MundoLivro: biblioteca pública e leitura como foco principal

Pois é, como alguns sabem por aqui, sou bibliotecário e estou há dezoito anos na área do livro e de formação de leitores. Há dois meses comecei um trabalho no Setor de Fomento à Leitura da Biblioteca Pública de São Bernardo do Campo. São projetos realizados em equipe que visam criar condições para a promoção da leitura e a formação de leitores.

Sábado próximo (14/03) começaremos o projeto MundoLivro, a idéia é fazer uma série de ações nas bibliotecas públicas e em outros espaços da cidade, o foco: livro e leitura como fruição. O objetivo central é trazer as discussões sobre leitura e literatura para o centro da biblioteca pública.

Para coordenar e mediar as atividades dessa primeira fase do projeto, convidamos o poeta Tarso de Melo. O mediador e convidado estarão literalmente em frente as estantes e dela tirarão os subsidios para essa palestra/bate papo.

Cada convidado se concentrará em alguns autores para a conversa. O MundoLivro quer simplicidade: focalizar a leitura como elemento principal e desencadear o debate e o bate papo.

O primeiro encontrará trará o editor e escritor Reynaldo Damazio falando dos argentinos Jorge Luis Borges e Julio Cortázar.

Todos estão convidados!!


Horário: 15:00 hs.
Local: Biblioteca Monteiro Lobato - Rua Jurabatuba, 1415 - Centro - SBC - tel: 4332-9698 / 4336-8212 (Ricardo Queiroz Pinheiro)

14/3 – Reynaldo Damazio (Borges & Cortázar)

18/4 – Donizete Galvão (Guimarães Rosa)

16/5 – Carlos Felipe Moisés (Mário de Andrade)

20/6 – Dalila Teles Veras (Fernando Pessoa)



Mais informações:

pelo email: fomentoleitura@gmail.com e

pelo telefone: 4336-8212

Exibições: 188

Responder esta

Respostas a este tópico

Ricardo, voce atende nesse telefone? Me interesso por ess apauta.
Veja isso, do blog d e um amigo jronalista, voce sabia disso aqui em SP???
Sem livro
Lamentável. Atualmente, o acervo das bibliotecas infanto-juvenis em nove subprefeituras da capital é zero. Isso mesmo. O número per capita de livros disponíveis por habitante na faixa etária de 7 a 14 anos em Cidade Ademar, Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo, Jabaquara, M'Boi Mirim, Parelheiros, São Mateus, São Miguel, Vila Maria/Vila Guilherme é zero. A Unesco recomenda, no mínimo, dois livros per capita em cada distrito. A que apresenta melhor resultado é a subprefeitura da Sé, com 13,37 livros per capita, segundo levantamento do Movimento Nossa São Paulo. Das 31 subprefeituras paulistanas, somente oito atingem a meta recomendada.

Sem livro 2
Para o público adulto,a situação das bibliotecas municipais é bem pior do que no setor infanto-juvenil. Butantã, Capela do Socorro, Casa Verde/Cachoeirinha, Cidade Ademar, Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Jaçanã/ Tremembé, M Boi Mirim, Parelheiros, Perus, São Mateus não cumprem a meta sugerida pela Unesco. Somente a subprefeitura da Sé está dentro do parâmetro sugerido.
Elizabeth,

atendo sim, chego la as 9:00 e nao tenho hora pra sair...rs
Elizabeth,

esse assunto é minha grande briga: biblioteca pública nenhuma tem política de formação de acervo. Tenho até um artigo sobre isso que foi publicado no blog do Galeno Amorim:

http://www.brasilquele.com.br/uol_texto_ler.php?id=4396&page=13

e estou à disposição para compartilhar informações, ok??
Ok, vou te ligar amanhã, e por favor passe seu email pra mim por mensagem, já pedi pra ser sua amiga
abs
Ricardo, que excelente notícia.
parabéns pela iniciativa.
acho que nada é mais importante do que ensinar nossos alunos a gostar de ler.
o problema tem sido a forma e, acredito, vcs estão trilhando um caminho sedutor.
Luzete,

obrigado, e devemos estimular os não alunos também, aqueles que esqueceram a magia da leitura ou mesmo que jamais souberam.

abraços
claro, claro, Ricardo. e minha experiência mostra isto... adultos que não tiveram oportunidade de se encantarem com o livro, seduzidos, são leitores ávidos e importantes.
Ricardo, tenho inveja de ti. Meu sonho sempre foi ter uma livraria para poder ler todos os livros.
Acho importantíssimo seduzir os adultos para lerem. Eles lendo passarão para seus filhos e netos o prazer da leitura.
Foi o que sempre fiz.
Bjs
Marise,

o duro é estar ao lado de muitos livros e as vezes nem ter tempo de folhá-los....rs...to brincando, faço o que gosto e digo mais: você que deve ser uma formidável leitora, vá a uma biblioteca pública perto da tua casa e tente mudá-la o quanto puder.

abraços!
Ricardo
Não tenho a mínima idéia do que fazer. O que faço de vez em quando é largar um livro num banco de praça.
Mas sou muito egoista com meus livros. Eles são lindos, novinhos e super cuidados. Quando levo o livro, me dói o coração de me desfazer de algo que parece um pedaço de mim.
De fato leio muito.Por isso meus filhos só me dão de presente no Natal e aniversário:livros.
Bjs
Simples: vá uma biblioteca pública e reclame de um livro que não tenha achado. Não só reclame, mas tente saber pq ele não ta na prateleira.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço