Construção de Conhecimento: Nossa responsabilidade com o que postamos.

Acompanho o blog do Mouro desde 2006 e - como muitos aqui - vi o cuidado e carinho com que ele pensou e criou esse espaço.
Espaço que deve ser plural, para debate de idéias, para construção de conhecimento.
Mas que requer responsabilidades de nossa parte, não só da dele.

As pessoas participam de distintas maneiras.
Há as que nos brindam com textos maravilhosos e de própria autoria - como os meus preferidos Liu, Zé via de regra (o da China sumiu) e Beto Ruschel - os poetas como a Renata, os garimpeiros como Helô, Cafu e Marise (entre outros), os cronistas como a Lena.
Há os que postam coisas lidas em outros lugares, e nesse caso só posso achar que pensando que a discussão possa ser relevante para a comunidade.
E há as que só lêem.

Isso sem falar nos temáticos, que não participo.

Não vejo nada de mal em nenhum tipo de participação, desde que aberta ao debate, que às vezes se acalora, claro, mas que deve ser civilizado.

A internet permite muitas coisas boas - como aqui - mas também permite que nos cheguem e-mails "assinados" com nome de famosos, gente acovardada de escrever o que pensa, de destilar seu preconceito e que então se esconde sob o prestígio dos outros.
O exemplo mais clássico para quem aqui frequenta é o "Elite Privilegiada", atribuído ao Mouro e que vai exatamente contra tudo que ele pensa, faz e trabalha por.

Por isso quando postamos algo que não fomos nós mesmos que escrevemos, é nossa responsabilidade citar a fonte. Escrita, publicada.
Não há como ninguém controlar os apócrifos dos outros, já somos mais de 6000, mas a idéia é que as próprias pessoas verifiquem se procede, afinal estão passando informação a outras pessoas na tentativa de construir conhecimento, ou não?

E, independentemente de não sermos os autores, é minha opinião que, se os escolhemos para divulgação, devemos estar preparados para debater o que eles contêm.
Senão para que a postagem? Provocação serve, mas aguentemos o tranco com argumentos.

Não acho honesta a atitude "não brinco mais", ameaças de xororô para a chefia.
Somos todos adultos por aqui - exceto o grupo dos jovens - isso é (no meu entender, e por isso ponho em fórum para discussão) um descomprometimento com a proposta daqui.

Exibições: 435

Responder esta

Respostas a este tópico

O que que houve, para justificar esse tópico? Algum problema? Qual foi o xororô, ou a grosseria?
Comigo nenhum problema, exceto não gostar de ver apocrifias por todo lado e gente que posta coisas provocativas e recusa comentários.
Em minha opinião, um desrespeito ao espaço e por isso colquei aqui a discusssão.
Ah, agora a ficha caiu, ando lerda. É sobre o tal cara que posta e nao aceita comentários. E posta ou coisas tolas, ou coisas abjetas. Por isso nao aceita comentários... Natural...
Ou apócrifos...
Cabocla, concordo inteiramente contigo. Considero uma falta de civilidade uma pessoa postar o que quiser e não aceitar comentários. Se tenho coragem de postar deveria também ter coragem para o debate.
Importantíssimo colocar a fonte daquilo que copiamos da internet e colocamos aqui. Até para que outros possam pesquisar o que se coloca.
Acho que alguns são adultos só na idade.
Beijo
hahhaahahahaha
excelente frase: "alguns são adultos só na idade.."
Como diria o Odorico, gostei deverasmente desse negócio aí. Vendo como se esperneiam alguns comentaristas aqui deste espaço e de outros blogs que frequento, fico imaginando como faria Sócrates com sua dialética. Em vários casos que já presenciei, a truculẽncia é patente. Não ha diálogo, apenas vociferações! O que vale não é a força dos argumentos e sim o argumento da força.
Eurípedes, eu não vivo muito isso....
Mas nesse quesito minha opinião não vale muito, raramente me meto em discussões ríspidas e quando desviam para a truculência (como vc muito apropriadamente diz, para o argumento da força e não a força do argumento) caio fora.
Não por sensibilidade extrema, mas porque não vale a pena...
Quem usa esse dispositivo não está afim de nenhuma discussão, não?

Mas valeu que vc identificou uma questão para pensarmos juntos, outros devem sentir como vc.

De minha parte, a maior preocupação e motivação para postar o fórum, foram as informações indevidas que tenho visto por aí e a indisponoibilidade de argumentação em cima delas.

abços
Cabocla, muito bem colocada a sua observação. Na verdade, gente, a questão é bem mais complexa do que imaginamos. Na minha modesta opinião, estamos todos meio que "engatinhando" diante do "presente" que ganhamos, ainda procurando entender o que é essa tal de Internet, com rede, blogosferas, sites, tec. e tudo. Comportamentos devidos e indevidos existiram, como em tudo na vida, e cabe-nos o "controle", claro, sem a menor censura, até mesmo por ser particamente imposível executá-lo cem por cento. À todos nós, acredito, na grande maioria, com preocupações convergentes de apresentar alternativas para uma vivência e convivência melhor, a observância de certos critérios deverá ser indispensável, não isentando, com isso, certas postagens teoricamente indevidas ou incorretas. Cabe-nos, de certa forma, uma bôa dose de compreenção pois, no fundo no fundo, salvo experientes na área, nos tornamos "ecribas", "jornalistas", "palpeiteiros" e mais e que representa o extremo positivo da questão. Aproveitemos, pois, a oportunidade se deixar de levar em conta, sempre que posível, as observâncias da querida Cabocla, pois é exatamente aí que consiste a conquista de todos que se dispõe não ser apenas um mero passageiro do bonde da história.
Uia Fernando, obrigada, mas são propostas para pensarmos juntos.
Essa é minha opinião apenas, não uma regra a ser seguida necessariamente.

Estamos mesmo engatinhando nos mecanismos, mas coisas como honestidade e responsabilidade nas postagens e discussões, isso já podemos contar, não?

São coisas de nosso dia-a-dia fora daqui tb...
Querida Cabocla:
Você tem toda razão. Independente de qualquer dificuldade que possamos ter em qualquer coisa dessa nossa vida, honestidade, educação, responsabilidade e respeito, nada mais é do que o comêço de tudo. Acredito eu que, sem êsses ítens, nada é posível. Nada vale a pena. Apóio integralmente as suas colocações e, de minha parte, farei o posível de me observar um pouco mais.
Abraços e sigamos juntos pq. muito ainda se tem prá fazer.
Provocadores e covardes merecem solene desprezo e indiferença. São vozes que clamam no deserto para ninguém. Não há interlocução.
Que fiquem por lá, amargando sua incapacidade para o diálogo, para as trocas, para o crescimento e o aprendizado. Miserê.
Beijos, Cabloca.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço