Petista fica 12 horas em pé e não consegue protocolar CPI dos pedágios em São Paulo


Onze pedidos de CPIs, entre as quais do Sebo, evitaram a abertura da CPI dos Pedágios (Foto: Alesp/divulgação)

São Paulo – No primeiro embate entre PT e PSDB na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), petistas esperaram 12 horas e foram impedidos de protocolar pedido de investigação dos pedágios em São Paulo. PT acusa partidários do governador Geraldo Alckmin (PSDB) de descumprirem regimento da Alesp para evitar investigações do governo estadual.

Segundo regimento, apenas cinco Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) podem ocorrer na Casa Legislativa. A ordem de apresentação do pedido, com pelo menos 32 assinaturas, garante a abertura da comissão ou não.

A norma levou o PT a se posicionar às 7 horas da manhã em frente ao relógio de ponto de protocolo, com o intuito de apresentar um pedido de fiscalização dos contratos entre o governo e as empresas concessionárias das rodovias estaduais. O relógio fica dentro do plenário, onde o assessor da bancada petista, Salvador Khuriyeh, passou 12 horas desta quarta-feira (16) em pé aguardando o protocolo do documento. 

Petistas esperavam protocolar o documento pela manhã, mas foram surpreendidos pela informação de que não poderiam fazer o protocolo. A bancada do PT passou o dia aguardando uma justificativa do presidente da Alesp, eleito na terça-feira (15), Barros Munhoz (PSDB).

A surpresa maior foi descobrir que parlamentares da base de Alckmin teriam apresentado diversos pedidos de CPI. O protocolo dos documentos teria ocorrido fora do plenário, quando "algum assessor do partido teria garantido lugar na fila, na noite anterior", dispara a bancada do PT.

Para o líder da bancada do PT, deputado Enio Tatto, o protocolo de um requerimento de CPI “é tão importante que houve disputa para ver quem chegava à frente no relógio”. “Desde que estou na Assembleia, sei que quem chega primeiro ao relógio de ponto protocola o pedido de CPI e quem chegou primeiro foi o assessor da Bancada do PT”, defendeu Tatto.

Pelo menos 11 solicitações de CPI, protocoladas pelo PSDB, impediram a criação da CPI dos pedágios pelo PT.

Tatto já vislumbra na atual legislatura, repetição da estratégia de obstrução do trabalho legislativo com "pedidos de CPI que não investiguem diretamente o governo estadual".

“De forma sorrateira, o governo elaborou uma série de requerimentos para impedir um único pedido de CPI da oposição, com o objetivo de investigar um fato notório, que é o excesso de praças de pedágios instaladas nas rodovias e o valor extorsivo das tarifas", criticou o deputado Antonio Mentor (PT).

Mentor questiona a importância dos deputados pedirem uma CPI do Sebo, por exemplo. "Os governistas apresentaram até pedido de CPI do Sebo, o que é uma vergonha para a Assembleia”, indignou-se o deputado, durante a sessão legislativa.

 

www.redebrasilatual.com.br - 16.03.11

Exibições: 35

Responder esta

Respostas a este tópico

Para impedir a CPI dos Pedágios tucanos e aliados inovaram:

CPI do Sebo!

CPI dos Sebos

Hoje na ALESP o PT chegou primeiro, e ficou na frente. Esperou 12 horas em pé! Tudo para protocolar a CPI dos Pedágios, mas os Tucanos e aliados deram mais um golpe e não respeitaram a ordem de chegada. Protocolaram outras 11 CPIs... E a mais importante de todas: a CPI que investigará os Sebos!!!!!!

e a grande imprensa fica calada, é?

esta CPI mostraria a grande máfia que governa são paulo há quase 20 anos e a maioria do seu povo não percebe. e a CPI das multas, que o governo entrega a grana à empresa que instala as lombadas eletrônicas, segundo um critério de "produtividade". os caras estão ficando bilionários? silêncio sepulcral e a imprensa investigativa calada!

Não fica calada não Luzete, porque atualmente a web reverbera. Mas aí ela noticia tardiamente (pra não ficar feio) e desvirtuadamente (pra atender ao patrão).

Veja vc mesma:

http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/890087-pt-e-psdb-d...

PT e PSDB "duelam" por CPI na Assembleia

A Assembleia Legislativa de São Paulo viveu nesta quarta-feira (16) um inusitado primeiro dia de trabalho por causa de um duelo entre PT e PSDB para ver quem havia chegado em primeiro lugar no serviço de protocolo de CPIs, que fica dentro do plenário da Casa.

A confusão começou logo cedo, às 9h, quando um assessor do PSDB, que amanheceu na porta do plenário para protocolar 11 pedidos de CPI foi surpreendido pela presença de um assessor do PT, que amanheceu dentro do plenário, relata Fernando Gallo, repórter de Poder da Folha.

Ambos tentaram, sem sucesso, convencer a funcionária responsável a abrir o relógio de ponto. Sem saber o que fazer, ela consultou a Presidência da Assembleia, que determinou que nada fosse feito até que se encontrasse uma solução para o problema.

A corrida para o protocolo de CPIs se deve ao fato de que a Casa só instala cinco CPIs por vez, e na ordem de chegada. No começo da última legislatura, em 2007, os tucanos protocolaram dezenas de pedidos de CPI de menor importância para evitar que o governo estadual fosse fiscalizado.

"Desta vez, o PT armou uma estratégia para evitar que o mesmo ocorresse na atual legislatura. Um assessor driblou a segurança da Casa e entrou em plenário antes do início dos trabalhos", comenta Gallo no áudio a seguir.

1 - Vimos dezenas de CPIs importantes em Brasília propostas pela oposição ao governo Lula (na Câmara e no Senado);

2 - Quantas CPIs foram intaladas aqui em São Paulo nas últimas décadas?

3 - Por que não se respeitou a ordem de chegada na fila, e a CPI dos pedágios ficou em 12º lugar? Ou seja, não será instalada;

4 - Nunca pedimos CPI com assunto tão banal como dos Sebos para impedir que fosse instalada CPI que funcione de fato como instrumento de fiscalização. Piada de mal gosto.

5 - Sobre o clima em marte fica com vc (deve ser sua especialidade).

 

RSS

Publicidade

© 2020   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço