Liberação do processo de Dilma foi proeza ou fiasco da "Folha"?

Em 2009 a "Folha" tentou envolver Dilma

num sequestro que não houve, além 

de usar como ilustração uma ficha 

falsa que encontrou na web.


Simancol é o que mais falta para o jornal da  ditabranda: mancheteia triunfalmente a obtenção do que queria usar durante a campanha eleitoral e agora não lhe servirá de quase nada.


Foi garimpar, só encontrou ouro de tolo e ainda tenta apresentá-lo com uma "vitória da sociedade". Me engana que eu gosto.


Finda a eleição presidencial, o Superior Tribunal Militar, como Deus e o mundo sabiam que faria, liberou para a Folha de S. Paulo o processo a que Dilma Rousseff respondeu durante a última ditadura, quando foi presa como dirigente da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares e barbaramente torturada.


A decisão foi tomada nesta 3ª feira (16/11), por 10 votos a 1.


Ou seja, nada mais houve do que o cumprimento integral da determinação do presidente do STM, Carlos Alberto Soares: evitar que desse processo falacioso e arbitrário, sem valor jurídico nenhum, fosse extraída munição propagandística contra a candidata em campanha.


Pois só os bem informados sabem serem totalmente inconfiáveis as conclusões dos Inquéritos Policiais Militares da ditadura, contaminados pela prática generalizada da tortura, bem como as sentenças dos julgamentos de cartas marcadas que eram encenados em auditorias militares, com gritante cerceamento do direito de defesa.


Para a maioria da população, poderia passar por verdade o que nada mais era do que a versão forjada pelos déspotas a respeito dos resistentes que, heroicamente, os combatiam. Daí a inconveniência de tal assunto ser escarafunchado em meio ao tiroteio eleitoral.


Após o pleito, com ou sem a ação da Folha, os documentos seriam mesmo liberados.


Não adiantou o jornal espernear no STM e até no STF: não conseguiu acesso em tempo hábil e ficou impossibilitado de produzir algum factóide eleitoeiro.

 

Da próxima vez, que vá atrás das informações no momento certo e seguindo suas próprias pistas, ao invés de correr atrás das revelações alheias -- no caso, a matéria de capa da revista Época sobre Dilma, que foi de onde a Folha tirou a informação de que o processo da VAR-Palmares estava temporariamente indisponível.


Agora, para justificar a  batalha de Itararé  que fingiu estar travando, será obrigada a soltar alguma reportagem baseada no processo de Dilma.


Pela qualidade atual do jornalismo da Folha, canto a bola desde já: vai ser imensamente inferior à da Época.


Mas ninguém se surpreenderá, pois vexame é prato de todo dia na espelunca da alameda Barão de Limeira...


Para quem quiser conhecer os detalhes desta comédia de erros (mais uma!), eis o passo a passo:


E vale a pena ler de novo outro tiro pela culatra da Folha contra Dilma, em abril/2009, quando o jornal saiu com a credibilidade em frangalhos:

Exibições: 118

Responder esta

Respostas a este tópico

VAMOS A LUTA COM DILMA.LEI DOS MEDIOS AGORA NA POSSE.
NÃO DEIXAREMOS A FOLHA IMPUNE , QUAL A MOTIVAÇÃO REAL , POIS ACREDITO QUE SE A FOLHA TIVESSE O DEVIDO JUIZO , DEVERIA PEDIR AS FICHAS DE TODOS QUE LUTARAM CONTRA A DITADURA E NÃO SOMENTE DA DILMA .
A QUEM INTERESSA E A QUAIS INTERESSES SE PROPÕEM A FOLHA .
INFELIZMENTE A POPULAÇÃO BRASILEIRA , TERA QUE COMEÇAR A ESCOLHER E INDICAR O SEU CAMINHO , POIS, VAI DEPENDER , DA PROPOSTA DA FOLHA NESTE CASO.
Eu creio que qualquer coisa que fosse montada com este relatório, durante o período eleitoral, e com uma possível réplica da campanha de Dilma, seria um tiro pela culatra. Nada do que Dilma dissesse em sua defesa seria levado a sério.
Agora, não. Agora a coisa toma outro tom. Agora é possível com calma e com mais subsídios, desmontar juridicamente, se possível, qualquer mentira, ou qualquer dado forjado.
Acho que a munição da Folha é pouca.
"Não existe liberdade de imprensa pela metade", afirmou o ministro Artur Vidigal de Oliveira.

Espero que, mantida esta premissa, sejam liberados para todos os veículos de comunicação, não somente os arquivos da Dilma, - se pode da presidente, pode de qualquer pessoa - mas principalmente de todos os torturadores envolvidos. Liberdade de imprensa no Brasil é somente de conveniência aos donos dos veículos, porque não cobram com a mesma ênfase, a liberação de todos os documentos, muitos deles já incinerados, do período da ditadura militar?

Pela democratizaçõao dos veículos de comunicação, e pela queda queda do império da globo.

REGULAMENTAÇÃO DA MÍDIA JÁ!
Celso

O interessante é mostrar quem são os verdadeiros inspiradores de golpes militares. O STM por saber que os IPM da época eram um arremedo de justiça, segurou o processo até findar as eleições, não permitindo que esta peça fosse usada indevidamente para fins políticos. Agora passada as eleições se poderá levantar com calma todas as calúnias que a Folha possa fazer, inclusive chamando atenção de quem apoiava as forças antidemocráticas que estavam no exército.

Fica claro agora, como a "grande imprensa" tenta manipular as forças armadas para o seu próprio proveito, só que desta vez não colou. Temos que ficar atentos a toda e qualquer manipulação que possa a Folha fazer utilizando um das centenas de processos existentes na justiça militar. Inclusive passado o fato acho que se deveria lutar por legislação específica que impedisse a vir à luz processos gerados durante situações de exceção sem o consentimento dos prejudicados.
prá folha era fundamental que fosse antes das eleições, como diz a própria advogada do jornal.
depois das eleições, naturalmente ela tem que fazer este jogo de cena e proclamar a vitória da "liberdade de imprensa" e tantos outros blás blás blás...

mas se tem uma coisa que não interessa à folha é se colocar no lado dos torturados. se o fosse, a ela interessaria o processo de todos os torturados e não apenas da presidenta eleita... então... acredito eu, ela poderá "selecionar" apenas aquilo que lhe interessa como material para continuar o jogo sujo do terceiro turno...

então, é esperar para ver...
Concordo com todos esse comentários.
Da minha parte acho que será mais um "tiro no pé" como foram todas as tentativas de denegrir o nome da nossa hoje Presidenta. Acredito até (mas isso eles não vão publicar) que vão encontrar lá não a "terrorista" mas sim uma das heroinas que lutavam contra a ditadura.
Agora como presidenta acho que ela deve usar todo o seu poder (dentro da lei é claro) para fazer com que o povo brasileiro, essa geração pós 64 venha a ter conhecimento de tudo o que aconteceu naquela época. A geração depois dos anos setenta cresceu manipulada pela rede globo e o resto da imprensa canálha que apoiou os golpistas.
vamos pedir a ficha do Aloysio, do Serra, do FHC e outros que estao do lado do MAL, inclusive aqueles que apenas colaboraram, tem bastante gente com alto cargos nos poderes publicos do Brasil.....seria interessante levantar esse passado?

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço