Enchentes no Vale do Açu atingem mais de 30 mil pessoas
Já chega a 34 mil o número de atingidos pelas enchentes no Vale do Açu.

Confira a seguir as fotos de Demis Roussos, da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado do RN.

O município de Ipanguaçu sofre mais uma vez com as enchentes provocadas pelo rio Pataxó e com a elevação do nível do leito do rio Piranhas/Açu.






O Governo do Estado já distribuiu 5.000 cestas básicas e mantém na região uma equipe técnica que está auxiliando as prefeituras no apoio às vítimas.
Sete barcos do Corpo de Bombeiros e três helicópteros cedidos pela Petrobras, Aeronáutica e Polícia Rodoviária Federal, estão à disposição do governo para apoio assistencial.

Fazendas produtoras de camarão estão alagadas.





Cem homens do Exército, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros também estão nos municípios atingidos prestando assistência.

Na última sexta-feira (1), o Governo do Estado implantou um Gabinete Preventivo para apoiar as famílias vítimas das inundações e para adotar as medidas emergenciais.

No sábado, cestas básicas, medicamentos e materiais de emergência foram trazidos para Assú para serem distribuídos aos desabrigados e desalojados.

O Governo Federal está encaminhando 11 mil cestas básicas para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Norte e vai desburocratizar o processo para liberação de recursos para os municípios em situação de emergência.

A empresa agrícola Del Monte também está com suas instalações alagadas.




As imagens das áreas atingidas pelas inundações são um retrato fiel da realidade vivida na região.
Postado por Samuel Junior - samuelnfj@gmail.com
Marcadores: Vale do Açu Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook

Exibições: 107

Responder esta

Respostas a este tópico

eugênio,
estes são eventos deste momento na região, é?

e, daí, o que a gente pode fazer? você tem alguma idéia?
Não. Isto aconteceu em 2008 e 2009 e poderá se repetir em 2011, segundo o metereologista Gilmar Bristot na qual tive oportunidade de conversar sobre o tema que agora já estão nos jornais de Mossoró e Natal.
A solução ao meu ver é a construção da Barragem de Oiticica em Jucurutu já incluida no PAC2 e outra do porte menor, porte comparado ao do Mendubim no curso médio do rio Pataxó. A bacia Hidrográfica do rio Pataxó é segunda pesquisa feita por mim é de 900 hectares com praticamente um pequeno açude de 24,5 milhões para segurar as águas que caem nesta bacia e descabam para este açude que é um dos primeiros a sangrar na região. O Açude do Mendubim com capacidade um pouco superior a 76 milhões de metros cúbicos possui com apenas 160 a mais que o do Mendubim, ademais existe em su cabeceiras o açude Beldroega com capacidade de 11 milhões de metros cúbicos. Desta forma, mire-se no exemplo da Barragem de Umari em Upanema - RN que só sangrou uma vez em único dia na cheia de 2009, pois foi superdimencionado para as águas que corriam na bacia hidrográfica do mesmo. Mire-se no açude do Cedro no Ceará o açude mais bonito do Brasil, que só sangrou uma vez desde a sua construção a mandado do nosso rei sábio D. Pedro II. O problema aqui não é falta e sim abundância da mesma que deve ser aproveitadas aonde elas caem. Há espaço geográfico para construção de novos agora não mais nas terras dos chamados coroneis. Precisamos socializar as mesma com também gerencia-la com segurança e inteligência. No semi-árido em sua extensa área não chove tudo de uma só vez. Em algumas áreas chove mais e em outras chove menos. Fazendo um gerenciamento poderemos diminuir bastante o impacto de um de inverno rigoroso. Outra recomendação é a reconstrução dos açudes arrombados nestas duas cheias de 2008 e 2009 e outros arrombados antes da construção da mega barragem do Açu - RN com capacidade de 2.4 bilhões de metros cúbicos que não resolveu o problema das inundações do rico pobre Vale do Açu. O aprofundamento de lagoas com a retirada de sedimento seria outra opção não só para acumulação de mais água neste local como também para criação de peixes em tanques rede, diminuindo com isso a carência de alimento cosumido pela população pobre da região. O importante é difundir que açude deve ser feito para secar e para encher. Quando vem as chuas as grandes Barragens se encontram cerca de 70% de sua capacidade. Aí é que mora o perigo de uma nova enchente. Um açude no rio Pataxó logo abaixo da barra com o rio Sombra seria o primeiro passo para se evitar a inundação na cidade Ipanguaçu - RN. Esta obra o exercito brasileiro poderia fazer como fez se me não engano com a barragem de Parelhas - RN.

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço