Gente, e a operação contra os delegados que participaram da Satiagraha? Vamos deixar por isso mesmo? É preciso um movimento contra isso! Seja pela Internet, seja indo às ruas. Onde ficou a palavra do presidente Lula, de que garantia de que a operação nao seria abafada e de que haveria resultados logo? Pura cortina de fumaça?

Exibições: 223

Responder esta

Respostas a este tópico

Transcrevo agora o editorial do Mino:

Um erro irreparável
09/01/2009 17:01:20

Mino Carta

Corrigir | Imprima | Envie por e-mail | Adicione aos favoritos | RSS | Fale conosco
Vamos logo ao ponto: por que CartaCapital, e outros jornalistas, miram em Daniel Dantas? Porque o banqueiro orelhudo é a personagem mais representativa da interferência financeira na política nativa, da corrupção à moda da casa. Há mais figuras na parada, mas não chegam ao nível e à dimensão do nosso heroi, pelo menos por ora.

É neste enredo que entra o delegado Paulo Lacerda, ex-diretor da Polícia Federal, ex-diretor da Abin, enfim desterrado para Portugal, no melancólico e inédito posto de adido da nossa embaixada em Lisboa. A exoneração de Lacerda deu-se na calada das festas de fim de ano, a aproveitar o momento em que o pessoal ergue brindes e troca presentes, e seu afastamento, murmurado em tom anódino, não mereceu maiores reparos da mídia.

Paulo Lacerda, policial conhecido por sua ficha impecável, é quem esteve à frente da PF quando da Operação Chacal, a primeira que visou as falcatruas do orelhudo em 2004. Quatro anos depois, emprestou efetivo da Abin à Operação Satiagraha, aquela que até hoje resulta na condenação de Dantas por corrupção, determinada pelo juiz de primeira instância Fausto De Sanctis.

Por que Lacerda vai para Portugal? Na origem do enredo, uma reportagem da revista Veja anuncia que uma conversa entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres foi grampeada. Conversa, aliás, sem qualquer relevância. Mas o magistrado tonitroa o propósito de “chamar às falas” o presidente da República, como se identificasse nele o responsável pela interceptação ilegal.

Que faz o primeiro mandatário? Convida Mendes à calma e pede tempo para analisar o caso? Pelo contrário, recebe-o imediatamente, em companhia do ministro da Defesa, Nelson Jobim, este que não perde a oportunidade para mergulhar em uniforme de general. Sustenta Mendes, apoiado por Jobim, que o grampo sofrido é obra da Abin e pede a cabeça de Paulo Lacerda. Que de imediato é afastado temporariamente do cargo, a coroar um erro destinado a demonstrar-se irreparável.

O arco-da-velha funde sua palheta em uma única cor, o rubro da vergonha. No entanto, o tempo passa. Prova-se que a Abin não tem condições de grampear quem quer que seja, só pode mesmo rastrear grampos. Há quem diga que Lacerda carrega outra culpa: ajudou o nunca assaz falado delegado Protógenes da Satiagraha. E que culpa seria esta, se não há lei ou regulamentos para condená-la?

A este respeito cabe uma observação. Em novembro de 2007, Paulo Lacerda visitou seu sucessor na direção da PF, Luiz Fernando Corrêa, e foi claro na sua exposição: caso a PF não se dispusesse a oferecer reforços à Satiagraha, ele os forneceria. Por que a questão não foi levantada na ocasião, catorze meses atrás, e só veio à tona depois do encontro do presidente Lula com Mendes e Jobim?

Avolumam-se os porquês, pois contra Paulo Lacerda nada foi apurado. E se algo há que não sabemos, algo escondido nos bastidores, convém explicitá-lo, se o Brasil for de fato um país democrático onde vigora o Estado de Direito. O delegado assumiu aos olhos da opinião pública, em função do seu desempenho e de sua ressonância, uma importância capaz de transcender o seu próprio posto.

É dever do governo explicar, à revelia da mídia que prefere o silêncio em proveito de outras personagens do entrecho, as razões do fim melancólico reservado a um leal servidor do Estado. Caso contrário, justifica-se a suspeita de que as razões da política miúda pesam mais, muito mais, do que a justiça e a ética. E suspeitas mais, de que tudo se faz para evitar, até quando for possível, a relação orgânica entre Daniel Dantas e o poder nativo.

::
Réquiem
Na quinta-feira 8 foi concluída a compra da Brasil Telecom (BrT) pela Oi. Um negócio urdido e abençoado nos corredores do Palácio do Planalto, que forçou uma mudança extemporânea das leis em vigor no setor de telecomunicações, e repleto de conflitos de interesses, a começar pela sociedade dos beneficiários com a empresa de um dos filhos do presidente da República. A patranha está selada. E não foi por falta de aviso.
Ò xenti!!!

Eis cá a Graúna toda enrolada em suas plumas, hoje grisalhas de dúvidas, perguntas, preocupações...

Peço, desde já, tolerância com esta pequena ave que, por determinação de papai Henfil, sempre fica indecisa, não consegue limpar suas lentes, e enxergar a realidade ao seu redor, de forma menos estrábica, ou seria, míope???... sei lá...

Provavelmente, papai ao criar-me deva ter tomado um pouco de sicuta, digo, lido algo sobre Sócrates, e a seus moldes criou-me cônscia de que; só sei que nada sei...

Por causa destas e outras, decidi fazer parte deste Blog, para ver se consigo, através de olhares mais esclarecidos, dar foco à realidade...

MAS TÁ DIFÍCIL, SÔ!!!

Entrei nos dias em que 2008 dava bye bye, sob os hediondos ecos dos bombardeios em Gaza, e, com a Satiagraha e tudo que lhe diz respeito, sendo varridos pra debaixo do tapete...

Em meio à essa “cortina de fumaça” horripilante, e borbulhas de champagne que saudavam o nascimento de 2009 (que não parece lá muito alvissareiro)... adentrava a Graúna, tentando (re)construir o seu conhecimento... de bem recebida, em seu primeiro dia, pela Pátria Grande, acabou por sofrer em neófita postagem, provocações bizarras, por alguns integrantes da Mídia...

Sem querer tirar conclusões precipitadas, mas apenas usando desta experiência como fermento pro bolo (já que sou dada às artes culinárias), tenho a triste sensação que isto pode representar uma metáfora; pobre, SIM, mas, nem por isso, totalmente despida de fundamentos...

Quero dizer que:por coincidência ou não, Zés Povão & Povinho, vêm tendo que agüentar, dos descendentes do Poder Militar: o 4º Poder (os Coronéis da mídia, formatadores de opinião), toda sorte de bizarras provocações ao nosso bom senso, tal qual o diminuto incidente à minha entrada...

Somos vítimas diárias do massacre dos seus discursos “sem fundo”, pouco esclarecedores, porém desarticuladores, que empregando muitos circunlóquios, nos deixam mais perdidos que o minotauro em seu labirinto...

Antes que joguem pedras na Geni. Perdão: digo, nesta pequena ave do agreste, cabe dizer que; toda regra contém exceções, então, sem ir mais longe: o Senhor Nassif que nos concedeu este espaço para debate, o senhor, supracitado: Mino, etc... etc., seriam bons exemplos.

Ainda acredito que haja, SIM, possibilidade de grafarmos mais de um “etc.”...

Minha ciclotimia está em fase eufórica, rsss

Sabem; bem no fundo a pergunta que não quer calar é essa mesmo: quem são os artífices desta manipulação de títeres? Sem querer cair no maniqueísmo, do “bem” & do “mal”, mas afinal: quantum de comprometimento com este cenário, embaçado pelos corporativismos midiáticos, tem o nosso Governo, o nosso Presidente, em quem todos nós, ou pelo menos, grande parte de nós, depositou sua confiança em pleito público?

E agora mais essa: ecoam vozes clarividentes que uma certa correspondente da Globo na faixa de Gaza, mui comprometida com a, risível e propalada “imparcialidade” jornalística, já veiculou Blog com conteúdo partidário de um mundo sem árabes, e outras barbaridades mais, de arrepiar os cabelos, digo, as plumas de qualquer ave...

SERÁ???


CORTÁZAR & O MINOTAURO:
Oi, Graúna
Tive dificuldade em entender o vídeo, leio bem o Espanhol escrito mas oral é outra coisa.
Agora, a estória da comentarista é de amargar mesmo. Além de tudo, parece que ela já foi espiã na época da guerra do Líbano.
Um abraço
AnaLú
Oi, Graúna
É OFF-Topic, mas tem a ver com o que você diz sobre as manipulações da Mídia. Pus como comentário no Fora de Pauta de hoje:
"O Globo On Line fez uma matéria sobre a manifestação contra a guerra no Rio, e pôs um link para fotos. Vocês deveriam ver que fotos. Elas formam um discurso sem palavras de desqualificação da manifestação como coisa de árabes (fundamentalistas: moça de chador), raivosos e preferencialmente negros (com o lenço tipo Arafat-- nunca vi árabe nenhum no Brasil usar isso, e vários na manifestação?). Como sao fotos, as pessoas acreditam que estao vendo "o real" e acham que o que concluem concluíram por conta própria. É o cúmulo da manipulação, a manipulação por meio de algo que nao foi dito."
Um abraço
AnaLú
Sei lá por quais tortuosos espinhentos cardos e gravatás da minha caatinga, digo, da minha apoucada memória ornitomaníaca, o que nos informa a Srª Anarquista, mui, Lúcida, de alguma maneira acessa reminiscências saudosas, de uma certa grande dama da imagem: Susan Sontang, que acabou discorrendo a respeito da utilização da imagem em tempos contemporâneos

Corroborando, adversativamente, com o que se aprende no ABC da Comunicação: legado por um certo diabólico Senhor, que se curvou cegamente aos desígnios, de um, outro certo hediondo Senhor, que achou que o mundo deveria ser de arianos: Joseph Goebbels.

Instruía, tal cartilha, algo assim: que com o uso repetitivo de imagens pode-se mobilizar e formatar a opinião púbica.... Especialmente através de closes hipnóticos, tal qual os veículos televisivos costumam a inebriar os seus telespectadores, até os dias de hoje...

Pó deixá: sei que estou a “ensinar padre-nosso-ao-vigário”, mas...

Susan entendeu, acredito com espanto, que além do enorme potencial da imagem como ferramenta de manipulação, quando utilizada repetidas vezes, dessensibiliza as pessoas, às torna imunes ao apelo, mesmo que esta imagem revele conteúdo dramático

("isso é tão ruim que parece até bom").

Que grande armadilha este nosso tempo, não??? Em plena era da comunicação, sobretudo através da imagem, é possível não só manipular opiniões por meio dum olhar, de um flash, a exemplo das tais fotos supracitadas, assim como é possível agravar ainda mais, o grau de insensibilidade das pessoas... atributo humano que já anda seqüelado, vitimado por esta grande roda-gigante, digo, Roda-Viva, sei lá... por aqui, tudo acaba mesmo em pizza, ou em parque de diversões... e com direito ao sinistro trenzinho fantasma...

E, logo... logo, todos esses horrores, nacionais & internacionais, nesta terrinha descoberta por Cabral e saqueada por tantos, serão esquecidos ao ranger da cuíca, enroscando-se em traiçoeiras serpentinas e perdendo-se entre confetes e rebolados na cadência do mesmo cantileno samba, que faz de todos; macaquinhos cegos, surdos & mudos... Transformando, assim, o que antes fora profano e rebelde, em altar dos resignados e conformistas... e, tudo seguirá como d’antes, no reino do 4º Poder, digo, do Abrantes...

Mas, quem será mesmo o Abrantes, ou os Abrantes????

Ai, ai, ai!!! Que rolo!!!... palavras & pios; bocas & bicos, confundem minhas negras plumas...

Um aparte: que a referência aos 3 macaquinhos, em nada pese como fala depreciativa aos símios, que a exemplo da Washoe, são capazes de manifestar mais sensibilidade e aprendizado, do que muitos que se dizem humanos, por aí... pouco sei a respeito da macaquinha, digo, bonoba, ou será chipanzé???

Imagino que a Srª Ana Lú, possa contribuir com suas, de sempre, lúcidas informações a respeito de tão simpático exemplar animal, digo, Ser quase humano... ainda que isto incomode “vossas” narcíseas auto-imagens, de seres racionais...

Digo “vossas”, pois como ave, pra mais do tão castigado agreste, não me incluo nessa categoria...

Saudações penalizadas, e, com a sensação de que só nos resta seguir BERRANDO, PIANDO, SILVANDO... de toda forma que nos seja possível...

Caso, não consigamos mudar o cenário, pelo menos diminuímos o risco de morrermos engasgados... e não será por farta comida, rsss...

Oi, todos

Embora, infelizmente, eu ache que a Operação Satiagraha esteja caindo no esquecimento aqui na nossa Comunidade e mesmo no Blog mae, acho que o povo nao esqueceu dela nao. Olhem a foto em anexo, sobre o fato das pessoas estarem usando máscaras de Carnaval com a cara do Protógenes (e já li uma letra de um samba de bloco de Carnaval falando da Operação).
Anexos

Bom, entao, acho que minha capacidade de aprendizagem é pouca... Tenho 60, Urariano, e ainda nao aprendi nao... Depois, já se passaram 8 meses, nao, a partir da Operação? E uns 6 depois daquele post do Nassif. Nao já teria dado tempo das investigações terem levado a algo novo? O dinheiro bloqueado nao vale, foi uma investigação mais ou menos independente. O importante é pegar Daniel Dantas, e, mais ainda, os que estao por trás dele.
Abçs
AnaLú
Arkx, eu não gostaria de ficar esperando o homem.
mas, como fazer?
o que fazer? (ihihihihi)
mover para onde?
dá uma dica da direção. e que não seja o brejo, porque sei de uma história triste sobre isto. um dia conto prá vcs.
Arkx, pouco posso fazer a respeito. E esse pouco é exatamente falar sobre o caso, nao deixar morrer... É pouco? Pouquíssimo. Mas o que mais poderia euzinha fazer?
Bjs da amiga
AnaLú
AnaLú, a impressão que dá é que este assunto morreu, não é mesmo?
ontem mesmo pensava sobre isto.
será que alguém mais informado poderia nos dizer a quantas (não) anda o processo?
Pois é. Até o PHA parou de falar disso! Mino se calou. Acho que pro Nassif agora a coisa ficou mais delicada (nao que eu ache que ele vá se calar). O Azenha tb nao fala mais. Nunca foi um tópico privilegiado pelo Eduardo. Tá difícil.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço