Sou morador, há muitos anos. do Alto da Lapa em São Paulo-SP, numa casa de classe média, desde quando não havia quase nenhum edifício alto, desses citados pelo conhecido samba de Adoniran. Pois não é que minha pacata vida de bem casado professor Universitário virou um inferno que já dura vários meses, e tal condição se deteriorou a ponto de minha mulher e eu termos desistido do bairro. Bom para resumir a triste história em  episódios amargos:

 

1. Há 4 construções quase simultâneas de prédios de mais de 25-30 andares num raio de menos de 500 metros. Por motivos desconhecidos, minha casa e a de mais 4 vizinhos não foi interessante aos especuladores e seremos cercados pela construção de um prédio de luxo de 30 andares (apartamentos de 300 m2).

 

2. A(s) construção(ões) começa(m) as 7:00 com todo tipo de barulho, desde betoneiras, marteladas, e outros desesperos acústicos. Com a lei Kassab, que restringe o trafego de caminhões até as 22:00 h, os caminhões de entrega de material começam a chegar nas obras depois das 23:00 e as entregas se arrastam até as 4 da matina.

 

3. O programa "psiu" da prefeitura não registra queixas contra as construtoras. Afinal quem financiou as campanhas dos vereadores e do prefeito? Durma-se com um barulho desses!

 

4. Para que é alérgico, cortisona na veia. A poeira incessante, ou "quase uma neve" nas palavras sábias da faxineira. Que saudade do tempo que eu respirava pelo nariz!

 

5. Meu vizinho de cima tenta alugar e/ou vender a casa há mais de um ano. Quem vai comprar ou alugar uma casa no meio deste inferno?

 

6. Depois de meses insones, e sendo excluída esperança triste de que iriam comprar tb meu imóvel, nos endividamos para compar uma casa em outro lugar.

 

7. O Bairro logo será transformado num inferno de torres, de trânsito impossível, de estética inspirada num filme futurista de Fritz Lang...

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Metropolis_%28filme%29

 

 

Exibições: 397

Responder esta

Respostas a este tópico

Rogério,

Sou a favor de que isso chegue ao supremo. No mínimo o assunto ia ser debatido com seriedade e teria a publicidade que merece.

Embora ache que não tem chance de ser revertido, mas pode advir uma indenização ao prejudicado. Temos que ser abertos aos novos tempos. Estamos vivenciando uma era de valorização dos direitos civis e as leis e as interpretações das leis existentes, vem a cada dia resguardando melhor direitos dos cidadãos (e dos consumidores, por que não), inclusive e especialmente aqueles que se referem a reparações financeiras de prejuízos comprovados e até presumidos.

Um abraço.

Caro Paulo,já tive a satisfação de vê-lo tocar,no Alemão,aonde,de vez em quando,"tomo uns chops"e quero solidariezar-me contigo,nesta questão que envolve o seu imóvel.

O que acontece,é que a administração municipal,não tem nenhum compromisso com os munícipes,quanto à preservação de seus imóveis,nem quanto à qualidade de vida dos paulistanos.A atual preocupaç$o da Sec.Mun.da Habitação,é pagar aos financiadores da campanha do atual prefeit,as construtoras e as incorporadoras,e danem-se os contribuintes,que se não estiverem contentes,que mudem-se,como tudo indica que acontecerá contigo,e como vai acontecer comigo,que tambem pretendo sair do Jd.Anália Franco(que já foi um paraíso)e mudar-me para o Pq.do Carmo,SE esta maldita especulação imobiliária,não conseguir "estragar"aquele (ainda)oásis,da zona leste,com o maldito plano de construir um elefante branco,aonde sediarão a Copa do mundo da Fifa.  

Raí,

Desejo sorte a voce. Obrigado pela força. se aparecer as segundas no alemão, dê um toque!

"O Inferno das Torres" -- boa piada! Minha mulher vive com esse sonho que nosso cafofo vai virar o objeto de consumo de alguma construtora querendo levantar a torre mais perto das moradias dos anjos. As estatísticas sobre vacâncias são contraditórias dependendo da fonte, nada escrito ultimamente me faz sentido. Eu culpo vocês (não sou daqui). Foi vocẽs que elegeram um prefeito que diz ser sua profissão "construtor e corretor de imobiliários." Dando a alguem desses o poder de zonamento é como dar uma criança uma pistola encarregada, de brinquedo.

Dentro de um ano a frase "A Nova Cracolândia" vai aparecer como manchete num jornal metropolitando. Eu te aposto uma loura ou, se prefira, cha com bolo de limão.

Paulo, bom que vc encontrou sua saída: pela tangente hehe

Fazer o que?

Tomara os donos das torres resolvam adquirir os terrenos de vcs para incorporar quem sabe area de lazer jardins, afins. Hoje é uma grande tendência.

 

abraço 

Lena

Pois é, penso que isto não irá ocorrer, pelo menos agora...

Me espanta um pouco, mas o apartamento de luxo que eles

vão lançar tem área construída muito grande, muitas garagens,

mas meu quintal na Granja Vianna será talvez melhor

do que a área de lazer que eles vão ter. lamento por eles.

Paulo

tadinho do paulo,

ainda buscando um caminho prá sair desta maldade que aprontaram com as suas lembranças. bom, não tem jeito, paulo. trata-se de dar encaminhamento, reconstruí-las em outro lugar, levando a música contigo. música que, um dia, espero ouvir.

querida Luzete,

Nada como uma crise braba para nos movimentar. No final os tubarões imobiliários me prejudicaram do lado financeiro, me deixaram muito alérgico e com sono truncado por uns tempos, mas no final terei uma vida melhor para onde vou, instrumentos a tiracolo, é claro. Só lamento pelos outros, que tendo talvez menos oportunidades e dinheiro do que eu, estão sendo esmagados pela truculência com que esses tubarões vão reconstruindo essa cidade absurda.

 

A reportagem abaixo fala um pouco desta situação

http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/tag/psiu/

 

Na verdade hoje a situação parece ter piorado, pois o tal do Psiu nem registra

mais queixas contra as construtores, talvez pela incapacidade de atendê-las, ou talvez

porque não há interesse em atendê-las.

esta é a sua vantagem: poder fazer do limão, a limonada.

quem não pode, tem que amargar o limão... lamento por eles.

(mas cá entre nóis... quem mandô votá nus omi?! nesses omi!)

 

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço