político, que fosse verdadeira e autenticamente democrático no país. Prestes defendia o modelo do 'Socialismo' soviético, que de democrático não tinha nada. Plínio Salgado era outro líder importante do período e que defendia uma versão brasileira do Fascismo europeu, que era o Integralismo.

Em muitos outros países (na Europa e na América Latina) as Democracias Liberais viviam a sua mais séria crise e muitos duvidavam que ela sobreviveria, devido à ascensão do Socialismo soviético e do Nazi-Fascismo.

Assim, todos os principais líderes e movimentos políticos do período defendiam algum tipo de governo autoritário ou ditatorial, fosse do lado das Esquerdas, fosse do lado das Direitas.

Então, Vargas pode ter sido um 'ditador', mas qualquer outro líder que tivesse chegado ao poder, no Brasil, naquele momento, teria se transformado em um Ditador.

Exibições: 1652

Responder esta

Respostas a este tópico

Abri um novo tópico, onde explico melhor as mudanças pelas quais passaram as relações entre os governos Vargas/Jango com o movimento operário no período 1951-1964.

http://blogln.ning.com/forum/topics/vargas-jango-e-a-nova-politica
Mas o líder carismático, se democrático, nao ajuda a própria organização dos trabalhadores a se fazer? (Ajuda e atrapalha tb, OK, mas nao há mais infra-estrutura para que isso aconteça?). Falando de agora, Lula cooptou a CUT e a UNE, praticamente tornando-os organizações chapa-branca; mas eu diria que com o crescimento, o aumento da auto-estima do povo, etc., há mais condições para que a organização popular cresça.
Não me parece que tais movimentos tenham sido 'cooptados'. Eles apenas fazem parte de um governo que mantém um diálogo permanente com eles e que atende a muitas das suas reivindicações.

Se isso é ser cooptado, então quando um empresário participa de um governo ele também está sendo cooptado?

Ou a tese da cooptação aplica-se apenas quando os trabalhadores, estudantes, sem-teto, entre outros movimentos sociais, passam a fazer parte do governo?
Agora deixaram de defender as categorias que antes defendiam quando elas reivindicam coisas e o governo as desrespeita. A ANDES teve que abandonar a CUT.
Quem comanda a ANDES? PSOL? PSTU? PCO? Todos eles juntos?

Outro dia li na 'Folha' (não compro o panfleto... apenas o leio no meu local de trabalho) que os funcionários dos Correios conseguiram 194% de aumento salarial no governo Lula, sendo que a inflação acumulada neste é de apenas 45%.

Daí, se o sindicato dos funcionários dos Correios apoiar a Dilma, significa que eles foram 'cooptados'?

Uma reivindicação antiga da CUT e do movimento sindical era a adoção de uma política permanente para o salário mínimo que recuperasse o seu poder de compra. Esta política foi adotada pelo governo Lula e, hoje, o salário mínimo é reajustado, todos os anos, acima da inflação. E o mesmo já acumula um reajuste de 132,5% no governo Lula.

Os funcionários públicos federais, então, nem se fala. Tiveram, no governo Lula, reajustes muito superiores ao da inflação do período.

Ontem mesmo li um texto em que é dito que quando Lula tomou posse o salário médio do funcionalismo público federal era de R$ 2.700. Hoje, o mesmo salário médio é de R$ 6.700, totalizando um aumento de 148%.

Daí, se os funcionários públicos federais votarem na Dilma, é porque eles foram 'cooptados'?

No governo Lula, o orçamento do Pronaf passou de R$ 2,38 Bilhões (2002) para R$ 15 Bilhões (2010). Mas, se os pequenos agricultores votarem na Dilma é porque eles foram 'cooptados'?
Companheiro,como conseguiríamos "avançar na organização autônoma da classe trabalhadora"se não temos em vista,nenhum líder em formação,seja ele carismático,ou não ?
Se fóssemos seguir á risca sua pregação contra o populismo,como teríamos chegado ao "fenomeno Lula"que a todos os conservadores amedrontava,com suas posições políticas altamente esquerdistas,e que no poder,demonstrou ter a coerencia necessária,para governar para todos e equilibradamente.
Monteiro Lobato defendia. Nao era um político de partido, nem candidato a nada, mas um líder com repercussao nacional.
"O problema maior do populismo, é que ele tem pés de barro, pois não cria instituições e legislação fortes no estado e é facilmente retirável, ou ultrapassável, pois depende da existência do grande líder, do "timoneiro", que desfruta de grande apoio do povão." Sergio Troncoso

Não penso que governos 'populistas' (ou seja, nacionalistas e reformistas) tenham pés-de-barro, não.

Veja que o legado de Vargas dura até os dias atuais: CLT, CSN, Petrobras, BNDES.

Tais realizações foram fundamentais para que o Brasil se desenvolvesse.

E se tudo isso durou por tanto tempo é porque nem tudo depende da existência de um 'líder forte e carismático'.

Entendo que as realizações dos governos nacionalistas e reformistas, como o de Vargas, foram muito maiores do que se gosta de admitir.
Caro Donizete, não estou te entendendo.

Governo nacionalista e reformista é sinônimo de governo populista?

Você identifica governo popular com governo populista?

abraço
Doniseti, o governo descumpriu acordos que tinha feito com a ANDES. Está forçando a barra de uma mudança de carreira que acaba na prática com a DE de professores universitários. E você reduz a discordância da entidade a qual partido domina a ANDES? Que nível de sectarismo, hem? Você aliás está confirmando o que eu disse sobre cooptação...
Bem, anarquista, somente lhe fiz uma pergunta... mais nada. E você não me respondeu. Aliás, como você não respondeu a nenhum dos meus questionamentos e argumentos, deixa pra lá...

Eu, particularmente, não gosto da Extrema-Esquerda e nem da Extrema-Direita. E por uma razão muito simples: sempre que eles chegaram ao poder, em qualquer país, trataram de aniquilar com toda e qualquer liberdade ou direito da população.

Agora, dizer que uma mudança 'na carreira de professores universitários' significa cooptação, aí já é demais, né?
Acho que nao foi isso que eu disse... Se você lesse com atençao, nao desfazendo por princípio, talvez conseguisse entender. A cooptação foi da CUT, nao da ANDES. A ANDES, que era filiada à CUT, teve que se desfiliar, porque a CUT passou a concordar com tudo o que o governo queria, e a nao mais defender os filiados. Foi isso que eu disse. Você reduziu a questao a qual partido estaria dominando a ANDES -- quando há eleições na ANDES de 2 em 2 anos, e ganham chapas de diferentes orientações; e além disso as posições sao tomadas em congressos, e nao pela Diretoria. Mas você tb está de acordo com o governo por princípio, nao é, em qualquer questao; aí dá nisso. E antes que me atribua um partido qualquer, apóio esse governo; apenas nao incondicionalmente.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço