FRANKLIN MARTINS: "ACABOU O COMPLEXO DE VIRA-LATA"

Ex-ministro da Secretaria de Comunicação, o jornalista Franklin Martins gravou vídeo para série do Instituto Lula sobre os 10 anos de comando petista no Palácio do Planalto; "Eu acho que o que mudou muito de 10 anos para cá é que o povo escolheu governos e cobrou desses governos que eles governassem para a maioria", analisou; Franklin é defensor de uma nova legislação para a mídia no Brasil, para democratizar os meios de comunicação; assista

14 DE MARÇO DE 2013 ÀS 19:13

247 - O ex-ministro Franklin Martins deu sua contribuição nesta semana à série que o Instituto Lula faz sobre os 10 anos do PT no Palácio do Planalto. Ministro de Lula, Franklin disse que "até algum tempo atrás, a maioria dos presidentes, a maioria dos governos, governava o Brasil para apenas um terço da população". "Era como se eles dissessem para o restante, que estava excluído: ´Eu até gostaria de ajudar vocês, eu até gostaria de ter medidas que fizessem vocês se levantar. Mas é impossível. Virem-se!´", diz o ex-ministro em vídeo publicado no site do instituto, que também já entrevistou o ex-ministro Patrus Ananias e a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.

Assista ao vídeo:

Leia o texto do Instituto Lula sobre a entrevista de Franklin:

"Acabou o complexo de vira-lata", afirma ex-ministro Franklin Martins

Ex-ministro do governo Lula diz que políticas de inclusão da última década mudaram o país, que ganhou em autoestima, e mudaram o povo, que se tornou um ator político efetivo da democracia brasileira

O jornalista Franklin Martins, ex-ministro da Comunicação Social no governo Lula, disse que o protagonismo do povo foi a grande conquista política e cultural de 10 anos de governos democráticos e populares que começaram com a eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002. "Até algum tempo atrás, a maioria dos presidentes, a maioria dos governos, governava o Brasil para apenas um terço da população. Era como se eles dissessem para o restante, que estava excluído: ´Eu até gostaria de ajudar vocês, eu até gostaria de ter medidas que fizessem vocês se levantar. Mas é impossível. Virem-se!´".

A declaração foi dada em uma entrevista para o Instituto Lula e faz parte de uma série sobre os 10 anos de governo democrático e popular. Você pode acompanhar mais opiniões sobre os 10 anos que mudaram o paísclicando aqui.

Para o ex-ministro, a exclusão de parcelas consideráveis da população das decisões de governo, a pretexto de que a política para os pobres era uma impossibilidade, está na raiz do "famoso complexo de vira-lata do povo brasileiro" (clique aqui para ler a crônica do dramaturgo Nelson Rodrigues que cunhou o termo "complexo de vira-lata", em 1958). Com a eleição de Lula, o cenário começou a mudar e o povo decidiu não apenas escolher governos que governassem para todos, mas passou também a cobrar esses governos.

"Eu acho que o que mudou muito de 10 anos para cá é que o povo escolheu governos e cobrou desses governos que eles governassem para a maioria. Eu acho que essa é a grande mudança, porque ela fecundou, ela gerou diversas políticas que acabaram atendendo à maioria do povo, que passou a ver que havia um governo que governava para ele". Franklin ressalta que isso gerou também uma tensão no sentido contrário. "E que passou também a ver que existia uma elite que não admitia que se governasse para todos e que foi fazer uma oposição furiosa a esses governos".

A participação efetiva do povo, não apenas como beneficiário das políticas governamentais, mas também como ator político, marca uma mudança visível na última década, segundo o ex-ministro: "Eu acho que o que tem de novidade no Brasil, no fundo, é o coroamento de um processo de acumulação e fortalecimento da democracia, onde o povo foi identificando seus interesses, aprendendo a votar, votando em quem poderia fazer políticas que o beneficiassem e depois elegeu governos que iam implementar essas políticas, deu força a esses governos e cobrou desses governos. Eu acho que a novidade é que o povo é um ator político muito maior hoje em dia e por isso mesmo está no centro dos acontecimentos."

"Uma classe média muito maior, redução da miséria, Prouni, Luz para Todos, Bolsa Família... a quantidade de programas é indescritível, mas a grande coisa é o seguinte: o povo está no centro da política no Brasil hoje", completa.

Termo "complexo de vira-latas" foi cunhado em 1958

O dramaturgo e escritor Nelson Rodrigues cunhou o termo "complexo de vira-lata" em 1958, para designar a postura de inferioridade assumida no futebol, a partir de 1950, quando o Brasil perdeu a Copa do Mundo para o Uruguai, no Maracanã. Para Rodrigues, o brasileiro só começou a se curar esse complexo em 1958, quando ganhou a Copa pela primeira vez, mas apenas nesse esporte. A postura permaneceu em relação a outros temas. "Por 'complexo de vira-lata', entendo eu a inferioridade em queo brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo´", afirmou.

Em agosto do ano passado, o ex-ministro e vice-presidente do PSB Roberto Amaral escreveu na revista Carta Capital uma outra crônica revisitando o termo. Para ele, esse complexo foi alimentado pelos interesses dominantes. "Esse sentimento existe, mas regado pela classe dominante brasileira, desde a Colônia, que sempre viveu de costas para o país e com os sonhos, as vistas e as aspirações voltadas para a Europa. Terra de "índios desafeitos ao trabalho", de "negros manimolentes e banzos" e "europeus de segunda classe", nosso destino, traçado pelos deuses, era a de eternos coadjuvantes. História própria, industrialização, destino de potência... ah, isso jamais!". O texto re Roberto Amaral relembra fatos curiosos, como a oposição direitista a obras como a Ponte Rio-Niterói, o metrô no Rio de Janeiro, a Petrobras e — mais recentemente — a transposição do rio São Francisco. Clique aqui para ler o artigo de Roberto Amaral.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/96230/Franklin-Acabou-o-complexo-de-vira-lata-Franklin-Acabou-complexo-vira-lata.htm

 

Exibições: 207

Responder esta

Respostas a este tópico

Caro Marco, escrevi várias vezes aqui neste Blog sobre a importância do Ex- Ministro Franklin Martins para o Governo da Presidenta Dilma. Na minha opinião o Martins se encaixa como uma luva no Ministério de Articulação, Min. das Telecomunicações entre outros. Além da sua militãncia ainda tem a seu favor, o enorme conhecimento. Para implantar a ley dos médios então é o mais indicado. Acho até injusto ele ainda não esteja nesse Governo. O que estão esperando, chamem o homem!

Abraços!!

JOSÉ ROQUE,

Estou com você.

Não dá pra entender que ele

tenha sido trocado pela atual

Ministra, que nada tem feito

senão ter voltado a conceder

o privilégio da GLOBO em levar

50% da verba publicitária gasta

com a grande mídia.

Vou repassar seu comentário

à nossa colega aqui do Portal,

a IVANISA TELTEROIT MARTINS,

esposa dele.

Abraço,

Marco Antônio

Caro Marco, a Presidenta Dilma anunciou hoje quantro mudanças no seu Ministério ou por minha conta, ela trocou de 6 por meia dúzia e nada mais, pois sabemos que não acontecerá nada com essa "troca". Essa história de garantir a governabilidade tá fora de moda e não pega mais, vamos colocar os pingos nos ís e mostrar ao povo quem realmente está ao seu lado.

O Ex-Ministro Franklin Martins além de toda suas qualidades, foi muito importante ao Governo do Presidente Lula com sua voz firme e tem tudo pra ser mais ainda ao Governo da Presidenta Dilma. Lembro bem quando queriam fazer comparações entre os governos do Lulaxfhc em pleno mandato do Lula e o Franklin respondeu curto e grosso: deixa o Lula terminar seu mandato que faremos as comparações devidas e a oposição calou-se.  Acho muito interessante quando o Frankiln diz: não queremos fazer uma revolução apenas o cumprimento da Constituição Federal de 1988, só isso!

Abraços!

So isso é muita coisa! Ele estava respondendo aos ataques da mídia que quer manter as concessões e a divisão dos recursos atuais. A regulamentação sempre esteve prevista na Constituição. Luiza Erundina há muito tempo havia feito um anteprojeto. Franklin escutou a CONFECOM, trabalhou o anteprojeto e sistematizou a regulamentação que pretende descentralizar os recursos para as rádios e as emissoras de TV de maneira equitativa.

Pois é Ivanisa e Marco, na minha humilde opinião não consigo entender onde quer chegar o Governo Dilma, pois falta eco no seu governo. Não sei também se é interessante para o Ex-Ministro Franklin assumir um Ministério ou se ele prefere atuar nos bastidores agora, para o Governo atual seria a peça chave. Todos os dias o Governo da Pres. Dilma leva uma porrada e fica por isso mesmo ninguém rebate, ninguém diz nada. As eleições estão chegando e quem pensa que a oposição está morta engana-se a mídia golpista trabalha 24 horas por dia para viabilizar seus candidatos e ainda temos o fechamento da famigerada ação penal (chamada mensalão) que estão empurrando para bem pertinho das eleições. Sem falar que o pmdb é um ajuntamento divide-se que é uma beleza!

Abraços!!

Concordo com você, José Roque.

Abraços!!

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço