Aproveitando o gancho que foi dado pelo Senador Cristovam Buarque, gostaria de comentar o seguinte:

Com o uso da Internet como fonte de informação instantânea os fatos não tem como serem “pensados” para poderem ser “modificados” ao gosto de quem produz os fatos.
Quanto a questão de se fechar “o congresso” ou “O Congresso”, é tudo uma questão semântica, não? Afinal as luzes dos holofotes brilham sobre todos, Legislativo, Jurídico, Executivo, e agora todos eles tem rosto e expressões. Pode-se dizer que cada um tem na testa escrito o que é.
Sinceramente, vejo que duas alternativas me parecem mais racionais diante dos fatos atuais.
Em relação ao Congresso, deputados e senadores, diminuir, cortar o seu número pela metade, e tornar todos inelegíveis para o próximo mandato, mandá-los todos de volta para casa, para “repensar” suas atitudes e eleger novos representantes sem vícios e com muita vontade de trabalhar pelo Brasil e seus cidadãos, coisa que falta no nosso legislativo atual.

Então vamos mandá-los pra casa e eleger outros???

Isto sem falar na tão esperada reforma política, quando as votações deixarão de ser secretas? Quando eles passarão a trabalhar e a comparecer no plenário? Quando as despesas de cada parlamentar estará disponível na internet para serem fiscalizados?quando haverá reforma no quadro de funcionários do congresso? Se já fomos inforamdos do absurdo numero de diretores, que se dirá então de outras funções?

Sinceramente uma idéia maluca que me ocorre neste momento é que com a Internet a nossa disposição, o Executivo podia colocar em votação os projetos pela internet e cada um munido de seu título de eleitor votaria se a favor ou contra, seria mais rápido e eficiente e sem custos e com certeza seria impraticável o uso de lobistas para "fazer' a cabeça de cada eleitor, sem falar claro que a votação seria facultativa e não obrigatória, mas devidamente legalizada com o uso do título de eleitor acompanhado do uso de uma senha, claro!

Bom é isso? Espero que alguém leia e que contribua com mais idéias "revolucionárias", originais e possíveis!!!

Abraços

Exibições: 160

Responder esta

Respostas a este tópico

Caraca, camarada véio,
Acredita nisso?!
E nóis pensando que...
Deve ser piada de 10 de abril, só pode ser.
Como diz Luiza-recém-convertida: rezemos pra que seja...
Mais quest'ce que se passe ici?
Não estou a compreender
Democradura agora.
Quanto neologismo hein, pra mesma e velhissima historia.
Lendo este post me acometeu o medo que a regina Duarte teve, Só que de maneira diferente. Regina Duarte estava com medo do Lula....eu tenho medo e muito medo de democradura. Por pior que seja nosso Congresso, não podemos nem pensar em terminar com ele. Foi tão sofrido conseguir chegar a esta democracia que nem em pensamenro podemos imaginar outro modo de governo. Muitos morreram e foram torturados para que aqui chegássemos. Em memória de todos que lutaram, vamos ser mais cautelosos quando falarmos em terminar com o congresso.
Marise, como disse usei este título mais para chamar atenção e até iniciei a frase em função de haver tido a mesma discussão no blog do Ricardo Kotscho, e a discussão foi iniciada pelo Cristovam Buarque, que aliás até se arrependeu da sugestão, mas provavelmente deu a sugestão por vergonha da classe.
Estamos vivendo um momento de crise, não sou contra as crises, poisa elas nos possibilçitam as discussões das idéias e quem sabe de mundanças.

Ninguém pode dizer que não se sente envergonhado quando vê na TV, as cenas do senado ou da camara federal, a impressão é que a criminalidade é o adjetivo que mais combina com cada cena, cada gesto de cada político.

Não quero realmente fechar o congresso, mas precisamos discutí-lo e tentar algo que faça sentido.

Tenho pensado que talves possamos pelo menos escolher um partido, um só e fazer uma anti campanha, eu de minha parte escolheria sem duvida o PMDB, mas sabemos a força munipalista que ele tem, então minha segunda opção seria o PFL/Demo, que tal uma campanha para boicote de candidatos PFL/Dem? Me parece viável.

2010 está ai, temos mais de uma nao pela frente para elaborar uma campanha de boicote, escolhendo um partido que represente tudo o que há de pior na política e fazer uma campanha de boicote, cada um fazendo uma pequena parte, camiseta, cartaz, santinho, se o movimento for grande ele vai com certeza repercutir e ter muita adesão, e com isto teriamos uma discussão nacional sobre o que é necessário para se ter um legislativo ético e que trabalhe em prol do Brasil.
Fabio, acho que justamente pela democracia que estamos vivendo graças a internet e que devemos tentar que ela siga um rumo mais ético.

Não acredito em usar de exemplo a democracia americana, mas acredito em fortaceler a democracia em si, e por isto discutir nosso poder legislativo, pois atráves dele inclusive podemos melhorar os outros poderes.

Poxa além de me sentir envergonhada em cada cena que vejo de nossos parlamentares, sinto algo entalado na garganta quando vislumbro e ouço a figura do Gilmar Mendes. Impossível não tentar usar a internet e um espaço como esta comunidade para trazer o assunto e tenatar uma mobilização em prol de uma campanha que no minimo boicote estas tristes figuras que respondem por nós, só de pensar isso me3 deprime. Mas não podemos abrir mão da democracia e não adianta trocar o congress por fardas não, é necessário que as leis se tornem claras e sejam cumpridas! E boicotarmos estas tristes figuras.
O que acontece, Fábio?

Você não parece estar acompanhando os fatos da crise internacional?
Um presidente de uma empresa como essa, de um desses bancos, não apenas ganhou muito mais do que R$ 20 mil por mês, quanto ainda recebu prêmio anual.
Ana,

São várias as questões que você trata e que merecem ser melhor pensadas.

1. A democracia não se faz pelo endeusamento de indivíduos. Se faz pelo fortalecimento das instituições. Por isso, jamais pensar em fechar o Congresso.

2. Coerentemente com o item 1, o problema de eleição dos parlamentares resulta do sistema eleitoral que temos. Você não elege propostas, mas pessoas. A proposta da Reforma Política, com a adoção das listas parlamentares, tem grande poder de reduzir esse tipo de problema.

3. Alguns alegam que isto vai apenas dar força aos partidos. Sim. É isto mesmo! Ao invés de termos 513 partidos de um deputado só... o que dispersa a identificação das propostas e uma negociação em torno de consensos, a meta é ter os partidos fortalecidos. Os deputados devem ser representantes dos partidos.

4. O eleitorado teria um número bem menor de propostas para aprofundar, uma maior nitidez na avaliação. E se um partido não lhe agrada, é simples: reduz a participação do partido no parlamento. Como? com menor votação no partido.

5. A consequência é que as negociações de "compra" de deputados pelas empresas serão reduzidas. As compras teriam que ser coletivas, para poder acontecer. Isso ia encarecer muito o preço e tornaria menos atrativo para as empresas.

6. Para evitar por completo as compras, a proposta é de que o financiamento eleitoral seja apenas pública.

7. Finalmente, sobre sua idéia de efetuar consultas pela internet, excelente. Mas apenas consultas, porque mesmo dentre os que tem internet, o uso em espaços de debates como este é pequeno.

Abraço.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço