O pesadelo das cheias e o sofrimento da população é grande. Observe as fotos do amigo Getulio Moura

Degradação do meio ambiente e o abalo na geoeconomia do Vale do Açu - RN - Brasil -2008

Exibições: 116

Anexos

Responder esta

Respostas a este tópico

Eugenio
As imagens nos mostram epocas de cheias assim como tem em todas as regiões do Brasil. O que acontece com o agreste é que essas epocas são ciclicas com espaçamento longo e da mesma forma que se viu toda aquela região totalmente inundada, após 6 meses pode acontecer de se ver a região na maior secura possivel.
Como foi mostrado nas fotos, dá para se perceber inumeras barragens e açudes cuja função é exatamente essa a de regular esses ciclos, as cheias proporciona o acumulo nas barrgens e açudes para que durante o restante do ano se de perenidade aos rios.
A transposição vem exatamente para isso, nas epocas de maior carencia aguas do Rio São Fancisco vem suprir essa falta.
Atente que a transposição fala de retirar do São Francisco algo em torno de 3% de seu volume no regime de baixa. Algo insignificante.
Sou favoravel a tudo que se faça para melhorar a vida de pessoas e humanos que sofrem e muito com a seca.
Abraços
Também sou favoravel a tudo que se faça para melhorar a vida de pessoas e humanos que sofrem e muito com a seca. Todavia a transposição ao meu ver é desnessária no momento. É muito dinheiro para pouco beneficio. Há pouco tempo, menos que 30 dias, observando a vazão menor liberada pelas válvulas dispersoras d'água da Mega Barragem Armando Ribeiro Gonçalves ao rio Açu perguntei ao DNOCS telefone (84) 3331-2000 o por quê desta diminuição e diminuição haja vista o medo de se ter uma terceira cheia no Baixo Vale do Açu e destruição da lavoura e morte de animais pois a Mega Barragem esta cheia 80% o Açude do Mendubim e Pataxó também. As lagoas do Piató e Ponta Grande que foram a salvação em 2008 para que os estragos não fossem maiores estão cheias também. A resposta foi que os produtores de sal e carcinicultores reclamaram da vazão de 18 mil litros por segundo e pediram que diminuisse para menos na qual foram atendidos pelos técnicos do DNOCS. Para quem não mora debaixo da barragem inaugurada em maio de 1983 tudo é normal e regular. Todavia nós que perdemos tudo em 1974, 1985, 2008 e 2009 temos receio que uma cheia ainda maior possa acontecer. As gananciosas multinacionais que operam aqui, despediram cerca de 2.000 funcionários deixando estes desamparados, devendo em mercearias e bodegas e com outras dívidas a pagar. Multinacionais só vizam o dinheiro, já não compram um só palmo de terra nas ferteis terra do Vale do Açu, onde chegaram a comprar um hectare por mais de 4.000 dolares. Estão pensando até em debandar. Já não plantam mais em várias fazendas que compraram a preço de banana aqui. Ora, se não se pode dispersar mais que 16 metros cúbicos por segundo da Mega Barragem do Açu, pois esta ação gera conflitos de interesse geoeconômicos na região para que mais água vindo para cá. Só sabe o sofrimento proporcionado por uma cheia, quem sentiu na pele e no bolso sua ação devastadora. Teve agricultor aqui que chorou vendo todo seu sitio zelado por muitos anos ser destruido em menos de uma semana. O RN não precisa de importação d'água de outra região. O rio São Francisco ao contrário que muitos devendem, será o rio da desintregação Nacional. Por fim vale ressaltar que os brasileiros apesar dos prejuizos não despediram praticamente ninguem. Não existe povo igual a este em todo mundo. Geólogo Eugênio Fonseca Pimentel.
Eugenio, eu só não entendi por que o seu tópico aparece triplicado. Não dá prá corrigir isso?

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço