Tenho lido comentários em vários blogs na linha de "a CPI da Privataria vai dar em nada", "não interessa ao PT", "a velha mídia vai abafar a CPI", e assim por diante. 

Recuso-me a me deixar contaminar por este derrotismo antecipado. A luta mal começou! Ainda não medimos forças, e conhecemos bem o inimigo, que virá com toda a força do desespero - e daí? Qual avanço democrático foi feito com pouco esforço? 

Sou do tempo em que o DOI-Codi jamais seria extinto, a censura iria ficar aí por um século; o FMI dominaria o Brasil eternamente; um metalúrgico jamais seria eleito para nada além de deputado; o Brasil jamais seria maduro para eleger uma mulher. Ah, e ao Império Britânico seria sempre mais rico do que o Brasil...

Aos trancos e barrancos, fomos avançando, rompendo esses mitos que nos eram impostos. Não se pode comparar o Brasil de hoje ao de três décadas atrás, nem mesmo ao de dois ou três anos atrás. 

A blogosfera acaba de derrotar o silêncio imposto pela velha mídia. Uma CPI está requerida e será instalada, para desvendar o maior roubo da História da República. Há deputados sérios que resistirão às pressões que virão. Os sindicatos vão ter que agir, mais cedo ou mais tarde. 

Não aceito o derrotismo antecipado; arrisco-me a dizer que até o realismo é negativo neste momento. Há que sonhar e caminhar, porque a vitória é possível e pode estar ao nosso alcance. Sei que não haverá uma "revolução": haverá sim um passo enorme na politização do povo e na depuração da política praticada no Brasil. A direita será desmascarada no seu falso puritanismo, na sua hipocrisia. 

O alcance desta mudança depende de nós, de nosso círculo de influência, de esclarecermos e mobilizarmos os brasileiros que pudermos. Só ao final saberemos a que ponto estamos da democratização do Brasil. Nem um minuto antes. 

Conclamo os amigos a persistirem na pressão sobre os membros do Congresso, na denúncia do cinismo midiático, e no esclarecimento de nossos conterrâneos ainda eventualmente iludidos. Ou fazemos isso, ou fiquemos com as bundas nas poltronas, olhando o tempo passar e dando nosso dinheiro para meia-dúzia de malandros engravatados.

Exibições: 396

Responder esta

Respostas a este tópico

Antonio, sou dos que morrem de velhice, acreditando, no entanto, voce bem sabe que o Sistema de corrupção reinante no governo brasileiro é algo assustador que de forma indescritível e difícil de se imaginar, tendo invadido o Poder Judiciário a quem cabe fazer cumprir a Constituição, não nos dá segurança alguma de afirmar que a "Privataria tucana" verdade expressa no livro do Amauri Ribeiro Junior, não seja anulada como pelas mesmas razões foram algumas Operações policiais como a Satiagraha e todas elas com cordão umbilical presos à Privataria. Caso os homens e mulheres de bem ainda existentes na Justiça brasileira tenham suficiente coragem para enfrentar o grande poder do mal consientizando-se de que o Brasil tem 190 milhões de cidadãos que estão ao lado da verdade, até pode ser que isso seja possível, caso contrário, será mais uma luta de combate ao grande mal vencida pelo roubo do erário e do patrimonio público do nosso pais e em quaisquer hipóteses não devemos nos entregar pois é melhor morrer lutando do que viver covardemente com peso na consciencia.
Joel, na política tudo é possível principalmente quando um governo se descamba para a robalheira da coisa pública em prejuizo do povão como vem acontecendo no mundo inteiro pois o povo é dono da força e o Governo, apenas do Poder, que no Brasil tem superado a força devido a inconsciencia popular mas é patente que nós brasileiros com essa política imunda que temos e que já passamos por alguns golpes mal sucedidos permitindo a vitória à minoria, mas acho que já chegamos no fundo do poço da permissibilidade e estamos encurralados, ou lutemos, ou morremos e esses fdps de governantes traidores inimigos da pátria brasileira não perdem por esperar, devem continuar provocando.

http://youtu.be/rTMtx3DepIc

Faço funcionar depois...

E quem nunca acordou com vontade de beijar o português da padaria, so sorry, mas não tá do meu lado...

???!

Totalmente de acordo. De minha parte, farei o que puder. Abraços

Vejo que a maioria dos amigos(as) que participam desta discussão entenderam a questão TÁTICA que nos desafia (minha vontade é de sair xingando tucanos, deputados, sem falar na famiglia Serra & Corporation). Mas, muita calma nesta hora.

Manter a chama acesa, o tema em pauta, até fevereiro (certamente até depois do Carnaval); acompanhar as indicações que cada partido terá que fazer para formar a comissão, membros e suplentes. Esses nomes serão fundamentais, e neles deveremos concentrar nossa fiscalização. A princípio, amistosamente com todos: confiamos que V. Excia. será responsável e nós, seus eleitores ou não, estamos dentro da sua base eleitoral, em vigilância cívica. Por aí.

Como o presidente será o dep. Protógenes, pela praxe regimental, resta saber quem será o relator (deve sair da base governista, mas não necessariamente; costuma-se alternar os dois cargos entre um governista e um oposicionista). Aí eles vão preparar um roteiro de trabalho: quem será convocado a depor, e em que ordem. Podem ser incluídas novas convocações, podem haver acareações, etc. A CPI tem um rito judicial, tanto que seu presidente pode dar ordem de prisão a um depoente que minta contra provas. 

Não vou cansá-los com esses detalhes, porque a coisa é muito mais política do que burocrática. Se o povo estiver ligado no caso (e o PIG fará de tudo para aliená-lo, talvez haja um BBB 24 horas, certamente alguns clássicos de futebol, os jornais e revistas estarão publicando que o Protógenes ganhou um pastel no Mercadão de São Paulo de um cara que foi preso por drogas, etc.) o processo andará e ninguém conseguirá impedir.

Vejam que o Serra não vale mais nada, nem dentro do PSDB. Vale para o PIG, que ele comprou e pagou adiantado (Sabesp no Acre, na Bahia, em Santa Catarina, lembram-se?). Se a água ferver, o PSDB larga o Serra à deriva, como ele sempre fez com seus "companheiros". Ele vai ameaçar um por um, vai mandar recados pelo PIG, vai espernear. Mas a pressão popular pesa muito mais sobre os políticos: "fulano morreu, antes ele do que eu"... Na hora da fogueira a lealdade desaparece. Isso vale para todos os partidos.

Portanto, vamos manter o caso em evidência, olhos muito abertos, e espalhando os fatos para quem ainda não o conhece (milhões). Eu aposto que vai dar certo. E o Protógenes também, entre tantos. 

Antonio,

 Houve um tempo determinado da minha vida que acompanhei, muito de perto, uma CPI. Talvez alguns comentaristas aqui não se lembrem, mas no final da década de 80, começo de 90, houve uma grande CPI na Câmara Municipal de São Paulo.

 Vário vereadores, principalmente alguns ligados à antiga Arena, foram indiciados. Ou seja, essa CPI não terminou em pizza. Mas contudo todavia... pouquíssimos, se alguns, foram efetivamente condenados. Ou seja, como nosso amigo Ivan Moraes sempre lembra, esbarrou no Judiciário.

 Então, supondo que uma CPI seja instalada (o que, a meu ver, pode ser bem difícil, visto o requerimento canhestro do Protógenes, acho q qq rábula de porta de cadeia pode pedir recurso e esse recurso dificilmente será negado pela CCJ, uma vez q não traz um fato determinado, como preconiza a CF/88), mesmo que ela venha a termo, o que a gente pode esperar como resultado?

Não se trata, portanto, nem de derrotismo, nem de pessimismo, nem de realismo. É importante, mais que tudo, esclarecer os limites do que pode ou não uma CPI. E uma CPI não irá, como querem alguns colegas aqui, "enterrar" nenhum partido. Pode, talvez, prejudicar politicamente um ou outro líder. Temos que entender, definitivamente, que não cabe nem ao Parlamento nem ao Executivo o poder de punir. Esse é apanágio exclusivo do Judiciário.

É por isso, meu caro, que tou pouco ligando pra essa CPI.

[]s

Caro Mário, permita-me discordar de que o requerimento não contém o fato determinado a ser investigado. O fato são "as denúncias de irrelugaridades e lavagemn de dinheiro apresentadas pelo jornalista Amaury Ribeiro Júnior em seu livro "A Privataria Tucana". 

O requerimento 569, de 2009, que resultou na CPI da Petrobrás (aquela para a o Álvaro Dias contratou assessoria estrangeira, de uma prestadora de serviços à concorrentes da Petrobrás...) falava em "a) indícios de fraudes nas licitações para reformas de plataformas de exploração de petróleo, apontadas na Operação "Águas Profundas", da Polícia Federal; b) graves irregularidades nos contratos de construção de plataformas, apontados pelo TCU; c) indícios de superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em PE, apontados por relatório do TCU". e vai até o vago item f) denúncias de irregularidades no uso de verbas de patrocínio da estatal". 

Ora, o livro é um corpo de denúncias, contendo mais de cem páginas de documentos. Não se irá investigar "as suspeitas de enriquecimento ilícito da sra. Verônica Serra" ou "indícios de lavagem de dinheiro no processo de privatização do governo FHC". O objeto a ser averiguado é o conjunto de denúncias contidas em um livro recheado de documentos, a maioria dos quais foi obtida em UMA OUTRA CPI, a do Banestado. 

Mais preciso do que isso, só se o requerimento apontasse um determinado depósito do Daniel Dantas na conta número tal do cidadão fulano, em data determinada. Não se pode colocar no requerimento inicial dados que só deverão constar do relatório final.

É direito dos defensores de Serra & Family virem com este argumento. Mas qualquer rábula sabe que o requerimento é válido, e que o livro faz parte dele, é o ponto de partida para as atividades da CPI. 

Caro Mário, é intempestivo invalidar um requerimento que aponta, exatamente, o que pretendem os signatários. S. m. j. 

Saudações democráticas.

Caro Antonio,

 De forma alguma pretendo invalidar nenhum requerimento. E, antes de mais nada, tenho esperança que os fatos elencados no livro do Amaury sejam devidamente apurados. Inclusive aqueles narrados nos dois últimos capítulos.

 O que questiono, e é pra mim o ponto fundamental do que escrevi acima, é em que medida uma CPI possa vir a ter algum resultado concreto.

 []s

Entendi, caro Mário, o seu ponto de vista. Temos a mesma preocupação. Sabemos que uma CPI bem sucedida pode morrer no Judiciário. Especialmente neste caso, que envolve gente de todos os lados, é praticamente um retrato da podridão política no Brasil. 

Por isso mesmo, por ser difícil, é que defendo uma grande mobilização de todos nós, na árdua tarefa de informar o máximo de pessoas e sensibilizar a sociedade para pressionar o parlamento. 

As dificuldades devem nos servir de estímulo, nunca de desânimo, porque algum avanço virá - ainda que fique aquém do que sonhamos. 

Agradeço a compreensão e as lúcidas colocações.

Caro Antonio,

 Nós somos tropa de elite de dar murro em ponta de faca, não?

 E não é porque, eventualmente, enxergue limitações em determinados instrumentos da luta democrática, que me considero pessimista. Acredito, sinceramente (e aí vcs podem me chamar de otimista, ingênuo, naïf mesmo), que a gente está evoluindo.

 Evoluindo na utilização de mecanismos mais democráticos, no que se inclui espaços e fóruns de discussão como esse Portal. A utilização desses mecanismos ainda precisa ser melhor "digerido", tanto por uma militância política quanto por uma "militância jornalística" (e me eximo de tentar definir o que seria isso)? Sem dúvida alguma. Mas é no embate que se constroe.

 []s

 

RSS

Publicidade

© 2019   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço