Quando Antônio Carlos & Jocafi virou Antônio Carlos Jobim

Os verdadeiros Antônio Carlos e Jocafi
A pergunta é se o Ecad está arrecadando nos conformes os dólares a que tem direito a dupla Antônio Carlos & Jocafi pelo seu maior sucesso, gravado por Tommy Flanagan.

Anos atrás, e bote anos nisso, pois são décadas, comprei um CD do pianista Tommy Flanagan. Ele e Hank Jones foram os grandes acompanhantes da cantora Ella Fitzgerald. Como nos lieder de Schubert ou Richard Strauss, para uma boa interpretação de Elisabeth Schwarzkopf, Dietrich Fischer-Dieskau ou Janet Baker, era necessário um grande pianista acompanhando-os. Pouco conhecidos, Gerald Moore e Geoffrey Parsons, eram as “escadas” para o brilho desses intérpretes.

Para a sorte da humanidade, Hank e Tommy puderam mostrar suas artes como solistas em belos discos em trio piano-baixo-bateria, em duo com Frank Wess (no caso do primeiro), e até tocando juntos (Our Delights e I’m All Smiles são dos que mais me lembro agora). Hank se manteve na ativa até ano passado, quando faleceu, prestes a completar 92 anos. Flanagan morreu há dez anos, em 2001.

Pus-me a escutar o recém-adquirido Jazz Poet (1989) e, enquanto ouvia, dei uma espiada nas músicas. A décima – e última – era de Antonio Carlos Jobim e se chamava Voce Abuso; era assim que estava grafado. Despertou-me a curiosidade, pois nunca tinha ouvido falar dela, e como boa parte da humanidade sensível, conhecia bem o repertório de Jobim. Tentei puxar pela memória. Bom, esperei chegar até a faixa 10 e aí, caiu a ficha: era a música Você Abusou, grande sucesso da dupla Antônio Carlos & Jocafi. Curiosidade: fizeram até uma versão em francês – Fais comme l’oiseau –, de Michel Fugain e virou hino do Partido Socialista. A dupla brasileira teve de entrar com um processo contra o surrupiador Fuagain.

Será que o Ecad – de existência tão discutida, defendida por alguns, por outros, não, e que esteve na boca do povo na querela que aconteceu com a nossa Ministra de Estado da Cultura, Ana Buarque de Hollanda – está sabendo que os dólares que podem estar sendo depositados na conta da família Jobim, na realidade, pertencem à dupla? A propósito, estou do lado de Ana. Nem sei se está com a razão: é questão de coração e sentimento de solidariedade aos que são atacados com inclemência e de maneira tão baixa.

Ouça a beleza que é Você Abusou com Tommy Flanagan, acompanhado de George Mraz no baixo e Kenny Washington na bateria.



E para que se lembre da saudosa dupla…



Nota: vi até Você Abusou creditada a Ivan Lins. É descaso, mas acontece.

Exibições: 442

Responder esta

Respostas a este tópico

putz, guen,

respondendo a tua pergunta, é claro que o ECAD poderia até estar fazendo a devida arrecadação, mas não poderia estar fazendo a devida distribuição, se a música é atribuída a outro compositor, não é mesmo?

eu espero -afinal não temos mais notícias dos desdobramentos eventuais do caso- se o ECAD está sendo, afinal, higienizado devidamente, para cumprir sua missão de estar serviço do artista.

mas, linda esta interpretação, hein?

e esta é uma das músicas que marcou minha passagem pela experiência do projeto rondon... e... põe décadas nesta história também...

 

e como você defender ana de hollanda "é questão de coração e sentimento de solidariedade aos que são atacados com inclemência e de maneira tão baixa." e mais um cadinho: garantir ao artista forma de sobrevivência e luta por apropriações indevidas da obra de arte... que como vc ilustra, viceja, não é mesmo?

só faltaram perguntar se ele trabalhava, né?

mas ainda bem que não perguntaram se eram dom e ravel, acho que eram eles, tadinhos, que cantavam aquela: eu te amo meu brasil... prá mim uma espécie de inocentes úteis do período.

 

 

Essa é ótima. Desconhecia. Tem uma história que o Paulo Caruso conta uma que é ótima. Numa Bienal qualquer, uma pessoa se aproximou dele dizendo que era seu fã. O Paulo, como tem um irmão gêmeo univitelino, o Chico, mais conhecido que ele por conta da TV Globo, disse: você pode estar me confundindo. O “fã” respondeu: claro que eu sei quem você é; é o Ziraldo.

Mais um caso que demonstra o desrespeito aos direitos autorais no Brasil e a inoperância (para dizer o mínimo)  do ECAD. Não posso precisar a data, mas certa vez, nos primeiros anos da década de 80, no Bar Redondo, em SP, o Zé Keti mostrou-me o extrato de seus direitos no Carnaval anterior. A campeã de arrecadação havia sido Xuxa, com "Ilariê" (creio que seja o título da música, que nem carnavalesca era, mas foi arranjada a propósito e muito tocada, sem dúvida). O compositor de "Máscara Negra", que era cantada em todos os salões de Carnaval do Brasil, recebeu um pouco mais do que o valor da nossa consumação no bar! Era algo ridículo, muito menos que um salário mínimo de então. 

É óbvio que havia uma fraude. 

Como faz muitos anos, e como os artistas de maior sucesso jamais reclamaram, talvez por ser mais difícil enganá-los, fico imaginando o quanto de direitos de grandes artistas que não estão na mídia todo dia, foi roubado durante décadas. 

Aliás, a mídia "investigativa" deveria pesquisar sobre os membros do ECAD, sem sensacionalismo, ouvindo os dois lados. Quem são essas pessoas, do que vivem, qual o seu nível de riqueza, etc. Perguntar não ofende, mas parece que o ECAD é uma caixa-preta que não interessa a ninguém abrir...

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço