Este texto foi feito a várias mãos e algumas ideias. O fato é que o episódio ocorrido com o garoto Cesar, de Brasília, noticiado pela TV Brasília - no link http://www.correioweb.com.br/tvbrasilia/index.htm?id=3337- do grupo do Correio Braziliense, nos chocou ou pelo menos motivou uma vontade grande de ir lá, falar com o dentista e tentar entender como é que ele decidiu tirar todos os dentes deste rapaz sem consultar a família? Teria sido descaso? Teria sido desrespeito? Ou mesmo demonstração de uma perversão?

A nossa intuição diz que não foi somente a falta de diálogo que provocou a perda dos dentes. Do ponto de vista do poder público as investigações estão caminhando.

O que podemos fazer para cutucar esta situação e aumentar a celeridade?

Quando este dentista arrancou os dentes, ele praticamente amputou uma parte da história desta família. A mãe coloca no vídeo que sempre cuidou deste menino e ele estava quase pronto para começar a trabalhar. Foram muitos anos de empenho, cuidado especial, levar à escola, segundo comentários do Edmar.

Já, Luzete, comentou que, quando o dentista extraiu os dentes, ele não apenas realizou este ato. Edmar afirmou que uma família como esta, que cuida de uma pessoa com alguma deficiência tem um grau de dedicação e atenção, viu-se abalada por esta mudança radical na relação.

Eu, Edmar, Rosiméri e Luzete estamos pensando a respeito. E você?

http://www.correioweb.com.br/tvbrasilia/index.htm?id=3344

Exibições: 288

Responder esta

Respostas a este tópico

É preciso perguntar quais as consequências deste ato na vida do garoto Cesar, como isso afetará sua vida?
é preciso perguntar a ele, mas pela matéria ele já diz que gostaria de ter seus dentes.
Nao consigo nem pensar nessa imagem do garoto. Nosso amigo que nasceu com Down tinha varios dentes encavalados --ainda tem-- e nao conseguia engolir comida por outros problemas. Um dia teve uma "operacao" pra "consertar" alguma coisa na garganta --lembrei agora , era um buraco na garganta entre boca, narina, e esofago, e ele nao tem cordas vocais tampouco-- e nunca mais dormiu direito. Hoje ele acorda no meio da noite e senta pra dormir porque nao consegue parar de tossir se engasgando na propria saliva a noite toda, sem contar com a hora das refeicoes, nas quais ele chega a vomitar.

Perdao mas eu acho dificil comentar qualquer coisa inteligente lembrando dele. Acho que o dentista tinha tao pouca experiencia que nunca ouviu falar de gente com Down ter multiplos dentes encavalados. Eh triste. Nao foi "falta de dialogo", foi falta de pesquisa mesmo. So faltava essa, dentista analfabeto.

(Esse menino, ja com 22 anos, mal ja teve qualquer carie na vida. A mae dele nao deixa, ensinou a escovar muitissimo bem. Eu ganhei um barbeador de 200 dolares uma vez, nao fazia o menor sentido pra mim ficar com ele pra me barbear a cada duas semanas como sempre faco, e eu o dei pro nosso amigo, ele deve ter ate hoje.)
http://www.correioweb.com.br/tvbrasilia/index.htm?id=3358

GDF vai assumir o implante do menino.
Implante em quem tem problemas de dentes geneticamente determinados? Eles estao procurando por problemas! E se o implante for recusado e o menino nao souber o que esta acontecendo ate ser tarde demais? E se der infeccao?
Ivan, o menino tem família, a mãe verificará isso. O que nao pode acontecer é o pobre do garoto ficar totalmente sem dentes. Ele já tem Down, o que já causa discriminação; ficar totalmente sem dentes arrasa com a auto-imagem de qualquer um. Sofrimento nao se dá só por "causas objetivas" nao, há sofrimento psíquico tb...
Monstro!

Não tem outra coisa a ser dita a respeito desse ser.
A matéria veiculada diz se, por acaso, esse procedimento foi realizado em apenas uma sessão? Ao que me consta, parece ter mais explicações. Não estou aqui defendendo um colega que nem conheço, mas creio haver necessidade de mais esclarecimentos antes da condenação. Ninguém faz 28 exodontias em uma só sessão. Ainda mais em alguém com tricromossomia.
Eurípedes,
tudo leva a crer que foi tudo feito numa só sessão, sim, daí o desencanto da família, do menino. A mãe diz que entregou o filho para fazer duas extrações e recebeu o filho daquele jeito.

Se tivesse sido em mais sessões, ele, o louco, não teria praticado esta insanidade, entendeu?
Wow Vera!

Muito obrigada por suas explicações. Aliás, me enriqueci lendo todos os comentários! Saí um pouco por motivo de trabalho e quando volto, esta riqueza!
Percebo pelo que foi comentado aqui algumas coisas:
- a imprensa infelizmente -até como jornalista posso falar - não se preocupou em falar de verdade com o dentista. Pareceu que a procura por ele mais pareceu já um julgamento e um inquérito policial 'jornalístico'. O que deve tê-lo afugentado. Que horro: a imprensa dá medo hoje em dia.
- a imprensa não conseguiu entender direito da mãe se tudo foi extraído no mesmo dia, se havia educação para a saúde etc. Não investigou o suficiente para dar subsídios necessários a todos nós opinarmos e formarmos opinião de forma suficiente para agregar valor de conhecimento a esta problemática de saúde pública.
- por conta da falta de acesso à informação qualificada, não conseguimos sequer saber coisas como o que a Vera ou o que o Ivan Moraes trouxeram sobre as peculiaridades destes meninos e meninas, sua dentição, suas necessidades. Quantos na sociedade sabem disto além dos poucos que estão lendo este fórum!
Enfim, será que ao menos estes dados estão chegando à mãe do garoto? O que será que está ocorrendo agora, neste exato momento, ao garoto?
E a outros garotos e garotas com a mesma necessidade ao assistirem às matérias veiculadas? O medo? Talvez.
Eu tenho me pegado muito nesta questão de quanto medo tem sido injetado em todos nós, em doses homeopáticas.... Só para refletir...
Antes de condenar o ciurugião-dentista é preciso avaliar com cuidado a situação. Como já escreveu no blog um colega de comentários, dentistas que trabalham com pacientes que tenham necessidades especiais normalmente são abnegados e têm vocação para tal. Eu sou dentista e já atendi muitos pacientes com algum tipo de necessidade especial e posso dizer que é bastante difícil, estressante e em algumas situações até inútil.
Não é errado ou cruel como muitos possam pensar, que seja realizada a extração de todos os dentes de um paciente numa situação semelhante. Há casos em que existe doença periodontal avançada, ou seja os dentes ficam sem suporte. Como para realizar uma intervenção num paciente desses, normalmente é necessário anestesia geral, avalia-se o caso e planeja-se em conjunto com a família a extração de todos os dentes para evitar que o paciente seja submetido a sucessivas sessões de anestesia geral e evitar o parecimento de infecções ou outras doenças com origem bucal, à vezes com altos custos e de difícil tratamento.
Ao que me parece o dentista aí não foi desumano, ou um açougueiro como muitos podem pensar. Ele errou ao não consultar a família do garoto sobre o procedimento que realizou, incorreu em uma falha ética. Talvez até na ânsia de ajudar o paciente. Mas falhou no quesito ético. Que se apure, corretamente, e que caso haja responsabilidade do profissional que sofra a devida punição.
Concordo contigo Rodrigo. Um diagnóstico de periodontias ou periapicopatias podem sugerir a avulsão total. É este o meu ponto. Não vi o lado do dentista. Só vi um lado do problema. Em meu consultório, sempre que ocorreria um procedimento agressivo ou arriscado, solicitava-se do paciente, ou de seus responsáveis, um termo de anuência e consentimento. Será que esse termo não foi solicitado aos pais do garoto, que agora estão crucificando o dentista? Se não existir esse termo, cabe recurso jurídico e denúncia ao CRO e à ABO. Antes de condenar, tem-se que olhar os dois lados. A matéria publicada não demonstra conhecimento tecnico e śo mostra um lado.

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço