Cada vez mais fico assustado. Sou mesmo muito ingênuo para ficar me assutando a toda hora: ainda não entendi que o mundo mudou; que neste novo mundo não há mais lugar para a antiga divisão entre  direita x esquerda; que eventuais discordâncias se resolvem em um ambiente confortável, com ampla discussão entre pares civilizados, igualmente imbuídos no propósito de savar a natureza ... e por vai.

Não sei, e quero me penitenciar, como pensei coisas horríveis de pessoas como a Senadora Kátia Abreu até bem pouco tempo atrás. Além de promover a paz no campo, de distribuir terras conseguidas com sacrifício, de batalhar contra o trabalho escravo, a Senadora está também muito empenhada em salvar o "meio-ambiente", diria até que o "ambiente inteiro". Não bastasse toda essa demonstração de amor ao próximo e à natureza, e ainda bem que o faz com total desinteresse, atesta, com total fervor e senso de justiça, a qualificação moral, ética, ideológica, política etc.  do Deputado Aldo Rebelo. Penso que agora o país pode dormir em paz. Que os "esquerdistas" tomem consciência de sua importância para o desenvolvimento da nação; que dêem os braços aos nossos tão injustiçados parceiros de "direita",  e sobretudo aprendam com seu sentimento de solidariedade, desprendimento e humildade.

 

Um abraço fraternal a todos.

Francisco

 

Em tempo: para maiores esclarecimentos leia "A coragem moral de Aldo Rebelo" por Katia Abreu, página A3 da Folha de São Paulo de 24/06/10, e "Musa do trabalho escravo, senadora Kátia Abreu comanda....", por Leandro Fortes, Carta Capital, em 27/11/09.

Exibições: 616

Responder esta

Respostas a este tópico

uma observação rapidinha: não falta o prato principal nesse cardápio? em lugar de governanças de qualquer tipo, seja a proposta neoliberal, sejam as ações restringidas pela organização típica das ongs, onde estão os movimentos sociais?

um exemplo: manifestação pela autonomia da Catalunha no dia da vitória da Espanha na copa do mundo, com 1.000.000 de pessoas nas ruas de Barcelona:

" target="_blank">
Perguntei sobre o Forum Social Mundial, Simone.
Parece que não se encaixa na mito, portanto deve ser ignorado.
Os movimentos sociais... bom, as massas foram todas submetidas a lavagem cerebral.
o que me preocupa muito é essa espécie de filtro que passa nas informações que trocamos e que quer obrigar a considerar esses mitos como um destino. o capitalismo como fatalidade histórica, o papo manjado do fim de qualquer mudança.
o fato de escaparmos de um episódio econômico parece autorizar a passar o rodo em qualquer possibilidade de crítica ou reflexão sobre a enorme miséria do mundo.

gostaria de saber por exemplo quem compra essa madeira, obtida com a devastação da floresta e a escravização do trabalho? quem é o consumidor esquizóide ( não falo de sujeitos) que abraça a idéia de "salvar o planeta" (as aspas não são ironia) e não sabe o que compra ou por que precisa comprar?

há muito que aprender com índios.
Simone
Essa de aprender com indios é mais uma das muitas perolas que conseguiram encutir em nossas cabeças.
Voce por acaso conhece uma maloca indigena? Voce não tem a minima ideia.
Não possuem a minima condição de higiene, aquele modo de vida não comporta uma população maior que 1000 pessoas, isso se levarmos em conta as verbas que o governo federal tem que enviar para poder manter o minimo de sobrevivencia.
A pilula é dourada dessa maneira, "o modo indio de viver é o correto, natural e lindo"
Eles nos querem indios assim como querem os africanos em comunidades no meio das savanas comendo calangos.

Abracos
que visão colonialista e eurocêntrica, pouco afeita aos patriotas irresolutos.

desculpe-me , mas recomendo a leitura de Levi- Strauss e especialmente do grande pensador anarquista Pierre Clastres para abrir um respiradouro nessa carapaça mental.
interessante, não é?
quando se sugere aprender um cadinho com homens que ainda tanto nos ensinam acerca das possibilidades de uma vida mais generosa, eles logo acionam os velhos preconceitos.

contudo, esquecem (e sem mencionar wall street!) de citar do lado de cá isto aqui:

seguinte luz, estava em um churrasco.

meus filhos estudam em escola da high society.
passou fórum mundial social ao mesmo tempo que davos...
então o pai de um colega disse: viu cças estudem para estar em davos, e não no FSM defendendo ppps.

eu disse a eles: não, estudem, mas acreditem que um novo mundo é possível, e não virá de davos, se vier, virá do FSM e correlatos. Inclusive porque aí seus filhos não vão precisar, como vcs, de estudar com gente tão preconceituosa......

o cara era o dono da casa, não gostou, mas na hora que ele disse isso, meus kids imediatamente olharam prá mim.
não dava prá ter um discurso em casa e um fora dela...
Caro Rogerio
Fizeram a mesmo coisa agora com a Europa, os problemas americanos estão sendo pagos por Portugueses, Espanhois, Gregos, e tantos outros.
Escapamos dessas porque nosso iletrado Lula encostou nos asiaticos.

Abraços
Caro Herme
Vou tentar responder suas indagações iniciais:
Como mudanças climaticas discutidos na ONU atrapalha desenvolvimento?
A teoria de que aumento da concentração de CO2 provoca o efeito estufa (não devidamente comprovada), caiu como uma luva para as intenções dessa governaça, pois CO2 esta vinculado ao consumo de energia, limitar o consumo de energia significa estagnação economica, estagnação economica significa manter a ordem economica atual. Principalmente se colocarmos em pauta o vertiginoso crescimento economico da China que tem alterado toda essa logica montada, vide nós brasileiros que embarcados nessa canoa de crescimento chines estamos sobrevivendo às manobras imperialistas na area economica.

Como areas indiginas compromentem nosso desenvolvimento?
Essa politica de incentivo ao modo indio de viver, vai muito alem do ludico, natural, amor a natureza, fizeram na verdade com que brasileiros admitissem a existencia de uma raça diferente à nossa, indios são brasileiros porem podem deixar de ser, assim teremos varias nações dentro do Brasil, quase que 12% do territorio nacional pode deixar de ser nacional se essa politica assim continuar. Atente a dificuldade que encontramos em contruir uma hidroeletrica, se porventura naquela area vivem ou viveram indios, os EIA ou RIMA são impossiveis de serem concluidos, e perceba tambem o aparato internacional que vem em apoio as essas comunidades invariavelmente conduzidas por seus caciques de indole duvidosa, facilmente explicado pois a etica indigena é diferente da nossa e vale somente quando convem.

Quanto a sermos reduzidos a simples fornecedores de commodities, temos terra, sol, espaço, tecnologia, perceba, essas mesmas commodities estão nos dando minimas condições de estabilizarmos economicamente, porem , diferentemente das condições apontadas nos relatos historicos do seu texto, hoje o que temos, estamos vendendo produtos que vem apresentando alto valor no mercado mundial, com forte procura, devido à acelerada economia chinesa, outro ponto importante, estamos vendendo aos consumidores o que na epoca vendiamos aos intermediarios ingleses que repassavam ao resto do mundo.

Seu texto historico, confere tudo o que venho tentando colocar, existe sim uma governança mundial, porem perceba, seu texto parou exatamente nas decadas 70 e 80, onde exatamente essa governança iniciou sua politica de conservação ambiental. Vide Grennpeace, WWF, Ethos, Friends of the Earth, verifique as datas de fundação dessas Ongs, e quem as financia, certamente voce dara continuidade àqueles fatos historicos que me enviou.

Tudo que coloco não tem nada de ideologia, são dados que recolhi, se voce conseguir me convencer que uma Greenpeace existe porque eles estão preocupados com as baleias, a camada de ozonio da Antartica, com a floresta e os indios amazonicos mudo minha opinião.

Abraços
Caro Sebastião

Eu já lhe havia apontado o fato de que a maior parte das emissões de CO2 brasileiras provém de queimadas (50 a 70%), portanto o Brasil pode, sim, reduzir substancialmente suas emissões sem comprometer seu desenvolvimento industrial, porque incineração de florestas não tem nada a ver com energia. Desatenção sua. Isso sem mencionarmos que matriz energética vai muito além da queima de combustíveis fósseis, é claro.

Há quarenta anos, tribos indígenas eram eliminadas por dinamite lançada dos aviões de latifundiários. Vc está sugerindo que retomemos o padrão? Que conversa é essa de que as terras indígenas deixam de fazer parte da União? Indios são outra raça? Eu, hein...

Em outro comentário, vc tentou a ironia me perguntando se seria ''por pura maldade'' que o agro-negócio poria a Amazonia abaixo. Não é por maldade não, Sebastião, é pela sua própria natureza: o único compromisso do capital é com a sua própria reprodução; o business precisa se expandir, inexoravelmente.

Sobre o rebaixamento da economia nacional à condição de exportadora de commodities, concluo que vc acha que é uma grande sacada. Pergunto a vc: que tal imitarmos nações que deram certo?

Volto ao tema da ''governança global'' em outro momento. O mito me interessa cada vez mais.

abraço
Caro Herme
Hoje para não me alongar muito, vou lhe responder apenas sobre o FSM Forum Social Mundial.
Vou traçar aqui uma equivalencia de facil compreensão, voce se lembra na epoca da guerra fria, onde tinhamos as espionagens americanas, inglesas, sovieticas e paises cortina de ferro, assim como essas, eram muito conhecidas as chamadas "contra espionagens".

Pois bem faço aqui essa equivalencia, são movimentos ditos sociais, teoricamente pregam o que imaginam ser anti capitalista, porem estão na verdade fazendo exatamente o jogo do que voce reluta em adimitir "governança global".

O FSM, teve sua primeira reunião no ano de 2001, e vem ano a ano sendo realizada com grande sucesso, não sei se é de seu conhecimento, esse Forum teve como um dos principais articuladores o Dr Oded Grajew, vamos a biografia do Dr Grajew.
Oded Grajew, nascido em israel, mudou-se para o Brasil ainda criança juntamente com seus pais, naturalizou-se brasileiro, cursou USP engenharia eletrica, e FGV administração, empresario de sucesso, no ramo de brinquedos, a partir de 1996 deu uma guinada em sua vida empresarial e foi nos anos de 1996 a 2000 Membro do Comite Internacional do Conselho Norte Amerciano das Fundações (COUNCIL OD FONDATION)
1998 Participou da fundação do Instituto ETHOS de Empresas e Responsabilidade Social.
2001 Idealizou o Forum Social Mundial
Jan a Nov de 2003 - foi asessor do Presidente da Republica LuLa e é atualmente membro do Coselho de Desenvolvimento Economico e Social.

Já disse em outra ocasião e repito, não quero com esse tipo de colocação desqualificar o Dr Grajew, não é o caso, porem fica claro e mais do que evidente o forte envolvimento deste senhor com a politica anglo americana em manipular informações e tranformar ações desses foruns, e organizações exatamente conforme as diretrizes e estrategias da chamada "GOVERNANÇA GLOBAL"

Dinheiro, muito dinheiro, aliado ao controle das informações, faz milagre.

Com mais tempo, vou lhe passar em numeros o que significa nossa agroindustria, que como disse, difere e muito das chamadas monoculturas do inicio do seculo XX. Mais, ela alem de não estar atrelada aos interesses internacionais, pelo contrario esta numa luta ferrenha com essas forças, vide todas as barreiras que nos impõem e todos os subsidios que dão aos agricultores americanos e europeus para conseguir fazer frente a nossa produtividade.

Abraços
Sebastião,

Hermê responderá a você com conhecimento de causa. mas na minha leitura, você só faltou concluir que Lula é o articulador dessa grande conspiração ou um incompetente, vítima dessas ligações perigosas.

você esqueceu de alguns dados da ficha de Grajew da wiki, que nasceu em Israel e chegou ao Brasil com 12 anos de idade:

"É membro do Conselho Consultivo do Global Compact, programa desenvolvido pelo ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Kofi Annan, que procura mobilizar a comunidade empresarial internacional na promoção de valores fundamentais nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho e meio ambiente".

acrescento alguns trechos de alguns discursos do "agente laranja" de fontes diversas:

“O outro mundo possível se torna cada vez mais urgente. A questão ambiental é uma ameaça. Temos que ter outro modelo de produção, de consumo e outra relação com a natureza”.


"Se a gente não mudar o modelo de desenvolvimento, a espécie humana corre risco de extinção neste século. Nenhuma organização sozinha consegue ir além de determinados limites, desafios que hoje são globais".

Para Oded Grajew, esta é a grande sacada: a mobilização em conjunto.

"Não tem causa mais importante. Levo adiante a missão da reforma agrária. Quero ter parceiros, gente e organizações que possam ajudar também na questão feminista, na economia solidária".

um homem perigoso, como se depreende da chave da sua interpretação.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço