APESAR DAS TENTIVAS DA OPOSIÇÃO, GOVERNO MANTEM O CONTROLE DA SITUAÇÃO NOS BASTIDORES DA DISPUTA QUE ANTECEDE A CORRIDA PRESIDENCIAL DE 2010.

Apesar do fim de semana aparentemente tranqüilo com nenhuma pesquisa com números de impacto, a disputa nos bastidores continua e a grande cobiçada do momento é a classe média, principalmente a nova classe média que se consolidou durante o Governo Lula.
Milhões de novos brasileiros que acessaram a um melhor padrão de vida cujas consciências precisam ser ganhas pela oposição ou mantida pelo governo.

A oposição corre contra o tempo, usa todos os mecanismos a sua disposição, principalmente aquele setor da imprensa classificado de PIG (Partido da Imprensa Golpista), que não perde a oportunidade de fustigar o governo todo momento, tudo é motivo de crise. O objetivo é convencer os eleitores, a partir da classe média é claro, de que o bom momento que o Brasil vive atualmente foi plantado pela oposição quando FHC foi presidente de 1994 a 2002 e que o Governo Lula apenas esta se aproveitando dessa situação com ajuda da conjuntura internacional favorável, que volta a ser muito boa para o Brasil com o final da crise.
Toda estratégia oposicionista estava articulada para que o principal candidato à presidência da oposição, no caso o Governador de São Paulo José Serra conseguisse chegar no início da campanha eleitoral oficial na metade do ano que vem com uma intenção de votos estimulada em torno de 35% a 45% para poder ir ao segundo turno com força e disputar de igual para igual com o candidato, ou melhor, candidata, governista, em condições de ter chances de vitória.
No entanto, já a partir da segunda quinzena de setembro de 2009 os números das pesquisas não pareceram tão favoráveis a Serra.
Para contrabalançar este fato, forças políticas oposicionistas somadas aos setores empresariais e também a imprensa historicamente comprometidos com o projeto político, que governou o Brasil até 2002 decidiram partir para uma estratégia alternativa de dividir os votos do campo governista; primeiro através da candidatura da Senadora Marina Silva, depois através da tentativa de fortalecer, pelo menos momentaneamente, a candidatura Ciro Gomes.
Todos esses movimentos, pelo menos até o presente momento não surtiram o efeito esperado pelos oposicionistas. Contudo, não se enganem, o grande termômetro da disposição oposicionista é o Governador José Serra, se ele entrar na disputa é porque tem a leitura de que ainda terá um pouco de chance, nesse caso se agarrará a esta até o fim. Talvez seja exatamente nesse momento é que a democracia brasileira tenha que passar pelo seu maior teste, mais arriscado inclusive que o impechement de Collor.

Depois da escolha da cidade do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016, a situação do Governo Lula que já era, de certa forma confortável, se tornou mais tranqüila ainda, principalmente depois que Ciro Gomes transferiu seu título para o Estado de São Paulo e que a candidatura da Senadora Marina Silva ainda não conseguiu o apoio popular que a oposição desejava.
O fato de Ciro Gomes ter demonstrado que pode topar ser candidato ao Governo de São Paulo e o apoio à candidatura Dilma Roussef do PDT e do PC do B, alem da tendência do PMDB nacional de fechar com a candidatura governista indica que o campo governista esta unido e que o Presidente Lula tem o controle da sucessão presidencial, pelo menos até o momento.

Conclusão, apesar de números que ainda indicam Serra na liderança no plano nacional, mesmo levando em conta que já existem noticias de que Serra teria caído no Estado do Rio de Janeiro de 30% para 22% de intenções de votos espontâneos, noticia que o blog vai verificar com mais detalhes, as condições básicas e objetivas para se chegar a uma vitória quem esta conseguindo criar até o presente momento é o bloco governista liderado pelo Presidente Lula.
É sempre bom lembrar que todo governo sempre tem a oportunidade de criar todas as condições para eleger a sucessor, para isso basta ser eficiente e atender as necessidades da população para ter maioria no apoio da opinião pública. Até o presente momento o governo Lula tem seguido esta regra de maneira impecável. Se continuar acertando e não cometer erros primários como, por exemplo, retardar a restituição do imposto de renda, será difícil para a oposição chegar ao Planalto.
O que se espera é que os oposicionistas mais açodados, dentre os quais está incluso o Governador José Serra e também alguns membros do DEM, saibam aceitar o resultado final, caso os partidos governistas estejam prestes a eleger sucessor de Lula, sem apelar para ações que estejam à margem da democracia plena. Esse alerta vale também para o PIG, principalmente as Organizações Globo.

Exibições: 82

Responder esta

Respostas a este tópico

Sartori,

Bela leitura da atual conjuntura política brasileira. Nos resta aguardar a movimentação da mídia golpista para sabermos se a oposição logrará êxito na tentativa de interromper o projeto político do partido dos trabalhadores e voltarmos a estaca zero com a direita conservadora e neoliberal, que tem como principal mentor FHC.

Um abraço,

Gilson Souza

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço