Pessoal, falar em indignação não reflete mais o sentimento que nós estamos passando com a via crucis que o delegado Protógenes vem sofrendo, pelo simples fato de cumprir o seu dever como funcionário público. A única diferença é que ele ousou investigar e prender um banqueiro bandido poderoso, gestado na era FHC. Ele foi o rei dos arremates das privatizações. Tornou-se a fonte provedora do financiamento da campanha de muitos políticos, na época, todos ligados a base aliada do governo FHC.

Foi também o caixa do mensalão cujo administrador era o senador Eduardo Azeredo, presidente do PSDB. Pelo o que a gente percebe tudo se encaixa. O "grande" idealizador da proposta de perpetuação do PSDB no poder - falava-se na época em vinte anos - foi do Serjão Motta, conhecido também como trator, que por coincidência era ministro das Comunicações, justamente o setor em que aconteceram as maiores bandalheiras.

Como o governo FHC foi um desastre, Lula veio a sucedê-lo, e estranhamente houve a transição do poder de maneira "civilizada" tendo o novo governo Lula todo o acesso as informações do governo que se encerrava.

Esse fato na mídia foi comemorado como fato inédito, "exemplo" para o mundo civilizado. Pura enganação de trouxas. Dava-se ali o "El grande acuerdo".

O esquema do mensalão continuava funcionando a todo vapor e o senhor Daniel Dantas tinha que se aproximar de Lula a todo custo. Não sei se conseguiu. Fala-se que Lulinha tem negócios com ele. Não vi nenhuma prova. Se considerarmos a doentia campanha da mídia contra o governo Lula, acho muito estranho que ela não tenha produzido mais um factóide.

O mesmo não podemos dizer do governador Serra. A mídia alternativa divulgou documentos, nunca contestados, da sociedade da sua filha em uma empresa em Miami, com a irmã do banqueiro bandido. E lógico, com dinheiro deste.

Quero acreditar na boa fé de Lula, que ele não esteja envolvido nesse lamaçal de corrupção. Sempre vejo ele num jogo estratégico mexendo as peças do xadrez para poder driblar o cerco covarde da mídia.

Acabo de assistir um vídeo (blog cidadania. com) o presidente em Telêmaco Borba PR comentando a difusão de pessimismo pela grande mídia, Existem jornalistas escalados nos grandes meios de comunicações exclusivamente com essa tarefa. Cito alguns exemplos mais notórios: Mirian Leitão e Ricardo Noblat do Globo, o patético Reinaldo Azevedo e Diogo Mainardi do esgoto chamado Veja, Eliane Cantânhede e Clóvis Rossi da Folha e outros.

O fato é que no noticiário hoje informa que o delegado Protógenes foi afastado da PF, embora não de forma definitiva, mas que se pressupõe que o será. O delegado escalado a dedo para conduzir o processo nada mais é do que o sr. Amaro, um desafeto de Protógenes. Já vi essa história. Quando dentro de uma instituição o chefe quer pegar o seu subordinado, é só escalar o seu pior inimigo. Foi o que aconteceu.

Quem perde é o país. Desta forma conclamo que todos aqueles que se mostram indignado com essa situação se levantem numa corrente para que possamos expressar a nossa insatisfação com essa patifaria. Punir funcionário público honesto, via de regra não deixa de ser exceção, principalmente quando mexe com interesses muito escusos. Enquanto isso o banqueiro bandido condenado continua solto.
Vamos aceitar isso bovinamente?

Exibições: 282

Anexos

Responder esta

Respostas a este tópico

será que a Satiagraha ameaça a estabilidade institucional do País?

Já encontrei esse tipo de receio em outras pessoas. Não é algo infundado:
será que o STF, o guardião da Constituição, a mais alta corte do País, não é desmoralizado devido a atuação de seu atual presidente?
será que o Congresso não é desmoralizado devido a atuação de alguns de seus componentes em jogadas como a CPI dos grampos?
será que o Executivo não é desmoralizado devido a sua inércia?

E se comprovado o envolvimento de algumas dessas pessoas no esquema DD a coisa fica ainda pior.

E o que será do Brasil depois disso? Será o fim? A anarquia (ai, Anarquista Lúcida!!! :-) )?

Eu acho que as instituições podem sair fortalecidas se conseguirem retirar a "banda podre".
E se a banda podre for muito grande?
Primeiro, a banda podre não vai sair por vontade própria.
O sistema de freios e contrapesos pode favorecer a permanência de "bandas podres cumpadres".

Aí entramos NÓS.
Sim, existe a grande mídia, comprometida com outros interesses além do bem estar comum, que vai tentar direcionar a opinião pública.
Mas existe a Internet,pela qual devemos zelar (vide o projeto do Eduardo Azeredo. Mas isso é outra discussão...).
Acho que a pergunta central de todo esse tópico é "como apoiar a Satiagraha de forma legal e pacífica"? Acho até que a discussão se desviou um pouco devido (em parte) a não existência de respostas pra essa pergunta simples.

Mas eu sou um simples trabalhador, pagador de meus tributos, amante da paz e do bom futebol.
Eu posso mandar UM email. Da minha casa, do meu escritório, do meu celular.
Para os parlamentares da CPI dos grampos. Para os membros do STF.
Pedindo explicações. Cobrando atitude.
Não serei um criminoso por causa disso. Não serei um spammer, nem hacker, nem baderneiro.
Só um CIDADÃO. Inclusive, responsável pelas palavras que escrevi enviadas através da minha caixa postal, com o meu endereço IP.

Poxa, mas UM email....que nem deve ser lido. Se for lido, deve ser pelo estagiário ou por um assessor qualquer .... quanta inocência...
Se eu for o único, serei ridículo. Mas por causa de um enxame até um cachorro grande larga o osso.

Talvez não funcione. Talvez os endereços de email de políticos sejam "ralos digitais".
Mas se não fizermos nada e assistirmos, de braços cruzados, a crucificação de delegado, juiz e procurador nos tornaremos merecedores de um país corrupto e todas as suas consequências.
A questao é conseguirmos pensar formas de ação, que tenham algum efeito, mesmo se pequeno, para começar, e que possam "juntar no caldo" outras pessoas; mas está difícil juntar pessoas que se ponham de acordo para as mesmas ações (nem que seja colar um adesivo no carro, ou na janela de casa, com a mesma palavra de ordem...).

Quanto ao resto do que você falou, é isso aí, mas dá um frio na espinha... Ontem no Blog-mae se estava discutindo os "impeachments" que andam sendo feitos pela Justiça Eleitoral, e se aventou a hipótese de que é um treino para 2010. Mas se a coisa for por aí, é a ditadura de novo, mesmo se disfarçada numa forma legalizada. Será que o povo se levantaria, depois de todo esse tempo de inação?

Até pouco tempo eu achava que nao haveria possibilidade de novo golpe, porque nao haveria apoio dos EUA, e sem isso fica impossível um golpe. Mas, claro, se o golpe de der com uma capa legal, aí as coisas ficam diferentes, bastaria aos EUA "nao interferir". E houve o ditabranda, e várias outras "preparações".

Estou começando tb a achar que todas essas homenagens ao Lula no exterior (pô-lo ao lado da Rainha, e nao a Obama; as declarações desse, o convite ao Lula para "partilhar a liderança" na América do Sul, etc.) podem ser -- tomara que isso seja apenas uma fantasma meu -- uma tentativa de "captação pela vaidade", assim como faziam com Fernando Henrique dando a ele títulos de Doutor Honoris Causa dessa e daquela universidade.

Sei lá. Estou começando a ficar com medo.
" Satiagraha é um sintoma social"

Postado por Ivanisa Teitelroit Martins em 18 janeiro 2009 às 16:00

"O Brasil hoje é o campo de batalha dessas duas facções. De um lado o "Apedeuta" espertalhão e sua tropa de esquerdistas sem utopia, mas com volúpia do poder do Estado e suas boquinhas mil. Do outro lado, os que não se deixam tapear nem intimidar na defesa do Estado de direito democrático, ainda que carimbados de direitistas." - comentário elogioso, de outubro de 2008, ao livro "O país dos petralhas" feito por Eduardo Graeff, cientista político que foi secretário-geral da Presidência da República no governo Fernando Henrique Cardoso.
Enquanto isso, através de operação de investigação feita pelo sistema de inteligência do governo federal foi rastreada a rota da evasão de divisas do país e da lavagem de dinheiro, que se constitui em crime financeiro. Há provas suficientes de sua materialidade. Um policial, um juiz e um procurador da República a sustentam. Sua competência é questionada. O Supremo Tribunal Federal e a classe política não se comprometem com as evidências, bem pelo contrário.
À mídia restou uma rede de blogs que faz um contraponto inteligente à informação dos grandes veículos que, por sua vez, parecem ter formado uma opinião, no mínimo, reticente ao processo. O blog de Luís Nassif tem agregado a participação ativa de inúmeros leitores que buscam a democratização da informação, através da análise e da opinião crítica e bem sustentada. O afastamento recente de Luís Nassif da TV Cultura parece sinalizar que há setores da sociedade incomodados com a falta de limites. Setores da sociedade que estão acostumados a determinar indiretamente o limite de informação que pode ou não chegar à opinião pública, atingindo a própria credibilidade da mídia.
Quando o processo de informação é democratizado, cria-se condições para o exercício de uma cidadania mais bem informada e o surgimento de lideranças mais comprometidas com o desenvolvimento. Quando ele é cerceado, são reproduzidos os equívocos do passado que somente retardam as transformações sociais, econômicas e, principalmente, políticas que podem deslocar o país para uma posição mais ativa na cena internacional. Ao cercear a informação plural e o debate de divergências, a ação política fica reduzida à pura alternância de poder sem compromisso com os interesses do país, ao invés de serem discutidas as grandes questões e desafios que se tem pela frente. Os brasileiros de baixa renda, que são maioria nesse país, esperam que haja escolas, atendimento médico, segurança, empregos, salários dignos, distribuição de renda e terra e não têm interesse em saber quem é mais esquerdista ou direitista ou se o Estado é Policial ou de Direito, porque enquanto não houver democracia, justiça e acesso a oportunidades, para eles o Estado continuará sendo policial. E não é por acaso que um policial vem sendo o principal protagonista em defesa de direitos da maioria, denunciando a evasão de recursos para fora do país. E um jovem Juiz e um Procurador da República vêm sustentando juridicamente esses direitos. É do lugar crítico do suposto "Estado policial", na figura do Delegado Protógenes, que vêm sendo denunciadas as bases desiguais de nossa democracia.
Em geral, tem-se estimulado a desmoralização desses profissionais, como também de profissionais da imprensa que têm resistido à limitação da informação. Esses jornalistas, policiais, delegados, juízes de primeira instância, procuradores foram reduzidos à "faixa de gaza" diante da ocupação expansionista da grande mídia e seus aliados. Estes bombardeiam a "faixa de gaza" com recursos e meios sofisticados, desqualificando, desempregando, atingindo famílias e civis que estejam próximos. Não diria que os civis são inocentes, mas com certeza não estão armados, sequer dispõem de mísseis Qassam, mas se multiplicam.
O PT é um partido que nasceu das lutas dos trabalhadores e das greves do ABC e se transformou em uma esperança para o povo brasileiro. O PSDB esteve oito anos à frente do governo federal, quando se constituiu em esperança. O PMDB teve um papel importante na sustentação da Constituinte e também já ocupou o governo. É hora de avançar. A operação Satiagraha é o nosso sintoma social, a nossa crise mais aguda, porque denuncia a reprodução das desigualdades no país. Não é o corte orçamentário em investimentos, nem a política ortodoxa do Banco Central, nem a redução dos salários, nem a focalização somente naqueles que dependem do Estado que evitará a desaceleração do crescimento e responderá à crise. Seria o mesmo que definhar diante dos desafios. Também não é a desmoralização da operação Satiagraha e das instituições envolvidas, assim como a censura a jornalistas, que garantirá um Estado de Direito. Estamos diante de uma rebelião cívica na cena independente da mídia. É hora de conduzir satisfatoriamente o processo judicial, sem afastar nem desqualificar o Delegado Protógenes, o Delegado Paulo Lacerda, o Juiz De Sanctis e o Procurador De Grandis. Eles não são inimigos nem suspeitos. A eles deve ser dada a proteção do Estado porque levantaram provas que podem mudar o quadro de ilegalidades e irregularidades cometidas no campo das finanças. Essa rebelião cívica também não é inimiga nem suspeita, mas representa a possibilidade de ampliar os direitos e a democracia. Pessoas que ocupam determinados cargos e funções estratégicos não estão conseguindo interpretar esses sinais que vêm denunciando as bases da nossa democracia. Acabam personalizando o exercício de suas funções e confundindo as críticas e as denúncias à sua própria pessoa, o que, de certa forma, está contido no comentário "feroz" e irônico do meu amigo Eduardo Graeff ao PT e ao Presidente. E cá entre nós, Graeff, você não acredita no que escreveu, não é mesmo? E você sabe que isso não ajuda em nada a democracia.

Porque será que esse post não mereceu a reflexão "pretendida"?
Esse é um texto maravilhoso. Concordo em gênero, número e grau. Aliás na época em que esse post foi feito eu me manifestei sobre ele, e creio que várias outras pessoas tb.
"O Brasil hoje é o campo de batalha dessas duas facções. De um lado o "Apedeuta" espertalhão e sua tropa de esquerdistas sem utopia, mas com volúpia do poder do Estado e suas boquinhas mil. Do outro lado, os que não se deixam tapear nem intimidar na defesa do Estado de direito democrático, ainda que carimbados de direitistas." - comentário elogioso, de outubro de 2008, ao livro "O país dos petralhas" feito por Eduardo Graeff, cientista político que foi secretário-geral da Presidência da República no governo Fernando Henrique Cardoso.
Sugestao de uma pequena ação concreta e factível: hoje, no Blog do Nassif, está narrado o "passa-fora" que o Ministro Joaquim Barbosa deu no Gilmar. O email do ministro é mjbarbosa@stf.gov.br (ou gabminjoaquim@stf.gov.br, do gabinete dele). Vamos todos mandar um email parabenizando o ministro? Já mandei o meu. Postei o vídeo do episódio no final do tópico.
Pois é, Arkx, concordo que esta é a questao. Mas é uma questao difícil, porque, embora nao se possa justificar que, por causa de um erro passado de estratégia, o governo e o PT entao paralisem as investigações/ se omitam e tentem impor o silêncio sobre elas, tb nao se pode, com a mídia e o Judiciário que temos, botar fogo no palheiro... Há uma imensa tradição de lacerdismo na classe média brasileira (vide a força da campanha Gabeira na última eleição no Rio), é preciso tb tomar cuidado com isso.

O que quero dizer é que, ao apoiar a Satiagraha, como o faço, devemos evitar a todo custo o discurso moralista (salvo em relação ao extremo da canalhice que é a perseguição a pessoas que cumpriram o seu dever; nesse ponto, nao consigo "guardar no armário" minha indignação; mas esse tipo de questoes nao faz parte da tradição lacerdista, donde nao há tanto risco do discurso moral aí).
Arkx. Esse é o ponto central: postura do governo e o silêncio sepulcral do PT. Da base aliada não há o que comentar, principalmente PMDB.

Vamos enumerar aqui o fogo concentrado com o claro intuito de ridicularização da Satiagraha. Observem as forças demoníacas envolvidas e o poderio econômico.
No parlamento, todos, mas todos mesmos tratam esse assunto como se fosse um ser leproso. Ninguém fala nada, finge que não é com ele, e ficam cruzando os dedos para que não apareça outra podridão pela ação da PF. E por falar nisso, como anda a operação "Castelo de Areia"? Minguou? Tão cedo assim?

Então, o Satiagraha é a operação que emplacou. Polemizou, incrustou na mente dos cidadãos que querem se utilizar dela para, pelo menos, dar início a um processo tão acalentado pelos cidadãos de bem desse país: limpeza da corrupção institucionalizada.

No contexto geral temos a mídia porca unida com claros interesses, e seus serviçais jornalistas colaboracionistas com o banqueiro bandido condenado: defender o indefensável, no mínimo, gera a possibilidade de estarem a soldo daquele. Isso tem nome: corrupção!

A omissão também da casta social privilegiada do país é denunciador. E os quadrilheiros da mega butique Daslu? Já passou o efeito consternador, motivo para revogar a prisão da sua proprietária? Belo feito da mídia porca!

E o PT? Por onde andas senhores parlamentares, ideólogos do partido que catalisou um desejo utópico(?) da grande massa do povo brasileiro? Não estou presente nos ambientes em que eles vivem e transitam e, portanto tenho a impressão que essa gente fica se esquivando pelos cantos, para não serem observados para não serem inquiridos para uma situação que não tem respostas. Não é desejável se expor nesse momento. Certamente pensam eles.

E o Pacto Republicano? Executivo, Legislativo e Judiciário unidos para defender o que? Proteção ao cidadão de bem desse país? Há necessidade de se fazer isso? O país está ameaçado por uma desordem de comportamento da população que ameace o pleno funcionamento das instituições?

Não! Ele surgiu com o objetivo de frear uma operação que desvendou os meandros, até que se prove o contrário, do maior processo de corrupção desse país. Tudo fica claro pelo comportamento dos agentes envolvidos. Sistema partidário, legislativo, judiciário... e o executivo também? Na era FHC não tenho dúvidas. Centenas de CPI's engavetadas foi a senha.. Executivo atual? Ainda não sei. Foi nesse governo que a PF tornou-se respeitável pelos seus agentes corporativos e idôneos.

Ela não começou esse trabalho, saindo do ponto do ostracismo para a glória midiática num repente, pelos seus próprios deveres como instituição. Houve um consenso no governo que isso deveria ser feito. Começou o seu calvário (os servidores ético) quando enfiou as mãos no ninho de caçunungas.

Para mim faltam algumas peças nesse tabuleiro que ainda não se encaixam. A preocupação e desconfiança que o executivo esteja envolvido: muitos tem convicção, e atormenta a cabeça de outros muitos que ainda não tem um juízo definitivo. Eu me incluo nesse último.

Tenho convicção que pelo tempo que esse assunto está no Top Ten das manchetes da mídia porca e dos sites e blogs alternativos, não seja apenas um trabalho qualquer. O material e provas expostas, apesar do segredo de justiça, expõem como se fosse um membro com feridas que relutam em cicatrizar. Da outra parte, buscam desesperadamente paliativos empíricos grosseiros, para deter o avanço das feridas. Não faria nenhum prognóstico no momento. Para solucionar o problema, só vejo uma solução: amputá-lo.

Essa amputação enseja dois destinos excludentes: vitória dos calhordas ou vitória dos sérios. A ordem descrita espelha meu sentimento.
Pergunta de Renan, em outro tópico:

Eu faço a seguinte a pergunta:
como o PMDB conseguiu a proeza de transformar o Executivo em refém?
Por que eles conseguem se eleger de forma tão representativa?
Currais eleitorais? Coronéis? Então é uma questão histórica? Qual a saída?

Tentativa de resposta de Eduardo Ramos:

"Concordo com você, que se o Lula não fizesse determinadas alianças, que sem ser obrigado ele não faria, seu mandato teria dançado... E essa é A QUESTÃO POLÍTICA DO BRASIL, HOJE... - Quem vier, provavelmente alguém do quarteto Aécio/Serra/Ciro/Dilma terá condições de governabilidade sem esse expediente dos cargos bilionários aos PMDBs da vida...? Como encerrar esse ciclo perverso do: "você ganha seus cofres onde pode saquear o país, e em compensação me deixa em paz" ?
Não consigo encontrar a resposta ideal para esse problema, e isso me angustia particularmente, porque com esse congresso ordinários, todas as reformas importantes, inclusive a primeira delas, a política, jamais ocorrerão.
Particularmente, torço muito que ou Ciro ou Dilma vença em 2010.
Grande abraço!
Eduardo"


Ronan, eu copiei e colei essa parte da minha última resposta, na página 8, porque talvez vc não tivesse visto.... Essa é realmente a questão prioritária para o presidente que assumir em 2010... Porque vc citou com muita propriedade o que faz o PMDB forte... Como eles atraem muitos corruptos e pragmáticos na política para seus quadros (pragmático aqui num sentido ruim da palavra, pragmático em poder e corrupção...), porque já é um partido forte, as prefeituras ficam muito com esse partido - a máquina retro-alimentando a máquina... - e assim, prefeitos recebem muita grana de candidatos a deputados federais e senadores, tanto grana limpa od orçamento, como grana suja mesmo, de caixa dois, esses prefeitos ajudam a manter e/ou aumentar as bancadas do PMDB, nos níveis estaduais e federal. Vira um ciclo vicioso, corrompido, e corruptor, os candidatos a deputados federais do PMDB sabem, que é só uma questão de dinheiro e os prefeitos os ajudam, e vice-versa, ajudam seus prefeitos a obterem verbas, dee onde poderão roubar suas necessidades pessoais e para a próxima campanha, e assim segue a roda, girando sem parar, há décadas.... - Creio que só quando os tribunais de contas começarem a gir com mais independência, e a nossa Justiça começar a botar na cadeia, com as perdas dos bens, esses prefeitos corruptos (numa pesquisa, vi uma vez, 95% teriam cometido irregularidades "brabas" - pergunta se algum foi parar na cadeia, de verdade.....?) começariam a perder seu peso político, elegeriam menos deputados corruptos, e a roda começaria a girar em sentido contrário.... - A RAZÃO DE TUDO, PENSO, INCLUSIVE DESSE PODER ASSOMBROSO DO PMDB NA POLÍTICA NACIONAL, SE DEVE QUASE QUE EXCLUSIVAMENTE Á IMPUNIDADE! NOSSA JUSTIÇA, FROUXA, COVARDE, OMISSA, NÃO SE MOBILIZA, NEM À POPULAÇÃO, PARA QUE AS LEIS MUDEM, E A CADEIA E PERDA DOS BENS PASSEM A SER UMA REALIDADE NO BRASIL!
Enquanto isso não mudar, PMDB, DEM, PTB, PP, etc,. etc., vão continuar a deitar e rolar.... e os "pragmáticos do PT", os Zé Dirceus da vida, "espertamente" vão levar suas lideranças a se aliarem a essa escória, pelo tal "pragmstismo político".
Só um presidente de caráter totalmente íntegro, terá peito de denunciar esse ciclo perverso, e, junto com o povo, apoiado por este, mobilizar a sociedade e a Justiça, para quebrar esses parâmetros..... Se é possível, juro que não sei.... - rs.

Grande abraço. Eduardo

AVISO AOS NAVEGANTES: Antes que comecem a me bombardear e a tentar invalidar tudo o que está dito aí pelo fato do Eduardo ser partidário do Ciro (o que é um LEGÍTIMO DIREITO DELE) em princípio nao acompanho esse voto dele, o que nao me impede em nada de concordar em grosso com a análise feita.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço