ENEM ou VESTIBULAR? Qual é o mais democrático? (Tópico iniciado em 2009)

Caros amigos,
Lanço um desafio para que todos discutam, o que é mais democrático, o ENEM ou os exames de vestibular para o ingresso nas Universidades Públicas, eu já tenho minha opinião, mas gostaria que alguns de vocês olhassem uma das provas do ENEM, (vide http://www.enem.inep.gov.br/index.php?option=com_content&task=v...) desse a sua opinião e após isto darei minha opinião. Pode ser que seja bem diferente do dito consenso!

Há uma tentativa de continuação em 
https://blogln.ning.com/forum/topics/enem-o-retorno?commentId=21893...

que na~deu em nada.

Exibições: 1813

Responder esta

Respostas a este tópico

Ana Lú
Um adendo. Tem uma novidade, o Governo Federal está também influenciando (de maneira errada) a graduação, esta é a novidade.
Isso me interessa, o que você sabe disso? Eu sei de exigências a respeito de licenciaturas (obrigação de incluírem conteúdos mais voltados para a preparação dos alunos para o ensino), que seriam boas em si, se nao fosse a esquizofrenia de tentar "obrigar" (por meio da cenoura e do bastao) os cursos e professores a irem em 2 direções opostas entre si: o ter pontuação em Lattes, alunos de iniciação científica e orientandos, tudo voltado para a Pós, por um lado; e o de ir nessa direção voltada ao ensino, que nao garante pontuação, bolsas ou status.

Resultado: as universidades cumprem "fazendo de conta". Nao tiram nada do currículo existente, porque isso implicaria em mexer com interesses e grupos estabelecidos; acrescentam umas "materiazinhas" de 2 horas (para permitir a conciliação de alunos de diferentes cursos), fora da faixa principal de horários, pelas quais os professores efetivos nao se interessam muito, donde acabam nas maos de contratados eventuais. Outra vez, farsa completa.
Vou procurar detalhes (com origem confiável) e quando tiver, respondo.
Olá AnaLú, quanto à influência do governo sobre a licenciatura eu posso informar o que se passa no IF (antigo Cefet).
Os IFs terão licenciaturas, cursos tecnológicos e técnicos, segundo se sabe em proporções de 25%, 25% e 50% das vagas respectivamente. Em nosso caso a licenciatura está "descolada" do Tecnólogo.
Mas vocês receberam exigências quanto ao currículo? De qualquer maneira, a medida que seja um curso que comece, há mais chance de começar sem o peso da tradição, que, na área de Letras, cerceia todo o movimento na direção do que seria necessário para melhorar o ensino; só entram no currículo matérias de uma longa tradição beletrista, completamente desvinculada do que seria necessário para melhorar o ensino de língua.
Veja bem, não estou engajado no processo mas nossa licenciatura é para física para ensino fundamental e química para 2º grau. Para maiores info terei que consultar. Detalhe, já está rodando desde meados de 2008.
Concordo em gênero, número e grau (com o que está posto acima; ainda nao li o artigo inteiro, vou fazê-lo ainda). Já estamos na "novalíngua": as pessoas debatem, mas sem usar argumentos, e sim deboches e/ou xingamentos. E o próprio uso de argumentos é mal visto, considerado pedante. (Aviso: nao é indireta para ninguém, pelo menos nao dos que debatem neste tópico; é algo mais geral)
O link nao leva ao artigo, Arkx. Nao consegui encontrá-lo lá. Ponha-o aqui, ou mude o link...
O artigo que o colega citou foi publicado na Folha de S. Paulo de ontem. O link leva a um conjunto de textos do Cesar Benjamin. Veja, no menu (debaixo de "EDITOR"), o texto "Desenvolvimento sustentável e desafios para a educação" (é o último texto - de outubro de 2001). Benjamin utilizou o referido texto para escrever o que foi publicado na Folha.
Obrigada, Paulo.
O artigo é maravilhoso, acabo de lê-lo. Aconselho a leitura a todos os interessados em Educação.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço