Tendo abandonado o Portal pelos motivos que adiante explicaremos, retornamos temporariamente para nos defender de acusações e aleivosias contra nós perpetradas por Anarquista Lucida.

Preliminarmente, esclarecemos nossa motivação para participar do Portal, os melhor, nossas motivações, que eram três:

1. O bom nome do proprietário do mesmo, o probo jornalista Luis Nassif, de longa tradição no, digamos, complicato mercado editorial brasileiro, em que a ética antes traz feridas e escoriações, que louros.

2. O lema do Portal, Construindo Conhecimento.

3. A imagem, talvez equivocada que temos de nós, como pessoa portadora de contribuições a serem partilhadas com a comunidade.

Isso posto, nossas motivações para o abandono do Portal: o alto custo pessoal frente ao magro benefício auferido da leitura das postagens. O Portal, que deveria se constituir em uma sala de debates, parece-se mais com uma arena romana, um açougue para matar ou morrer. Basta que alguém ouse postar um pensamento diferente dos partilhados pela efetiva dona do portal, para que essa pessoa seja torpedeada de todas as formas possíveis e imaginárias. O conhecimento é pisoteado e o debate transforma-se em guerra.

Senhora Anarquista (?) Lúcida (?), tendes razão em não nos avaliar com incapazes de nos defender. Somos capazes de nos defendermos com nosso recursos, sem recorrermos aos bastidores, choramingando apoio e intrigando inimigos pelas costas. Mas nossas energia e força são aproveitadas onde melhor nos apraz. Há outros locais no mundo real, e mesmo no virtual, onde pessoas podem defender pontos de vista opostos sem perder o respeito uns pelos outros.

Senhora Anarquista (?) Lúcida (?), não tendes razão em nos reputar como violentos. Nossas respostas foram firmes, e nunca começamos por agredir, inclusive porque nossa experiência em outros espaços é que o respeito é condição sine qua non para que se possa alterar em algum ponto o pensamento do outro, e esse respeito inclui colocarmos o nosso próprio pensamento em discussão, podendo, também, ser afetado pelo pensamento do outro.

Saímos daqui uma vez que o olvidamento da ética nos debates tornou altamente custosos os parcos benefícios da participação. Ou melhor, temos mais o que fazer.

Antes de encerrarmos, queremos agradecer o elogio que recebemos de Emília. Sei que é um novo nick, e não sei qual o anterior, de modo que podemos estar tanto entre aqueles com que Emilia simpatizava como no grupo daqueles por quem nutria indiferença ou antipatia. O ponto é que ela prezava o que tínhamos a dizer, concordasse ou não.

Esse é o ponto básico do debate: ouvir, procurar entender, concordar, discordar, eventualmente mudar as próprias convicções, ou mesmo reforçá-las, cobrindo alguma falha em nosso raciocíonio.

Por fim, escrevo isso em nosso nome somente, não tendo mandato para defender nenhuma das outras pessoas citadas. E no nosso nome quer dizer no nome de Miloch, e da pessoa real que se esconde atrás de Miloch, ficando as dúvidas por conta do plural majestático que empregamos.

À vencedora, as batatas.

Exibições: 506

Responder esta

Respostas a este tópico

Caro Miloch

Só para não dizer que sou sínico transcrevo aqui a mensagem que postei nas suas despedidas em 4 de agosto de 2011:

"Caro Miloch

Não escondo a minha intensa antipatia a sua figura, se este fórum fosse um concurso de misses estaria altamente satisfeito pela sua saída, porém dizes algo no qual concordo em gênero e número: "o mundo da concordância é algo monótono." e com a sua saída ele se tornará mais monótono, logo, considerarei um ato mais de covardia de sua parte em enfrentar o "Pensamento Único" que na sua fraca opinião aludes, do que algo bravo e lúcido.

Por estes e por outros motivos, conclamo-o a ficar por aqui, por mais que isto me chateie (e até por isto mesmo)."

E como vejo que estás preparando-se para uma reentrada em estilo, reescrevo as minhas palavras sem perder o conteúdo.

Conclamo-o a voltar, mas não espere meu voto para miss simpatia!

Querido Sr Miloch,

Da minha parte, muito feliz em vê-lo por aqui e, espero de coração, que, embora pareça tenha entrado apenas para falar com a Analu, permaneça aqui, da forma que melhor for servido fazer. Espero também, voltem, aos poucos,  boa parte dos que se foram. Com seus antigos avatares ou com novos, isto pra mim é irrelevante. Digo isto aqui, de público. E sei, as notícias correm na rede, tanto correm que estás aqui. Sei que podem vir, em tempos diferentes, ou não. Podem também nunca mais quererem vir.Podem vir e nos desencontrarmos. Por isto não falo com ares de uma chamada geral, apenas como a expressão de um desejo de hoje, um desejo que é  meu e de alguns e não é de todos. Mas todos que estamos aqui  agora, neste momento, temos  a mesma legitimidade de nos expressar quanto a isto.  O amanhã pode vir a ser ainda melhor que o hoje, melhor até que o ontem  Esta a esperança. Fique, mesmo que não seja servido participar ( era assim que falava, não era? ). Do senhor nunca mais havia tido notícias, já que não usa o facebook e não chegamos a nos conhecer melhor porque logo fomos nos dispersando. Acho que me afastei logo depois do senhor, ou na mesma época. De muitos tenho sempre notícias, mas gostaria de vê-los aqui porque funcionávamos todos juntos melhor do que separados. E o espaço aqui, pelo tipo de construção do portal, que não se acha em outras redes, favorece a interação.

Não vou me alongar aqui porque este tópico teve um cunho bastante pessoal. Mas ainda esta semana, se tiver tempo, já que viajo amanhã a trabalho,  quero ir visitar o tópico do meu amigo Mário Abramo, o do tampo da privada. Este desenho da gente não precisar ter pressa de manifestar em um tópico, podendo reativá-lo a qualquer momento é ótimo. Entrei aqui porque meu nominho foi citado e vim então para dar-lhe um abraço e minhas efusivas boas vindas. E com isto, claro, já respondo sua pergunta. Provavelmente não me reconheça mesmo porque passamos pouco tempo aqui juntos, mas era sua fã declarada, tanto em conteúdo como em estilo. (A propósito, espero esteja cuidando da saúde e quem sabe, um dia, possa subir até as montanhas da minha terra, comer uns quitutes feitos em fogão de lenha, daqueles de desafiar qualquer taxa de colesterol.) Lembro de tê-lo convidado.  Sei que fazia-me rir, sorrir, gargalhar e muitas vezes me desafiava a pensar além do lugar comum, o que considero ótimo. De forma que, não precisa me agradecer, eu que lhe agradeço. Apenas uma correção. Nunca dividi o portal em grupos. Melhor dizendo, sempre considerei as pessoas aqui, de forma individual, mesmo sabendo que faziam parte de pequenos grupos e tendo lá minhas preferências. O que sinto falta, na verdade, é do tempo em que estávamos todos juntos e misturados, com o caldeirão fervendo de idéias e variados sentimentos. Fique, eu entrei de passagem, mas resolvi dar um tempo, na esperança de que as pessoas aparecem. Um ósculo respeitoso Sr Miloch, (carinhoso também kikiki) feliz em revê-lo.

PS a fala de Maestri completa as minhas boas vindas. Não queria, na verdade, mas eu gosto deste gaúcho!

 

Vós deveis voltar, Miloch, que falta fazeis.

Só não entrastes em minha lista de desejos porque não estáveis em minha lista de amigos, assim como esta boneca, agora de nome Emília, pelo que nos escusamos.

Mas a saudade é a mesma.

Hermê

Voltar ele já voltou, só está querendo uma reentrada triunfal. Tem duas formas de fazer isto, ou puxando o s... ou caindo de pau em cima dele, ou as duas.

As pessoas ficam melindradas aqui no fórum porque a platéia não se levanta para aplaudir, se fosse por falta de aplauso já estaria fora há uns dois anos. O que há é falta é maturidade para ouvir as críticas e tentar rebatê-las com o seu melhor, pois para monólogos cada um pode colocar um blog na rede e esperar os aplausos.

Veja, quantas vezes me criticasse neste fórum. Uma dezena? Duas dezenas? Até já perdi a conta, mas mesmo assim continuo escrevendo e rebatendo de "forma consistente e quase perfeita as tuas críticas", e com uma diferença, quando rebates o que escrevo estás rebatendo não um "nick name", mas uma pessoa física existente. Quando o Miloch sofreu críticas o que se estava criticando é alguém que até pode continuar a comentar com outro nome.

Conclusão final: Que o Miloch deixe de bobagens e saia na chuva de novo.

miloch,

você vortô, foi?

e veio com tudo, hein?!

como se roda a baiana usando a segunda pessoa do plural? rodasteis a baiana? ou rodastes a baiana? a primeira alternativa é mais pomposa, mas tá errada, né?

mas a idéia era apenas prá dizer que sua chegança é boa. cada um que volta me anima a voltar. a volta da emília também me causa satisfação. quem sabe podemos, senão voltar aos velhos tempos, pelo menos inaugurar uma nova etapa onde fique assegurado o direito de cada um, a sua maneira, expressar seu ponto de vista sobre os temas que fazem pulsar a vida social. e, claro, sempre com a alternativa do buteco... 

Bom dia luzete, como vai? Mudou de roupa hein? Também fico feliz quando vejo pessoas se achegando, novas e antigas. Tendo a Emília eu sei, posso entrar aqui, na periodicidade que minha vida e meu tesão permitirem, mas desfrutar de um espaço que é de "quem quiser, quem vier" (kikiki, impossível não lembrar da musiquinha da platinada) e não há porque abrir mão de mais uma possibilidade na net que é um marzão a navegar, livre e imenso, com lugar prá todo mundo. 

Quando a direitos assegurados, isto é construção, individual e coletiva. Direito que me é dado, em geral é direito micho, eu gosto dos graúdos, estes só construindo. E quem constrói, sabedor das dificuldades, se coloca em empatia com o outro que também luta pra construir o seu. Quanto ao buteco, sim, com certeza. Há que ter butecos pra se molhar a palavra e descansar das pelejas. Beijo, feliz de revê-la aqui.

Prezados, Lamentamos ter passado a idéia de uma volta. Não foi essa a nossa intenção. Este tópico foi aberto porque, como em sociedade tudo se sabe, ficamos sabendo das acusações que a senhora Anarquista (?) Lúcida (?) nos dirigiu, mesmo sabendo que estávamos ausentes do Portal. Como podemos constatar, a referida senhora agora permaneceu silente. Assim sendo, como não temos interesse em participar das discussões do Portal, nas quais muitas vezes as idéias ficam em segundo plano, encerramos hoje nossa participação. Continuaremos a discutir temas que reputamos relevantes para a sociedade nos nossos blogues e nas redes sociais, não com nosso avatar mas com nosso nome verdadeiro, pois nesses outros locais, conquanto os temas em discussão possam ser até mais controversos que aqui, o debate não costuma resvalar para o pessoal, pelo menos nas redes que frequentamos. Passamos a responder, pela ordem, aos comentários recebidos. Senhor Rogério Maestri Nossa antipatia é pelos seus argumentos e suas posições, mas somos servidos concordar que o mundo da concordância é realmente algo monótono. Quanto a vossa mercê, não o conhecemos, e não podemos antipatizar o desconhecido; pode ocorrer que um dia nos encontremos nalgum ponto do planeta, sejamos servidos beber umas taças juntos e desfrutemos de momentos agradáveis. Temos amigos muito queridos com os quais nada temos em comum: nossos prazerosos encontros são permeados com discussões infindáveis que apenas são interrompidas pelas restrições da vida moderna, recomeçando nos encontros seguintes. Entretanto não podemos consentir com vossa avaliação final: não estamos em busca de aplausos. O ponto é que não desejamos ser criticados ou elogiados, mas que as idéias que defendemos o sejam. Esse é o motivo básico de não me interessar participar do Portal: as querelas substituem a discussão de idéias e o conhecimento, que deveria ser construído, se esvai. Senhora Emília, Pedimos desculpas se não nos fizemos expressar com a clareza necessária. Não imaginávamos que tivésseis dividido o portal em grupos, que pressupõe algo unindo os membros de cada grupo, mas apenas nos referimos ao seu gosto pela argumentação, independentemente de se quem formulava o argumento lhe era simpático ou antipático, com o que estamos completa e integralmente de acordo. Apenas comentamos que, nesse ponto, não sabíamos qual seria nossa posição na vossa avaliação afetiva, por desconhecer qual seria vosso prévio avatar. Senhor Hermé, Agradecemos as amáveis palavras. Senhora Stella Maris, Agradecemos as boas vindas, infelizes de informar que não estamos voltando. Senhora Luzete, Agradecemos as gentis palavras, mas não estamos retornando.

Tá bem Miloch, entendi, voltas ao portal sobre outra identidade, ou seja a sua identidade verdadeira! Então, mesmo não sabendo qual é (e também não sou fã de livros de suspense) saúdo a sua vinda.

Será o ritornelo do pássaro forçosamente territorial, ou será que o pássaro já se serve dele em desterritorializações muito sutis, em linhas de fuga seletivas?

Gilberto,

bom dia, num entendi..

mas é que pensar doí.. eu tô com uma dor de cabeça danada hoje.. viu...

mas acabo de receber este video(  sei que vcs. já devem conhecer)

mas ri tanto.. ( talvez atrasada..rsrsr)

bom.. deixa de lenga..lenga..

bem vinda Isabeau..

e aqui vai o video..

rsrsrsrs

É que parece que um pessoal por aqui anda lendo muito Deleuze... 

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço