Participar de alguma dessas redes sociais que encontramos na internet, já tem se tornado corriqueiro e eu, após muita relutância, também acabei aderindo, sentindo que ali estava uma oportunidade de trocar idéias com pessoas dos mais diversos lugares e mentalidades. Pois recentemente eu fui excluído por vários amigos de uma delas pelo simples fato de que OUSEI CONTESTAR o teor de uma postagem por eles divulgada que contém a seguinte frase: O IBAMA CONSIDERA UM CRIME A CONFECÇÃO DE BOLSAS COM COURO DE JACARÉ, MAS NÃO HÁ LEI QUE PROÍBA A CONFECÇÃO DE BOLSAS-FAMÍLIA COM O COURO DA CLASSE MÉDIA.

Não que eu me importe com quantidade de amigos, principalmente daqueles que não aceitam o debate de idéias, mas acho que não podemos confundir as coisas. BOLSAS E ARTEFATOS DE COURO DE JACARÉ alimentam a vaidade de pessoas fúteis das quais eu sempre procuro me afastar rapidamente, já que sendo um anticonsumista e ferrenho defensor da natureza, não me sinto bem ao lado delas, pessoas abjetas que são.

Outra coisa bem diferente é o programa BOLSA-FAMÍLIA que segundo a postagem, estaria sendo suportada pela classe média. Na verdade ele alimenta corpos famintos de pessoas hipossuficientes e lhes alcança, ainda que minimamente, um pouco da tão decantada dignidade da pessoa humana, fundamento da República Federativa do Brasil (e não Estados Unidos do Brasil conforme afirmou o candidato Serra). Acho que tais pessoas não se deram ao trabalho de descerem para as periferias e assistirem “in loco” o efeito transformador que o referido benefício esta causando nas vidas de seus beneficiários, tal como crianças nas escolas e corpos mais bem nutridos. Não podemos generalizar por alguns poucos casos de mau uso do programa.

Quanto à história de que a classe média estaria arcando com o benefício é totalmente desprovida de fundamento. Ele é suportado pelos tributos que todos nós pagamos, inclusive os das classes mais carentes, até mesmo pelo fato de que boa parte do dinheiro por eles recebido, logo ali adiante, na compra dos alimentos, se transforma em tributos como ICMS, IPI e outros que incidem sobre o consumo.

Pois é amigos. Acho sempre que devemos refletir bastante antes de darmos seguimento e compartilharmos idéias carregadas de má intenção como esta que eu contestei e acabei como consequência, perdendo alguns amigos. Temos que ter muito cuidado para não criarmos FALSOS CLAMORES SOCIAIS sem o devido fundamento nos fatos reais, baseados tão somente em frases eivadas de sofismas conforme esta a que estou me referindo.

Jorge André Irion Jobim. Advogado de Santa Maria, RS

Exibições: 93

Responder esta

Respostas a este tópico

Está certo Jorge, é bem por aí... Eu não tenho interesse de abrir uma conta nesta rede social, também ficaria sem amigos ou perderia a razão. Mas mesmo aqui no “blog” recebemos uma onda de “assuntos” e temas que estão lá no “Face”, acho normal.

Mas tem uns “babacas” que ficam “zombando” do bolsa família e demonstrando visivelmente seus preconceitos.

“Quando o governo dá dinheiro para os bancos: é credito, resgate”
“Quando o governo dá dinheiro para as empresas e empresários: é investimento.”
“Quando o governo dá dinheiro para estudantes: é auxilio, bolsa técnica, investimento”
“Quando o governo dá dinheiro para os excluídos, camada mais frágil de nossa sociedade: Não pode, tem que ensinar a “pescar”.

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço