foto de Kiyoshi Koshikawa

Golpeada mátria minha

Amanheceu assim,
setembro, ao sétimo 
de seus dias,
com pouco branco,
algum azul e,
o verde, bem pálido
entre opaco
amarelo.
Ameaçado, amanheceu
assim, a alegria
desaparecida

bucaneiros e
tantas águias
vindas à costa e,
no meio da terra, os ratos,
os apátridas.
O solo sagrado,
a rica água,
a carne do frágil
ameaçados.
Desbrilha a festa, a nossa
data.

Cães domesticados,
lambe-botas
d'além piratas,
canalhas, canalhas!
Amaldiçoados
são seus nomes,
párias!

Ah, mesmo sem arma
e, miúdo, o dinheiro,
quem, filho, amante é da mãe
gentil, dedo em riste, 
dessa traição, não lhe deixará, 
esquecido, se omitir;
com brado alto, não lhe permitirá
esconder seu preço
de vilão!

Ney Maria Menezes 
7 de setembro de 2016

Exibições: 44

Responder esta

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço