SONEGAR É CRIME! MAS CRIME MESMO É FAZER TRATO COM O DINHEIRO DOS OUTROS!

Um amigo me lembrou da expressão “SONEGAR É CRIME”, é por este motivo eu gostaria de falar um pouco a respeito da SONEGAÇÃO de que somos vitimas todos os dias.

As instituições públicas nos obriga a pagar diretamente ou indiretamente altas taxas de impostos.

Um trabalhador que ganha R$ 1.164,01 tem o seu salário reduzido em R$174,60 de imposto na fonte.

Ou seja: dos R$ 1.164,01 que ele suou para receber fica R$ 989,41. Com este dinheiro que sobrou ele tem que pagar: todas as suas contas (Luz; Escola; Plano De Saúde, Remédios; Material Escolar; Condomínio; Água; Telefone; Supermercado; Gasolina; Vestuário; Pedágios; CPMF; IPVA; IPTU; ISS; ICMS; IPI, PIS; COFINS; Segurança; e outros impostos que não me lembro agora).

Se a conta de Luz, for por exemplo, de R$ 100,00, sobre este valor ele paga mais 30% de imposto, ou seja: R$30,00 de impostos.

Sobra R$ 889,41, deste valor, se ele possui um telefone e sua conta mensal for de R$ 50,00 ele paga mais R$12,50 de imposto.

Note que até este momento, pagando apenas o IR, a luz e o telefone o governo abocanhou 18,65% em impostos sem dar nada em troca.

Pois bem, se você computar os impostos de tudo que ele comprar com o restante do salário - as compras do mês, a escola do filho, plano de saúde - vai comprovar que o valor do imposto chega, brincando, a mais de 50%. E o mais importante, ele continua sem receber nada em troca. Lembre-se que a escola do filho é paga por ele, o plano de saúde também e a comida idem.

Se ele não pagar uma escola particular para o filho a única certeza que terá que ele vai crescer sem a base necessária para competir em um mercado cada vez mais competitivo. A maioria das escolas públicas termina o ano sem ministrar todas as aulas programadas. Os motivos são os mais diversos, culminando com a falta de professores.

Se ele não pagar um plano de saúde está arriscado o seu filho não chegar a idade adulta, vitima de uma doença qualquer, pois não existe um serviço público de saúde acessível para toda a população.

Ainda bem que a Lei do Desarmamento não foi aprovada.

Se tivesse sido nos próximos meses ele teria que pagar um Plano de Seguro para ele e seus filhos poderem sair de casa para ir ao trabalho, a escola e se divertir. Eu disse divertir? Desculpe-me.

Quando o Brasil era colônia de Portugal, época em que aconteceu o movimento chamado de Inconfidência Mineira, o motivo da revolta foi o chamado QUINTO.

Sabe o que era o tal do QUINTO?

Era os 20% de os donos das minas pagavam para Portugal do ouro que era retirado das minas de ouro.

Na época, a luta contra a cobrança abusiva de impostos provocou o movimento que culminou com o enforcamento de Tiradentes!


Hoje somos glosados em valores muito superiores e nenhum político contesta ou aprova uma lei que permita mudar a cobrança de impostos em cascata.

As propostas e debates sobre “Imposto Único” vêm sendo realizadas desde a campanha presidencial de 1989.

Passados quase 20 anos, conclui-se, na prática, que proposta de aplicação de determinada alíquota sobre a movimentação bancária (o dito “imposto insonegável"), substituindo todos os tributos hoje existentes é utopica.

Pois bem, no período de 1997 a 2007 nós convivemos com a CPMF, que incidia exatamente sobre os débitos bancários. A arrecadação desta contribuição, em 2007, foi de R$ 35 bilhões, prevendo-se que a mesma chegaria a R$ 40 bilhões em 2008. Lembrando que alíquota do CPMF era de 0,38%.

Para substituir os mais de 80 tributos existentes, cuja projeção de arrecadação para 2008 é de quase R$ 1 trilhão, o Governo teria que aplicar uma alíquota para o “imposto único sobre débitos bancários”, de forma manter as receitas dos governos federal, estaduais e municipais no patamar de 10% sobre cada débito bancário. Ou seja: Muito menos do que pagamos hoje com os impostos diretos e indiretos!

Exibições: 142

Responder esta

Respostas a este tópico

Eu quero protestar contra os Deputados e Senadores que não querem fazer "reforma tributária", o Brasil poderia ser a segunda economia do mundo se houvesse um sistema com 5 impostos, vejamos:
1) Imposto de importação e exportação;
2) Imposto sobre combustível, comunicação e energia, arrecadados na fonte;
3) Imposto sobre cigarros e bebidas alcoólicas, arrecadados na fonte;
4) IPTU, só sobre imóveis de valor acima de 200 mil;
5) CPMF de 1% - INSONEGÁVEL.
O resto acabava tudo. Economia para a nação: 80 bilhões gasto com a maquina arrecadadora atual (nível Brasil), 200 bilhões que são sonegados por ano (disse o Secretário da Receita Federal),fim das ações de contestação pra não pagar, são em torno de 200 mil ao ano. Beneficios: Aumento das exportações pois os produtos teriam uma queda de aproximadamente 30% nos preços (iríamos competir com a China).
A NOTA DESTOANTE:os políticos não teriam mais "laranjas". Visite o meu site: www.inspiracao.net/111622

RSS

Publicidade

© 2021   Criado por Luis Nassif.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço