Marina está numa sinuca de bico e o PT flerta com a derrota

O   day after  foi melancólico.


De um lado, os demotucanos estão sendo bem persuasivos nas tentativas para convencer Marina Silva a suicidar-se politicamente.


Tomara que ela não ouça o canto dessas sereias -- como as mitológicas, carnívoras.


Se fizer uma composição com os representantes da ganância capitalista exacerbada e sem limites, ajudará a devolver o poder à pior direita brasileira.


Em termos ambientais, será um desastre.


E, claro, isto lhe seria cobrado adiante: sua responsabilidade pessoal num grave retrocesso histórico.


Iria virar uma morta sem sepultura, como o ex-Gabeira.


Voltar à esfera de influência do PT para receber um Ministério mais importante desta vez? É pouco para a dimensão que ela atingiu. Só se lhe oferecerem bem mais.


O pior é que seu partido já não é mais verde: amadureceu e apodreceu. Está traindo o compromisso assumido de combater as práticas ambientais predatórias, ao aliar-se com quem as encarna.


Então, Marina está numa sinuca de bico.


Como a decisão de a quem apoiar no 2º turno é impostergável, a sabedoria política manda que fique neutra, liberando o voto do seu eleitorado.


Assim, conservará intacto o patrimônio político que acumulou como terceira via, preservando-se para passos mais ambiciosos no futuro.


Depois, com mais vagar, vai ter de escolher um partido para o  projeto 2014, já que o PV virou mera linha auxiliar da direitona.


Aliás, a única afirmação reveladora de Marina nesta 2ª feira, desconsiderado o blablablá convencional sobre as consultas que fará antes de anunciar sua decisão, foi esta:

"O resultado que tivemos de aprovação ao projeto meu e do [vice] Guilherme [Leal] é muito maior que o nosso partido".

Corretíssimo. Ela precisará de um partido mais adequado para suas pretensões vindouras, nem que tenha de criar um, como Fernando Collor fez (PRN).


Suas próximas decisões determinarão se ela é uma estrela que veio para ficar ou uma supernova que logo irá perdendo o brilho, como Heloísa Helena.


FASCINADOS PELO ABISMO


Já as avaliações que petistas fizeram do resultado frustrante foi mais frustrante ainda: aconselharam a campanha de Dilma a perseverar nos erros.


Uns falam em  esclarecer  melhor a questão do aborto, no sentido de tentar iludir o eleitorado, martelando sem parar que, desde criancinha, ela nega às mulheres o direito de opção.


Cogitam até a retirada da descriminalização do aborto do plano de governo de Dilma.


Então, estamos conversados: se filmes repulsivos como Tropa de Elite conseguirem convencer contingente expressivo do eleitorado de que a tortura é válida, o PT correrá a apoiar a tortura...


O recuo em questão só servirá para fazê-la parecer oportunista e falsa, pois o que disse no passado está publicado e será relembrado ad nauseam  pelos antagonistas.


Outros dirigentes petistas recomendam a insistência nas comparações entre os governos de Lula e de FHC, quando a comparação a ser feita é bem outra: entre um projeto político esquerdista, sintonizado com a justiça social, e um projeto político direitista, sintonizado com a desigualdade e a exclusão inerentes ao capitalismo.


Caso seja necessário, ilustrarei com desenhos: O PT NÃO VAI GANHAR ESTA ELEIÇÃO SEM SUA MILITÂNCIA IDEALISTA, AQUELA QUE SÓ SE MOBILIZARÁ POR MUDANÇAS EM PROFUNDIDADE E NÃO POR RETOQUES COSMÉTICOS NA FACE MONSTRUOSA DO CAPITALISMO.


Para esvaziar a ofensiva ideológica direitista, terá de guinar à esquerda.


Se continuar em cima do muro, ambíguo e cauteloso, alienará seus apoios naturais e nem sequer vai conquistar o eleitorado conservador de classe média, que sempre se colocará na trincheira contrária.


Trata-se da receita infalível para ser inapelavelmente batido, jogando no ralo uma eleição que estava 99% ganha.

Exibições: 281

Responder esta

Respostas a este tópico

Isso tá parecendo a política norte-americana que empurra Obama para a ultra-direita, com a militância de de Deus ( Deus vira auxiliar, é claro) , e no nosso caso, com o toque especial ao tornar a Mãe Natureza contemporânea.
Exatemente! É por aí que deve (re) começar a campanha. Mostrando que o PT é o PT e não uma fábrica de cosméticos. O PT em que eu me filiei promovia medo (rsrs). As pessoas se incomodavam se um dia viesse a ser governo. Estas pessoas a gente sabe quem são.

Então eu pegunto:
- está em algum lugar qualquer manifestação da Dilma sobre o aborto, essa bobagem que se tornou uma hecatombe na internet? Uma frase? Um aceno? Um suspiro?
- em algum momento era o PT em campanha, ou era o lançamento de uma fábrica de botox?
- que posições ideológicas foram discutidas na campanha?
- que revide foi dado às denùncias perpetradas pela mídia?
- qual seria o papel de Michel Temmer no governo? Lembrando que isso foi pauta de jornalistas insidiosos.
- onde estava a militância no sábado à noite? Não me venham falar que "na minha rua, no meu bairro, na minha cidade tinha militantes".
Também concorco com a sua análise.

É chegada a hora do PT levantar velhas bandeiras.
Mais um radical jurássico... Dilma vai ter que domar essa turma.
Alexandre,

a defesa da descriminalização do aborto (posição que também era a do PT, não sei se ainda é...) está numa entrevista que ela concedeu à "Folha de S. Paulo" e não desmentiu em 2007. Xeque mate.

Vir alegar agora que não era bem isto que ela queria dizer há três anos não resolverá nada. É melhor ter coragem de explicar ao povo a proposta do partido do que recuar sob o chicote da direita, mais uma vez.

Abs.
Nem tanto ao céu nem tanto à terra. Os puristas do PT, infelizmente pararam no tempo ou devem pular para o PSTU ou o PSOL do Plinio Museum Sampaio.
O Brasil hoje, bem sucedido na administração Lula é um país moderno, com amplas camadas da população ascendendo à economia de mercado (sempre ansiou por isso ams foi até hoje alienada desse processo), com desejo de ver seus filhos alcançando seus objetivos, sonhos como o presidente o fez e não tem nada a ver com a esquerda jurássica dos radicais. Dilma sabee disso como o Lula e os avanços devem ser no sentido de reduzir as desigualdades pelo crescimento dos pobre e não empobrecimento dos ricos. Boas politicas sociais, distribuição de renda e inclusão social através da educação. Quando aesses temas polêmicos, a educação e amadurecimento da sociedade vai colocá-los naturalmente em pauta, sem tutelas ou imposições.
Pois é, Celso, mas foi em 2007. A eleição é agora. E não tem que se explicar de nada, apenas diga qual a sua proposta, qual o seu parecer. Particularmente, eu acho uma bobagem, mas o eleitorado, não.
Caro
LUNGARETTI,

Com todo o respeito que
você nos merece, eu não
posso fugir de lhe dizer:
o seu radicalismo exposto
na 2ª parte de seu artigo
- FASCINADOS PELO ABISMO -
é que pode comprometer a
a vitória de DILMA no segundo
turno. Você precisa entender
que Política se faz como os
pés no chão. A VERDADE é que
o povo brasileiro é em sua grande
maioria CONTRA o ABORTO,
CONTRA O CASAMENTO "GAY".
E quem é político tem, antes
de tudo, de respeitar o que
pensa este POVO. Então, pra
quem tem um mínimo de
discernimento político, ir
contra o que pensa este povo
é querer buscar a derrota.
DILMA tem mesmo é que ser
mais clara quando diz que
é contra o ABORTO:
"Sou contra o ABORTO
porque o acho o mais
ESTÚPIDO, COVARDE e
HEDIONDO CRIME."
E ponto.

Marco Nogueira
Perfeito.
se ela disser isto, perde o meu voto!
ninguém, marco aurélio, é a favor do aborto. aborto é uma contingência da vida da mulher. jamais desejo.

dilma tem que defender tão somente a discriminalização do aborto. e ponto!
ingenuidade ser contra o aborto, quando a mulher o pratica desde sempre, por um direito e prerrogativa que tem por ser dona do seu corpo. do seu desejo. do seu sonho.

ser contra o aborto é garantir o aborto na clandestinidade e a morte prematura de mulheres que o fazem eom condições precárias, enquanto a mulher rica o faz em ricas clínicas "clandestinas."

não entendo que a hipocrisia deva ser mote de campanha!
Isso aí, Luz.

Descriminalização do aborto e das drogas é questão de debate, com o propósito de reduzir os danos sociais provocados por ambos e não defesa da prática. Não é flaxflu.

Que saco. Quando está em jogo a questão da desigualdade social, uma fuga da perspectiva africana para o Brasil e para a América Latina, mesmo com projeto capitalista, desenvolvimentista, os liberais viajam para a Idade Média.

Vão reeditar as cruzadas também?
É isso aí Luzete e Simone.

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço