A visita de Bento XVI à Espanha foi marcada por protestos, em função dos elevados gastos financeiros: as despesas teriam se aproximado dos 50 milhões de euros.

Enquanto isso, povos africanos morrem de fome e a própria Espanha mergulha numa crise financeira e convive com aumento do desemprego.

Setores da própria Igreja Católica espanhola também denunciaram o desperdício financeiro.

Outra linha de manifestações se deu contra o que foi chamado de hipocrisia moral do Vaticano.

No domingo, cerca de quatro mil pessoas participaram do protesto contra a visita de Bento XVI no centro de Madri. Destacou-se no grupo a presença de estudantes, gays, lésbicas e transexuais.

Até mesmo alguns padres católicos aderiram aos protestos.

Em sua última visita à Espanha, o papa Bento XVI teria autorizado a arquidiocese católica de Madrid a perdoar as mulheres que tivessem abortado. A condição para que recebessem o “perdão divino”, entretanto, teria sido a participação nas celebrações da visita do papa e a confissão do “crime” a um padre católico.

Para a teóloga Ivone Gebara, a atitude causa constrangimento a muitas mulheres católicas:“A impressão que tivemos é  que o papa, o Vaticano e alguns bispos gostam de brincadeiras de mau gosto com as mulheres. “A impressão que tivemos é que em mundo esses homens vivem, quem pensam que são e quem pensam que somos!”

Para Gebara, entre outras coisas denuncia a “opção de classe” que o Vaticano faz para perdoar quem tem dinheiro: “Concede-se o perdão a quem pode viajar para assistir a missa do papa. (...) Basta ter dinheiro para viajar e pagar a estadia em algum hotel de Madri que o perdão poderá ser alcançado”

Ao conceder o perdão ao "crime" do aborto na linguagem que sempre usaram, de forma elitista revelam o rosto ambíguo da instituição religiosa capaz de ceder ao aparato triunfalista quando sua credibilidade está em jogo.

Podem abençoar tropas para matar inocentes, enviar sacerdotes como capelães militares em guerras sempre sujas, fazer afirmações públicas em defesa da instituição condenando pobres e oprimidas, abrir exceções à regra de seus comportamentos para atrair jovens alienados dos grandes problemas do mundo ao rebanho do Papa.

A lista dos usos e costumes transgressores de suas próprias leis é enorme...

Por que reduzir a vida cristã a pão e circo? Por que dar um espetáculo de magnanimidade em meio a corrupção dos costumes? Por que criar ilusões sobre o perdão quando o dia a dia das mulheres é cheio de perseguições e proibições às suas escolhas e competências?

Creio que mais uma vez somos convocadas/os a expressar publicamente nosso sentimento de repúdio à utilização da vida de tantas mulheres como pretexto de magnanimidade do coração papal.

Somos convidadas/os a tornar pública a corrupção em todas as nossas instituições inclusive naquelas que representam publicamente  crenças religiosas.

 

 

Exibições: 1102

Responder esta

Respostas a este tópico

Vai pensando aí....

Stella nem precisa pensar.Se homem pudesse ficar grávido o aborto já estava liberado ha muitos anos. Se fosse parto natural,sem anestesia teriam o primeiro e ....nunca mais.rsrsrsrs

Errado Marise

 

Se homem ficasse grávido, sempre o aborto seria permitido.

Não te entedi Rogério.Estás dizendo quase a mesma coisa que eu.

Marise, foi quase a mesma coisa,

mas vc. ainda falou numa primeira vez para o homem

o rogério descartou ou seja,

sempre o homem abortava

ou seja..

zero população hahahahhahahaha

bom, talvez, não tão zero assim.. se homem e mulher engravidassemm..

este Rogério faz a gente ri( rsrsr)

Stella Rogério é gaucho e destes entendo bem rsrsrsr Ontem quase deu mais uma guerrinha aqui,quando meu marido foi quase abalroado por um carro que era dirigido por uma mulher. Aflorou o machismo gaucho e ele logo disse:"tinha que ser mulher". E a gaucha aqui de faca na bota,rodou a baiana. Mas entre mortos e feridos, todos se salvaram.kakakaka
rsrsrsrsrsrs.. Querida Marise isso são coisas do inconsciente humano, já vi mulheres dizendo a mesma coisa de outra mulher na direção de um carro, não precisava ter rodado a baiana com o seu marido diante do susto que tomou.rsrsrsrsrsrs... 

marise e webster..

uma coisa que fico danada, é quando  MULHERES

dizem que preferem obstetras ou ginecologicas Homens do que mulheres..

fico com tanta raiva, que pergunto, se vão se consultar ou outra coisa...

realmente nunca tive preferências ,( bom.. só com relação ao sexo.. prefiro homens rsrs) vejo sempre a competência..

outro dia aqui,  dentro de um onibus, as mulheres cochichavam ..pois a motorista era mulher..

fico indignada!!

elas se

(continuando..)

elas se entreolhavam..e diziam.. deve ser duro ser motorista..

eu estava perto e disse..

passamos a vida inteira sendo motorista.. só que em carros pequenos..

sabe.. ainda hoje vemos estes preconceitos..

no fundo..lá no fundinho do fundinho.. Nós mulheres ainda perpetuamos estes preconceitos..

 

Pois é Stella o preconceito existe independente de gênero.

Comparando com o que vivi na década de 50 ainda criança até hoje, observo que a sociedade brasileira mudou muito e para melhor em muitos aspectos. Muitas tarefas que eram exclusivas dos homens naquela época, passaram a ser exercidadas pelas mulheres e vice versa.

Citando pequenos exemplos: Mulher dirigir carro - tida como "não séria", homem cozinhar - tido como homosexual e por aí vai. 

 

Estas figurinhas que os fanáticos religiosos terroristas colocam ,já não impresionam ninguém.Ricardo tu ainda pensas que aqui no Portal tem gente burra? Podes usar quantos nicks quiseres para tentar influenciar alguém.kakakaka

RSS

Publicidade

© 2022   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço